24 ascensões: Nepalês quebra o próprio o recorde no Monte Everest

Como é de conhecimento geral, os sherpas são os verdadeiros responsáveis por tornar possível a escalada no Monte Everest (8.848 m). Há casos, conhecidos no universo de montanha mas pouco divulgados pela mídia outdoor brasileira (em sua maioria abafado por anunciantes), em que estes sherpas literalmente carregam seus clientes até o cume. Mas não são todos os sherpas que chegam ao cume do Everest. Para chegar lá é necessário ser um guia experiente. Ficar a mais de 8.800 metros acima do nível do mar não é uma tarefa corriqueira e muito menos trivial.

Kami Rita Sherpa, que já tinha quebrado o recorde na semana passada ao chegar à sua 23ª ascensão da montanha mais alta do mundo, repetiu a façanha. Mas sobre a conquista é necessário uma observação: este recorde não é um desafio esportivo, mas um reflexo de seu trabalho como guia para a agência Seven Summit Treks.

Kami Rita, de 49 anos, liderou uma equipe de oficiais do Exército indiano em uma escalada bem-sucedida ontem. Rita nasceu em Thame (Solokhumbu) e escalou o Everest pela primeira vez aos 24 anos. Desde então trabalha na montanha. No ano de 2017, ele superou o recorde de Apa Sherpa e Phurba Tashi Sherpa de 21 cumes ao Everest.

O Everest é seu lugar de trabalho favorito, mas não o único. Somando todos os cumes que estabeleceu, Kami Rita, fez 36 ascensões de picos acima de 8.000 metros, incluindo K2 (8.611 m) e Lhotse (8.516 m) uma vez, Manalsu (8.156 m) duas vezes e Cho Oyu ( 8.201 m) oito vezes.

Comente agora direto conosco

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.