Universidade de Montanha : Saiba tudo sobre o curso de Guias de Alta Montanha e Trekking

Muita gente pergunta o que fazer para se tornar guia de atividades como trekking e escalada.

A ideia deste artigo é trazer algumas informações para você que está interessado no assunto.

Realidade no Brasil

No Brasil não existe nenhum curso para guia profissional dessas modalidades.

Existem cursos de escalada, por exemplo, mas nada específico para atuar profissionalmente, especialmente fora do país.

Não existe, também, nenhuma exigência nesse sentido por parte das agências e do público.

O que conta é a sua experiência nesse meio e um bom curso de primeiros socorros em áreas remotas e depois, contatos com pessoas do meio.

Foto : Acervo Pessoal Lisete Florenzano

Foto : Acervo Pessoal Lisete Florenzano

Cursos Internacionais

Para trabalhar fora do Brasil, já é outra história, pois é preciso ter um certificado de guia, que pode ser local ou de abrangência internacional.

Um dos mais reconhecidos em todo o mundo é o UIAGM (Union Internationale des Associations de Guides de Montagnes). O objetivo desse tipo de certificação é garantir a qualidade da formação dos guias, promovendo um treinamento profissional uniforme e a identificação desse profissional em qualquer lugar.

Pensando em abrir o leque de oportunidades como guia, eu e meu companheiro Vinícius Maltauro decidimos fazer um curso de guia de montanha em Mendoza, na Argentina.

Com o diploma dessa escola, podemos nos associar à AAGM (Associação Argentina de Guias de Montanha), que é filiada à UIAGM.

Assim, teremos a oportunidade de, ao finalizar o curso, fazer a prova específica para ter o certificado UIAGM.

Meio confuso… fazendo um paralelo para simplificar, é como um advogado que termina a graduação mas tem que fazer a prova da OAB.

Foto : Acervo Pessoal Lisete Florenzano

Foto : Acervo Pessoal Lisete Florenzano

O curso de guia de trekking e montanha é um curso universitário, feito na Escuela Provincial de Guias de Alta Montaña y Trekking (EPGAMT), e é dividido em fases sequenciais: o curso de guia trekking tem a duração de dois anos, depois mais dois (na sequência) para o curso de guia de montanha.

Os cursos podem ser feitos na forma presencial ou à distância.

Neste caso, você estuda as disciplinas através do material fornecido pelos professores através de uma plataforma virtual, entrega os trabalhos pedidos por eles e IMPRETERIVELMENTE TEM que participar das saídas em campo, a cada 20 dias, onde serão passadas as questões mais técnicas.

O curso é gratuito e para entrar você deve fazer uma inscrição online e ir até a escola numa data marcada pela secretaria para trazer uma papelada, desde exames médicos até documento de identidade, histórico escolar, etc.

Todos estes documentos tem de estar traduzidos por tradutor juramentados, e após isso histórico escolar reconhecido pelo Ministério da Educação Argentino (Ministerio de Educación de La Nación Argentina)

Documentos de identidade, contas bancárias e etc possuem um processo facilitado por conta do acordo de Mercosul entre Brasil e Argentina.

Feito isso, você ganha uma apostila que deverá estudar para as provas que serão feitas no começo do ano: prova teórica, prova física e análise de currículo de montanha.

Os pontos em cada prova se somam e no final entram no curso as pessoas com maior pontuação.

Foto : Acervo Pessoal Lisete Florenzano

Foto : Acervo Pessoal Lisete Florenzano

Mudança de Vida

Estamos aqui em Mendoza desde o final de novembro, indo atrás de muitas coisas ao mesmo tempo: documentação para a escola e para o documento argentino, trabalho, moradia.

Ainda não fizemos as provas, mas sabemos que temos ótimas chances de entrar (segundo amigos que estão na escola… rs).

Nossa vida, neste momento, é um livro totalmente em branco e cada página está sendo escrita a cada dia que acordamos.

Nada definido, mas com aquela sensação de que tudo vai dar certo, independente do que seja “certo”.

Foto : http://animalderuta.com/

Foto : http://animalderuta.com/

Seguir um sonho tem seu preço, mas vale a pena cada segundo de tempo e energia que colocamos para que se concretize.

Ano novo, vida nova, com bons ventos a todos!

Saludos desde Mendoza !

Sobre o Autor

Lisete Florenzano

Lisete Florenzano

Lisete Florenzano é escaladora a mais de 10 anos, e uma das brasileiras de maior destaque na prática de alta montanha

There are 7 comments

  1. Heitor

    Olá Lisete,

    Espero que nesse ano que se passou você e seu parceiro tenham alcançado seus objetivos.
    Eu acabei de conseguir visto para a Nova Zelândia e pretendo buscar a formação IFMGA uma vez lá.
    Gostaria muito de poder conversar com vocês para saber como estão indo as coisas no curso, quais foram os desafios que tiveram que enfrentar e algum conselho que tenham pra me auxiliar nesse longo caminho!

    Abraço

    1. Luciano Fernandes

      OI Fábio

      Como trata-se de um curso superior, é necessário que tenha diploma de 2º Grau. Este diploma tem de ser traduzido por um tradutor juramentado e reconhecido pelo Ministério da Educação Argentino.

      Como qualquer curso universitário este irá exigir que você aprenda as disciplinas, mas a universidade não exige que tenha curriculum de montanhista, até pela dificuldade de comprovação de cumes e atividades outdoor em vários países (incluindo o Brasil). Mas como acontece em um curso de engenharia por exemplo, que há muitas pessoas que tem dificuldade em cálculo, o mesmo pode acontecer em alguma disciplina na faculdade.

      Abs

  2. Rafael Pradda

    Lendo a matéria que por sinal é muito boa, me questionei a seguinte dúvida! Se não a cursos de guia de montanha no brasil, como é a formação dos guias de montanha brasileira, que na qual vemos aos montes Brasil a fora, se entitulando “guia de montanha” ?

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.