Monte Everest: Mais três montanhistas morrem em meio à superlotação da montanha

Várias agências internacionais de notícias emitiram nota de que mais três montanhistas morreram no Monte Everest (8.848 m), elevando o número de mortes para sete em apenas uma semana. A título de comparação, o número de mortes até o momento na temporada 2019 é maior do que o total do ano passado. Lembrando que novamente este ano há “promoções” bizarras e ações de marketing e que distorcem o espírito do montanhismo como saltar de parapente do cume da montanha, ou mesmo levar um saxofone.

De acordo com informações oficiais, os três montanhistas morreram de exaustão enquanto desciam no dia de ontem. O principal motivo é o assombroso “engarrafamento” que acontece perto do cume. A comunidade mundial de escalada frequentemente faz apelos pedindo que haja uma limitação na emissão de licenças para subir ao cume do Everest. Como maioria esmagadora dos que alardeiam e ambicionam chegar ao cume não são sequer montanhistas, este apelo é simplesmente ignorado por eles e pelo governo do Nepal.

O Nepal emitiu 381 licenças em 2019 a US$ 11.000 cada uma para a temporada de escalada da primavera, na montanha mais alta do mundo. O montante arrecadado possui um impacto gigante no PIB do país, que é um dos mais pobres do mundo, fazendo com que a necessidade de maior arrecadação supere a consciência e ética no montanhismo.

De acordo com a BBC, dois montanhistas indianos, Kalpana Das de 52 anos de idade, e Nihal Bagwan de 27 anos de idade, morreram enquanto desciam a montanha. A montanhista austríaco Ernst Landgraf de 65 anos morreu no lado norte do Everest que fica no Tibet. Como noticiado em primeira mão pela Revista Blog de Escalada para o Brasil, uma indiana e um americano faleceram na quarta-feira. Os veículos de comunicação do Nepal afirmam que um professor irlandês, Séamus Lawless, foi dado como morto depois de cair em uma greta em 16 de maio.

O número de pessoas que pretendem ascender ao cume do Monte Everest em 2019 pode exceder o recorde do ano passado, que foi de 807 pessoas.

There is one comment

  1. luis carloa

    A fila no supermercado, no banco já é desagradavel, pagar uma grana dessa p pegar fila em uma montanha depois de correr monte perigo, e ficar parado p chegar no cume kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk cada vez mais acho o ser humano, um sem noção.

Comente agora direto conosco

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.