Pastora de Criciúma vai subir Everest contra tráfico de pessoas

Mt-Everest-8[1]Escalar em alta montanha é um sonho que muitas pessoas possuem.

Escalar o Everest é icônico e a bastante tempo virou muito mais propaganda marketeira do que outra coisa.

Não desmerecendo o Monte Everest, que ainda continua um desafio master a quem aprecia o gênero de escalada em alta montanha.

Mas a prova da banalização deste tipo de desafio foi publicado pelo site Kampa hoje.

Uma pastora pastora da Igreja Luterana de Criciúma-SC para escalar a montanha mais alta do mundo em nome de chamar a atenção para o combate ao tráfico de pessoas.

Visivelmente influenciada, claro, pela atual novela da oito da Rede Globo.

Seria isso um símbolo da banalização (e cafonização) da escalada?

Notícia difundida por : http://kampa.com.br/

Engenheiro e Analista de Sistemas, começou a escalar em 2001 e escalou no Brasil, Áustria, EUA, Espanha e Argentina. É totalmente dedicado ao esporte de escalada em rocha e é apaixonado em filmes Outdoor. Para aproveitar melhor esta paixão fez curso de documentário na Escola São Paulo, além dos cursos de “Linguagem Cinematográfica” e “Crítica de cinema”. Foi jurado do Rio Mountain Festival. Já viajou de mochilão pelo Brasil, EUA, Áustria, República Tcheca, República Eslovaca, Hungria, Eslovênia, Itália, Argentina, Espanha, Uruguai e Paraguai, Holanda, Alemanha e Canadá.

There are 3 comments

  1. Lucas

    Banalização da escalada? A montanha é somente dos escaladores? Vamos la gente, a montanha não é de ninguém, aliás, ela é de todo mundo. A mulher esta fazendo uma puta de uma trip doida para chamar a atenção para um problema bem grave e vocês preocupados com a banalização, ou pior, a cafonização, da escalada?
    Depois não poderemos reclamar que a escalada é esporte da Elite Brasileira se continuarmos pensando assim.

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.