Ministério do Turismo do Nepal divulga números finais da temporada no Monte Everest

Os números oficiais da temporada de montanhismo no Monte Everest (8.848 m) foram publicados pelo Ministério do Turismo do Nepal. Um dos objetivos principais desde número publicado pelo governo nepalês, é mitigar boatos e também servir de parâmetros para futuros investimentos no turismo do país. Analistas consideram que o ano de 2019 foi a temporada de montanhismo no Monte Everest, mais polêmica da história e que a imagem do cume superlotado irá impactar a maneira com a qual o público enxerga o fato de uma pessoa subir ao cume do Monte Everest.

De acordo com dados oficiais do Ministério do Turismo do Nepal, foram emitidas 381 licenças para o Monte Everest. Além disso, foram emitidas licenças para 378 guias, gerando um total de 659 pessoas que chegaram ao cume. Destes apenas um sem oxigênio suplementar: Juan Pablo Mohr. Da mesma maneira que em 2018, nenhuma rota nova foi escalada em 2019.

O recorde de cumes do lado nepalês ainda pertence à temporada de 2018, com 802 ascensões.

Os números oficiais do lado tibetano ainda não foram divulgados, mas com base na estimativa feita por Alan Arnette, as licenças emitidas pela China foram 144 para montanhistas e 220 para o pessoal de apoio. O total de cumes deve ter sido 264.

Somando as ascensões dos dois lados, é fácil chegar ao número recorde de 923 pessoas no topo do Everest.

No total, dos 11 montanhistas que perderam a vida foram 9 do lado nepalês e 2 do lado tibetano. Apenas uma morte foi causada por uma queda, o restante foi por fatores relacionados à altitude: doença de altitude, exaustão e problemas de saúde.

Ao todo, para a prática de montanhismo no Nepal, foram emitidas 868 licenças para um total de 30 montanhas. As campeãs de “popularidade” para ascensões foram (excluindo o Monte Everest):

  • Lhotse – 98 licenças
  • Makalu – 53 licenças
  • Ama Dablam – 49 licenças

Photo: Shobha Banwala/Facebook

Houve também uma tentativa de fraude, na qual três indianos mentiram sobre chegar ao cume do Everest. A notícia foi publicada em primeira mão para a América Latina pela Revista Blog de Escalada.

Como todos os anos há também uma tentativa de fraude : três indianos mentiram sobre chegar ao cume do Everest. Como os indianos não elaboraram muito a fraude, foi descoberta de maneira muito rápida. O Departamento de Turismo ainda está investigando o caso.

A circunstância pode fazer as pessoas rirem, mas isso levanta um velho problema de eficiência de serviços públicos no Nepal. Isso porque funcionários do governo nepalês deveriam estar no acampamento base durante todo o período das expedições. Entretanto estes mesmos fiscais retornaram a Katmandu depois de alguns dias ou até mesmo nunca foram até lá.

Comente agora direto conosco

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.