Planificação de treinamentos para escaladores

A1[1]Cuidado, treinamentos para escaladores não é receita de bolo!

Isso mesmo, é o que nós escaladores pensamos sobre métodos de treinamento para evoluirmos rápido, basta um “clic” e você tem diversas receitas na internet.

Sou escalador a 21 anos, desses 18 dedicados a competição, fui criador e técnico da seleção brasileira juvenil em duas oportunidades na campanha da França e Escócia e fui técnico de diversos atletas particulares, além de route setter continental IFSC, estive como atleta em diversas competições internacionais.

Ao longo desse tempo vi muita coisa acontecer no cenário nacional e internacional das competições de escalada.

Mas com certeza o que mais vi foram atletas que surgiam do nada, super fortes, mas que duravam apenas uma ou duas temporadas.5-reach-thrus-535x300[1]

Motivo?

Mega lesões!

Podemos dizer que uma planificação bem feita e balanceada é a chave para evoluir lentamente mas com segurança.

O que você prefere: Mandar um 10a em um ano e ficar mais 6 meses de recuperação ou ter paciência e solidificar esse grau com tranquilidade?

Matemática de JB Tribout

Heather Robinson and Chris Weidner training on a rotating climbing wall in a garage gym in Las Vegas, NV.Sou super adepto a polêmica ” matemática de JB Tribout” já ouviu falar?

Funciona assim, seu grau “trabalhado” é 10c, isso significa que você tem que fazer um 10a em um dia e 9b á vista!

Se a conta não fechar algo está errado, para mim essa conta fecha perfeitamente, pois vejo muito isso.

Hoje trabalho como coordenador de escalada na Via Aventura que é o maior ginásio de escalada dos país (em altura e metragem quadrada).

Foto: Acervo Pessoal Anderson Gouveia

Foto: Acervo Pessoal Anderson Gouveia

Na nossa estrutura temos uma grande área de fitness e uma grande área de Power Cross, modalidade de exercícios funcionais como Crossfit por exemplo.

Hoje a maioria dos atletas internacionais são adeptos a esse sistema, além dos treinos de escalada, essa modalidade traz uma série de benefícios para os atletas de forma global, nem um dos exercícios é localizado e sim para o corpo todo ” CORE”.

Esses exercícios devem ter a orientação de um profissional de Educação Física sempre!

Trazem resultados rápidos e ajudam muito na prevenção a lesões provenientes da escalada.

Rock-Climbing-Indoor-Training-Video-628x356[1]Para termos uma planificação correta é preciso de uma boa avaliação do que você escala realmente, lembrando da matemática de Tribout, quais são seus pontos deficientes?

Falta resistência? falta força? técnica, leitura e etc…

Respondido essas perguntas faremos outras, qual seu objetivo?

Competições?

Quais?

Quando?

Performance na rocha?hangboarding[1]

Pretende escalar alguma grande via ou apenas fazer exercício?

As suas respostas são a chave para saber onde atacar!

Sempre faço planos a longo prazo, pois não existem métodos a jato, no mínimo 3 meses, normalmente 1 mês é apenas fase de adaptação, então pense a longo prazo de 6 a 8 meses.
Hoje estou treinando aproximadamente 8 atletas desses 4 vão competir na Áustria ano que vem.

Cada um tem de 6 a 20 anos de idade e tem treinos completamente diferentes.

Os outros 4 tem metas diferentes entre eles também, como disse no inicio do texto treinamento de escalada não é como receita de bolo, o que é bom para mim pode não ser bom para você.

É comum hoje vários atletas promoverem vídeos na internet com seus métodos de treinamento, muitas vezes parece fácil, você sabe porque?

Nas demonstrações aparece apenas poucas repetições só aquelas que são executadas com perfeição mas aposto que depois de um numero X a coisa fica feia.

Além disso aquele treino serve somente para ele naquele momento ou fase do treinamento.

trainamento

Por exemplo: vi muita gente correndo atrás de colete de peso após ver um escalador usando em um filme famosos de escalada, escalar com sobrecarga.

Em 99% das vezes é um “veneno” para os dedos e articulações dos braços!

Mas como ele era forte e estava usando.

classes-physical-training-for-climbers[1]

Proponho um teste, tente um dia o método piramidal selecione vias 80% da sua capacidade máxima.

Primeiro faça um bom aquecimento, 100 pulos na corda, 5 minutos de corrida, 5 minutos de bike + 2 vias bem fáceis.
De 8 minutos de recuperação;

Exemplo de pirâmide:

  • 1 x 7a
  • 1 x 7b
  • 1 x 7c
  • 1 x 7b
  • 1 x 7a

Obs.: Entre vias tem o tempo de 1 minuto de intervalo que deve ser respeitado a risca.

Isso sim pode ser considerado treino para melhoria de resistência, mas também não serve para todo mundo.

É apenas uma maneira de avaliar sua resistência e saber se esse grau esta mesmo solido!

Bom acho que é isso por hora, em uma outra oportunidade falaremos mais sobre métodos e objetivos de treinamentos e teremos a participação da minha esposa que foi preparadora física da seleção juvenil e ele poderá dar dicas preciosas sobre treinamento funcional.

mystique[1]

Acompanhamento profissional é super recomendado para se evitar graves lesões.

Eu por exemplo sou técnico de escalada, e preciso da ajuda de educadores físicos, fisioterapeutas e outros profissionais em meus treinos e sempre procuro pedir muitos conselhos a esses profissionais que acompanham meu trabalho ao longo desses anos.

There are 6 comments

  1. Prof. Orlei Jr.

    Há 20 anos atrás era comum ouvir: Está ganhando pq AINDA não se machucou!
    Todos copiavam as fórmulas “mágicas” dos escaladores americanos, europeus, … não havia pesquisa, literatura específica, protocolos de avaliação, método, produção de conhecimento, …
    Apostávamos.
    Perdemos muito!
    Buscamos o conhecimento e evoluímos.

  2. Gustavo Hanel

    Na busca pela “evolução a qualquer custo” cheguei a estourar um ligamento da mão chamado de “Metacarpo transverso” que nem fazia ideia que existia rsrsrs, sem contar outras lesões que envolvem rupturas parciais de tendões, inserções, torções no joelho e uma série de outras dores e princípios de lesões que a escalada me proporcionou sem o treinamento correto. É um esporte que exige disciplina, paciência e muita, muita dedicação (e paciência de novo rsrs). Encontrei o equilíbrio para evoluir sem ter lesões há apenas alguns anos, com o acompanhamento dos treinos por um profissional, que aliás é o mestre Anderson Gouveia. Mesmo com longos e constantes períodos de viagem a trabalho que me desligam completamente do esporte, ao retornar para casa e voltar aos treinos é nítido a solidez dos resultados e a importância que os treinamentos trouxeram para continuar evoluindo. Recomendo fortemente a todos(as) que façam um acompanhamento dos seus treinos por um profissional que entenda do esporte que você pratica ou busca praticar! Grande abraço a todos(as), e boas escaladas!

  3. Phillipe Soares

    Olá! Estou começando agora na escalada, mas já venho de treinos para triathlon. Com toda a certeza é muito importante o acompanhamento de um profissional, além de ter uma base muito bem preparada para evitar lesões.

  4. Carolina Andrade

    Adorei o texto, principalmente o ponto em que diz que é necessário ter o acompanhamento de Profissionais de Educação Física.
    Realmente, nosso corpo é único e o que é bom para mim não necessariamente será bom para o outro, receitas de bolo para treinamento realmente não existem.
    Adorei o texto.

  5. Carolina Andrade

    Adorei o texto, principalmente o ponto em que diz que é necessário ter o acompanhamento de Profissionais de Educação Física.
    Realmente, nosso corpo é único e o que é bom para mim não necessariamente será bom para o outro, receitas de bolo para treinamento realmente não existem.
    Adorei o texto.

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.