Viagens de avião: É possível viajar com equipamentos outdoor na bagagem de mão?

Às vezes para escalar para um lugar interessante, é necessário viajar. Mesmo tendo o “melhor lugar do mundo” perto de casa, às vezes é necessário também viajar a outro estado ou país para conhecer outros desafios. Observando os melhores escaladores do mundo, aqueles que de fato fazem parte da elite do esporte, é perceptível que todos estão constantemente viajando para conhecer novos lugares. O escalador que somente escala no mesmo lugar, nunca sequer saindo constantemente do estado que vive, condena a sua escalada à mediocridade. A frase, caso alguém acredite que é muito dura, pertence ao espanhol Dani Andrada, proferida em uma das muitas entrevistas que concede à Espanha.

Mas com o surgimento de novas companhias aéreas consideradas de “baixo custo” (conhecidas comercialmente como Voos Low Cost), a prática de despacho de bagagens pode encarecer a sua viagem consideravelmente. Estas empresas de voos low cost operam valores de passagem muito mais baratos em relação às empresas aéreas mais conhecidas e maiores. As empresas alcançam valores tão baixos por que eliminam custos inerentes aos serviços que costumam ser oferecidos pelas grandes companhias aéreas. Uma passagem aérea de um voo low cost, o passageiro tem direito a apenas ao voo (literalmente!) e uma bagagem de mão. Despachar bagagem de mão gerará taxas extras.

Para a felicidade de muitos, voos low cost já podem ser feitos do Brasil para a Argentina e Chile. Para quem deseja ir a estes lugares para escalar, parece um presente dos Deuses. Mas para praticar esta atividade, é necessário usar os equipamentos, correto?

A partir daí surge o pequeno problema em quem deseja viajar com equipamentos de escalada: será que eu posso levar os meus equipamentos de escalada em uma bagagem de mão? A resposta, como tudo nesta vida, é um imenso “depende”. Isso porque dentro da categoria de equipamentos de escalada varia desde uma piqueta de escalada em gelo a uma sapatilha de escalada.

Todas as restrições de equipamentos que podem, e não podem, serem carregados na bagagem de mão sofreram fortes restrições desde o ataque terrorista de 2001 (conhecido como ataque às torres gêmeas ou simplesmente 11 de setembro). Para quem voa frequentemente sabe que a rigidez dos equipamentos permitidos, variam muito se o voo é nacional ou internacional. Alguns são expressamente proibidos, como explosivos, gases, líquidos inflamáveis, sólidos inflamáveis, oxidantes, armas de fogo, armas brancas, objetos pontiagudos e aerossóis.

Geralmente itens eletrônicos, como notebook, celular, barbeadores elétricos e GPS, são aceitos após uma revista. Esta revista é que reside o problema de tudo, pois depende muito do humor, boa vontade e conhecimento da segurança. Isso porque estes profissionais são treinados para desconfiar de qualquer coisa que não entende. Mas alguns itens, baseado na lista citada acima é possível intuir.

Itens outdoor proibidos

  • Gás de fogareiro (de propano, butano e similares)
  • Canivete suíço
  • Multiferramentas (com Lâmina)
  • Alicate
  • Crampon
  • Crash-pad
  • Piquetas de escalada em gelo
  • Vara de pescar
  • Magnésio Líquido

Itens outdoor permitidos , após inspeção

  • Isolante inflável
  • Saco de dormir
  • Repelente de mosquito (até 100 ml)
  • Monopé
  • Fogareiro (somente o fogãozinho, sem o botijão)
  • Protetor labial
  • Isqueiro zippo
  • Drones
  • Silver tape
  • Lanterna
  • Headlamp
  • Capacete de escalada
  • Bastão de caminhada (em modo compacto)
  • Multiferramentas sem lâminas
  • Nuts de entalamento
  • Mosquetões
  • Costuras de escalada
  • Corda de escalada
  • Cadeirinha de escalada
  • Magnésio (lacrado).

Estes são apenas alguns itens que estão listados no site do Transportation Security Administration dos EUA, que disponibiliza uma lista a qual é seguida por grande parte dos aeroportos em todo o mundo. O melhor a fazer para uma viagem, seja ela internacional ou nacional, é entrar em contato com a sua companhia aérea para informar-se.

No momento que obter a informação, não esqueça de anotar o nome e a função da pessoa que lhe passou a informação. Isso porque, como foi colocado acima, existe muita discrepância de conhecimento entre os agentes de companhias aéreas e os seguranças de aeroportos.

There are 2 comments

  1. Rafael Braga

    Oi Natália,

    Ótima matéria. Compatilhando uma experiência: na Argentina, indo para Mendoza para fazer o Plata e o Aconcágua, tive problemas no Aeroparque com as hélices do meu drone. O funcionário (diga-se de passagem muito pouco cordial), disse que precisariam seguir com a bagagem despachada, o que me rendeu uma espera de quase 1 hora.

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.