Pastora de Criciúma vai subir Everest contra tráfico de pessoas

Mt-Everest-8[1]Escalar em alta montanha é um sonho que muitas pessoas possuem.

Escalar o Everest é icônico e a bastante tempo virou muito mais propaganda marketeira do que outra coisa.

Não desmerecendo o Monte Everest, que ainda continua um desafio master a quem aprecia o gênero de escalada em alta montanha.

Mas a prova da banalização deste tipo de desafio foi publicado pelo site Kampa hoje.

Uma pastora pastora da Igreja Luterana de Criciúma-SC para escalar a montanha mais alta do mundo em nome de chamar a atenção para o combate ao tráfico de pessoas.

Visivelmente influenciada, claro, pela atual novela da oito da Rede Globo.

Seria isso um símbolo da banalização (e cafonização) da escalada?

Notícia difundida por : http://kampa.com.br/

Formado em Engenharia Civil e Ciências da Computação, começou a escalar em 2001 e escalou no Brasil, Áustria, EUA, Espanha, Argentina e Chile. Foi jurado do Rio Mountain Festival e já viajou de mochilão pelo Brasil, EUA, Áustria, República Tcheca, República Eslovaca, Hungria, Eslovênia, Itália, Argentina, Chile, Espanha, Uruguai, Paraguai, Holanda, Alemanha e Canadá. Realizou o Caminho de Santiago, percorrendo seus 777 km em 28 dias.

There are 3 comments

  1. Lucas

    Banalização da escalada? A montanha é somente dos escaladores? Vamos la gente, a montanha não é de ninguém, aliás, ela é de todo mundo. A mulher esta fazendo uma puta de uma trip doida para chamar a atenção para um problema bem grave e vocês preocupados com a banalização, ou pior, a cafonização, da escalada?
    Depois não poderemos reclamar que a escalada é esporte da Elite Brasileira se continuarmos pensando assim.

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.