Outro montanhista indiano é acusado de falsificar subida ao Monte Everest

Conforme publicado em primeira mão para América Latina pela Revista Blog de Escalada, três montanhistas indianos estão sendo acusados de fazerem falsas alegações de que chegaram ao cume do Monte Everest (8.848 m) no início de junho. No dia de ontem foi divulgada uma outra notícia de uma montanhista poderia ter falsificado sua foto no topo para conseguir o certificado. Segundo o jornal Himalayan Times, as autoridades nepalesas agora afirmam desconfiar das alegações de Nahida Manzoor, montanhista de 26 anos da Índia, que alega ter chegado ao pico mais alto do mundo em 22 de maio.

Os questionamentos sobre as alegações da montanhista indiana, vieram à tona à medida que membros do Departamento de Turismo do Nepal revisaram as provas documentais de cume, após o término da temporada de escalada. Manzoor recebeu seu certificado de cume em 13 de junho com base na recomendação da empresa que a guiou: Snowy Horizon Treks & Expeditions. A montanhista também recebeu recomendação do oficial de fiscalização do Nepal, Dilli Bahadur Thapa. Mas outros montanhistas que fizeram cume no mesmo dia dizem que Nahida não foi até o topo e foi deixada para trás por Nima Kancha Sherpa, seu guia de escalada, no Col Sul da montanha.

A partir das denúncias dos outros montanhistas, Bodhraj Bhandari, diretor da agência de turismo que guiou a montanhista, se apressou em dizer que a recomendação para o certificado de cume foi para toda a equipe de oito pessoas e que foi apenas foi informado que Nahida Manzoor chegou ao topo da montanha. Enquanto isso, Dilli Bahadur Thapa parece não ter sequer ido ao Acampamento Base do Everest e simplesmente carimbou o certificado de cume sem verificar a autenticidade. Esta negligência é uma prática comum entre os oficiais de fiscalização do Nepal, que ignoram rotineiramente os requisitos do seu trabalho.

Crédito da foto: The Himalayan Times

Segundo o jornal informa, Manzoor manipulou a foto do topo de outro escalador para atender às suas próprias necessidades. Ao criar a foto alterada, Manzoor aparentemente alterou a resolução da imagem, mudando a cor da roupa que o montanhista original estava vestindo, além de outros detalhes.

Cautelosas ao abordar o assunto, as autoridades nepalesas não chegaram a afirmar que Nahida Manzoor falsificou sua chegada ao cume, mas prometeu que abrirá uma investigação sobre o assunto. Se ela for considerada culpada, seu certificado de cume será anulado e apagado dos registros. Manzoor provavelmente também receberá uma proibição de escalar no Nepal por um período mínimo de cinco anos.

There is one comment

Comente agora direto conosco

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.