Ape Index: O que é este índice? – Ele realmente faz a diferença na escalada?

A escalada esportiva de competição é um esporte olímpico e isso é um fato. Junto com esta “promoção”, ao menos para a Olimpíada de Tóquio 2020, a necessidade de atletas com habilidades em várias disciplinas começou a ser mandatória. Para descobrir talentos, ou melhorar a performance dos que já estão treinando, várias pesquisas científicas são feitas. Fruto destas pesquisas, métodos de treinamento esportivo são desenvolvidas. O treinamento esportivo precisa de uma sistematização para a melhoria do desempenho e as pesquisas científicas contemplam metodologias que levam em consideração a percepção, opinião e a sensibilidade corporal de cada atleta.

Desde que foi publicado no Journal of Strength and Conditioning, periódico médico (sempre revisado por pares) que publica pesquisas sobre condicionamento aeróbico e força física, o trabalho científico que estudou o tipo de corpo de boulderistas poloneses e se o Ape Index tinham qualquer correlação com o nível de escalada, vêm causado frisson entre os preparadores físicos. Com o título “Somatic Profile of the Elite Boulderers in Poland” e liderado por Mariusz Ozimek, o estudo cientifico trouxe à lux um índice que era pouco conhecido da comunidade de escaladores mundial: Ape Index.

O Ape Index é um jargão que descreve a distância entre os braços e a altura de um indivíduo. A razão mais comum de um ser humano para este índice é 1 (também chamado de índice de macaco neutro). Um índice positivo é visto como vantajoso para os escaladores. Vários estudos foram realizados sobre o efeito de fatores fisiológicos, como antropometria e flexibilidade, na determinação da capacidade de escalada em rocha e alguns deles incluíram o Ape Index como uma das variáveis. para determinar a predisposição de um indivíduo para uma prática esportiva, em especial a escalada, é necessário medir alguns parâmetros do corpo: massa corporal, composição corporal, longitude das pernas e longitude dos braços.

Portanto, o Ape Index é apenas mais um número que pode avaliar se um indivíduo tem mais, ou menos, predisposição física de se desenvolver como um escalador esportivo. Reunindo vários estudos científicos, percebe-se que ainda não chegou-se a uma conclusão. Há estudos que afirmam que o índice faz diferença e outros que não. particularmente no estudo de Mariusz Ozimek, os escaladores que participaram do estudo foram aferidas as seguintes medidas: peso corporal, massa corporal, densidade corporal, porcentagem de gordura corporal, massa gorda, massa magra, longitude do braço e longitude das pernas.

Dentre cada um destes índices, o que houve maior discrepância foi no comprimento do braço em relação à razão braço/perna. A maior descoberta deste estudo foi que os escaladores eram altamente funcionais. Analisando o biotipo, todos possuíam a mesma característica: eram leves (baixa massa gorda) e tinham braços longos. Por braços longos, entenda Ape Index positivo.

O índice de comprimento do braço alto e o percentual de gordura corporal baixo, representam os determinantes mais fortes do desempenho em escalada em boulder. O estudo ainda propões a suposição de que que o índice de comprimento do braço tenha um alto valor diagnóstico (como uma nota de corte) para recrutamento e seleção de escaladores.

Para saber mais: Somatic Profile of the Elite Boulderers in Poland

There is one comment

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.