Norte-americano morre em “engarrafamento” no Monte Everest

O montanhista norte-americano Don Cash, de Utah, morreu perto do Hillary Step, no Monte Everest (8.848 m). Hillary Step é uma parede rochosa, quase vertical, com altura de cerca de 12 metros, localizada no Monte Everest a aproximadamente 8.790 metros acima do nível do mar.

Cash, de 55 anos, fazia parte de uma grande equipe que fez um esforço de 12 horas para chegar ao cume com a empresa de guias Pioneer Adventures. Don Cash fazia parte de uma expedição de 15 membros liderada pelo montanhista chinês Yuan Li.

De acordo com os relatos, o montanhista entrou em colapso pouco depois de chegar ao cume, mas seus companheiros de cordada fizeram massagem cardíaca e o fizeram ficar consciente. De acordo com o jornalista especializado em assuntos do Himalaia Alan Arnette , os guias de uma descida mais rápida para ser atendido por médicos. Cash morreu antes de continuar a descida ao Campo Base para um melhor atendimento.

Desta maneira, até o momento, um total de 12 montanhistas morreram em montanhas com mais de 8.000 metros nesta temporada no Himalaia e vários outros estão se recuperando de doenças ou ferimentos. O assunto foi abordado em uma análise realizada pela Revista Blog de Escalada no dia de ontem.

Vale lembrar que este ano no Nepal nenhuma tempestade pegou equipes perto do cume, como na tragédia Everest em 1996. Além disso, não houve avalanche como em 2014 na Cachoeira Khumbu. Também este ano, felizmente, não houve nenhum terremoto como em 2015.

O corpo de Don Cash foi considerado “não recuperável”, segundo o jornalista Alan Arnette declarou em seu relato, e repousará no Monte Everest.

200 pessoas no cume em um só dia

De acordo com o jornal Kathmandu Post, mais de 200 montanhistas subiram ao Monte Everest nesta quarta-feira, estabelecendo um novo recorde para o maior número de escaladores para ficar no topo do mundo em um único dia.

Um escalonamento de 250 escaladores partiu do Acampamento IV, a 7.900 metros, na noite de terça-feira, na esperança de chegar ao topo do Everest até a manhã de quarta-feira, faltando apenas uma semana para a janela de ascensão da primavera acabar. Mais de 200, mas não todos os 250, chegaram ao topo. Os números exatos só estarão disponíveis quando os montanhistas descerem ao Acampamento Base.

O tráfego intenso representa riscos potenciais para os montanhistas se o tempo piorar repentinamente. Os engarrafamentos são perigosos, pois os montanhistas são expostos ao ar rarefeito e muitos podem ficar sem oxigênio durante a fase final da subida. A logística, de acordo com as agências de montanhismo, faz com que as equipes tenham de esperar longas horas para chegar ao topo, assim como para descer.

De acordo com o Departamento de Turismo do Nepal, 381 pessoas foram liberadas para escalar o Everest nesta temporada de primavera. Como cada montanhista contrata pelo menos um guia de escalada, o número total de subidas pode chegar a mil, estimou o departamento. Nos últimos três anos, a taxa de sucesso no Everest foi próxima de 70%.

Para entender os motivos de tantas mortes no Nepal este ano, acesse aqui: https://blogdescalada.com/

Comente agora direto conosco

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.