Trekking com crianças: Quais são as informações básicas para criar a futura geração outdoor

Os pais que são praticantes de atividades outdoor sempre se perguntam: como fazer trekking com crianças? A pergunta tem um motivo simples: a paternidade/maternidade é muito mais do que gerar um filho(a), é também deixar um legado para a humanidade. Criar a nova geração de pessoas que praticam esportes outdoor é tão, ou mais, importante que ter uma postura ética com o esporte.

Alguns esportes, não somente outdoor, vem sofrendo uma debilitação progressiva em qualidade de atletas que praticam o esporte. Este definhamento passa por vários fatores, mas um deles, talvez mais preponderante, é a renovação da nova geração. A criação de mitos e preconceitos com relação à introdução a crianças no esporte faz com que a geração de praticantes fique velha, conservadora e, infelizmente, resistente a mudanças e novas práticas. A partir de jovens praticantes, preferencialmente introduzidos pelos pais, a renovação natural das ideias e dos modelos de gestão, formas de ação e de trabalho é que fazem um esporte ficar mais, ou menos, em evidência.

Foto: Morgan Brechler | https://www.instagram.com/morganbrechler/

Todos nós, independente do sexo, quando pequenos sonhávamos ser alguém que fizesse a diferença no mundo. Para quem é adulto, especialmente na faixa dos 30 anos ou mesmo com vários filhos na vida, sabe que à medida que o tempo passou, sobraram muito pouco daqueles sonhos e idealismos. Exatamente por isso que a paternidade/maternidade não acontece somente na geração de uma nova vida, mas em toda formação desse outro ser humano. A cada fase da criança, seja menino ou menina, há uma nova oportunidade dos pais se reinventarem enquanto tutores e melhorarem como seres humanos. A introdução do filho(a) ao trekking ou hiking passa por estas oportunidades.

Antes de prosseguir com as informações básicas sobre como introduzir os filhos(as) ao trekking, é necessário ter em mente que o desenvolvimento de uma criança não acontece de forma linear. Durante a evolução a criança experimenta avanços e retrocessos, vivendo seu desenvolvimento de modo particular. Portanto, não siga as informações abaixo como uma “receita de bolo”, pois todo ser humano é diferente um dos outros. A construção da personalidade de uma criança deve respeitar cada idade, sabendo que sempre há um jeito próprio e particular de se manifestar. Os dados abaixo, sobre distância e peso, foram obtidos a partir de uma pesquisa com educadores físicos, pediatras e em livros de design de produtos. Todos estes números são médias, podendo variar de criança a criança.

Crianças de 0 a 3 anos

Foto: Hike it Baby | https://outdoorfamiliesonline.com/

Há um consenso entre os pediatras de que não há uma idade certa para a criança andar. O que é amplamente aceito é de que existe um período para que isso aconteça. De acordo com a literatura médica existente, o período para que uma criança ande é entre 10 e 18 meses. Entretanto, todos os médicos concordam em um ponto: tanto antecipar etapas, como não estimular a criança, podem ser geradores de futuros problemas.

Portanto, para os trekkings ou hikings os quais a criança não anda, o ideal é carregá-la com os baby carrier, uma espécie de mochila que permita a criança e os pais se locomoverem e terem um contato mais intenso com a natureza. Como uma criança, quando ainda bebê, costuma engatinhar entre 7 e 11 meses é importante levar um cobertor ou uma lona para que ele fique mais à vontade e minimizar o contato com o solo. Um outro aspecto que temos de ficar de olho é que a fase oral de uma criança tende a ser de 18 meses. Nesta fase a criança tende a usar a boca para descobrir o mundo e as diversas experiências do que a cerca pode dar.

Para as crianças que já caminham, o ideal é fazê-las andar distâncias entre 400 metros e 3 km, respeitando o limite físico da criança. A distância máxima proposta é mais recomendável para quem já está no limite da faixa etária de 0 a 3 anos.

Preferencialmente nesta idade, o ideal é não colocar a criança para carregar nenhum peso (especialmente as mochilas infantis para esta faixa etária). O motivo é até bem simples: a criança deve aprender o prazer de estar na natureza e entender o mínimo esforço. Os pais, por outro lado, é que devem portar mochilas para que a partir desta idade as crianças se espelhem neles e elas mesmas se sintam motivadas a serem “promovidas” a usar mochilas.

Crianças de 4 a 7 anos

Quando as crianças estão na faixa etária de 4 a 7 anos possuem toda a energia do mundo. Sendo esta faixa etária da vida de um ser humano a época ideal para conhecer a atividade de trekking e hiking. Nesta idade também é que possuem uma curiosidade imensa com tudo, querendo parar a cada minuto para entender o que está acontecendo. Esta curiosidade deve ser estimulada pelos pais, que também devem ensinar conceitos de perseverança, resiliência e foco.

Como nesta idade a criança já sabe manusear o garfo, lavar os dentes, pentear o cabelo, saltar sobre um pé apenas, empilhar objetos sem dificuldade e subir e descer sem grande dificuldade, a atividade de trekking e hiking passa a ser uma atividade prazerosa para ambos (pais e crianças).

Portanto, a atividade de trekking com crianças nesta idade não se limita a sair do ponto “A” para “B”. Deve existir uma “agenda”, com paradas para ensinamentos, reflexões, contemplações e conversas sobre o dia a dia da criança. Pode parecer apocalíptico, mas é fundamental que os pais aproveitem esta faixa etária, pois após isso já se aproxima a adolescência e tudo um outro conceito de diplomacia na educação.

Para as crianças na faixa etária de 4 a 7 anos, o ideal é caminhar de 3 km a 7 km. Este tipo de atividade irá queimar muito da energia que crianças possuem, sem qualquer risco de lesão. Um outro aspecto que deve ser levando em conta pelos pais nesta introdução é o uso de mochilas. O motivo é evidente: todo trekking ou hiking, o praticante sempre usa mochila. Na literatura médica existente, estima-se que uma criança pode carregar de 15 a 20% do peso corporal. Como é uma introdução à atividades de montanha, a prudência é ficar entre 5 a 15% no máximo.

Crianças de 8 a 13 anos

Foto: https://www.fatherly.com/

A faixa etária acima de 8 anos pode ser gratificante para pais e mães dispostos a realizar travessias, trekking mais exigentes e hikkings fortes. Nesta idade as crianças começam a ter uma resistência física compatível com atividades que adultos conseguem realizar. Isso não significa forçar uma criança de nove anos a caminhar 10 km em cada passeio seja uma boa ideia. Forçar crianças a realizar atividades é fazer com que elas acabem odiando a atividade.

O que é imprescindível no ato de realizar atividades físicas com crianças é procurar ter uma atividade positiva. Fazer trekking com crianças o que menos importa é a distância, mas que ela sinta prazer e diversão em fazer uma caminhada.

Como nesta idade a resistência física varia muito de criança a criança, assim como o peso e disposição, o mais indicado é que distâncias de 10 a 15 km sejam as atividades de trekking a serem realizadas. Como as crianças possuem muita energia nesta idade, a capacidade de carregar peso também é incrementada, por isso os pais e mães devem estar atentos a não ultrapassar 15% do peso corporal da criança nas mochilas.

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.