A história dos Crash Pads

Onde existir um um escalador apaixonado pela modalidade de boulder, conhecido no universo da escalda como boulderista, existirá um crash pad. Este equipamento curioso que, em síntese, é um colchão em forma de mochila e que é um dos símbolos de quem pratica a modalidade. Curiosamente, poucos praticantes da modalidade sabem a história dos crash pads. Portanto, procurar saber um pouco sobre este equipamento, a história da modalidade também irá aparecer.

Para quem não sabe, a prática de boulder na Europa nasceu junto com Pierre Allain, um alpinista francês que começou a escalar boulder na década de 1920. Portanto, há quase 100 anos. Na década de 1930 Allain se juntou com várias outras pessoas na região de Fontainebleau, na França. Este grupo de amigos ficou conhecido como os bleausards. O termo em francês significa em tradução livre como “o grupo Bleau”.

A história dos Crash Pads

Pierre Allain

A menção mais antiga à escalada em Fontainebleau pode ser encontrada nos anais do Clube Alpino Francês de 1910, que relata uma excursão feita por entusiastas, por ocasião do congresso internacional de montanhismo que aconteceu durante a exposição mundial de 1900 “les bois de Larchant”. A exposição era para celebrar as conquistas do século passado e acelerar o desenvolvimento para o próximo. Na época, o Clube Alpino Francês organizava viagens na floresta de Fontainebleau, denominadas “caravanas escolares”. É nesse contexto que em 1907 aparece o informal Groupe des Rochassiers.

Surgido depois dos rochassiers, os bleausards eram, em síntese a nova geração da escalada francesa e consistia em um grupo de pessoas que ia para Fontainebleau praticar em rochedos da floresta. Este grupo começou então a desenvolver um estilo de escalada diferenciado dos demais, o boulder. No livro de Pierre Allain de 1949, Alpinisme et Competition, o autor expressa sua apreciação por essa especialidade de escalada simples e discreta. Para facilitar a experiência de escalada, Pierre Allain desenvolveu, ainda na década de 1930, os primeiros calçados macios com sola de borracha especialmente projetados para escalada em rochas. Este calçado foi o alicerce para o desenvolvimento das sapatilhas de escalada.

A história dos Crash Pads

Pierre Allain

Na década de 1950, Allain abriu uma loja de montanhismo em Paris, onde, entre outros itens inovadores, ofereceu os primeiros mosquetões de liga metálica modernos. O escalador francês, entretanto, não chegou a desenvolver nada mais específico para a prática de boulder. Todos, incluindo Pierre, usavam uma espécie de tapete com palha e folhas de árvores embaixo para amortecer a queda. O costume acabou importado pelos EUA. Os escaladores norte-americanos reclamaram de que, dependendo da altura, este forramento era ineficiente. Pois, diferentemente da França, alguns locais dos EUA eram longe de florestas e em áreas desérticas.

Foi aí que Neal Kaptain, um dos principais boulderistas dos EUA e fundador da revista Rock and Ice, talvez tenha sido o primeiro a fazer um equipamento mais acolchoado e totalmente dedicado para boulder. Seu equipamento consistia de têm camadas de espuma EVA e de carpete entre os tapetes. O equipamento era do tamanho de uma pasta executiva (pouco maior que uma folha A4), com uma dobradiça no meio e alças de transporte.

A história dos Crash Pads

Diversos modelos de crash pad

A “tecnologia” de amortecimento foi passada a Bruce Pottenger, proprietário da empresa Kinnaloa, que na época era uma empresa de fundo de quintal que fabricava camisetas e bolsas de magnésio para escaladores. A ideia era de que ambos pudessem explorar o “sketchpad”, o primeiro nome que o crash pad teve. Foi aí que a empresa norte-americana Metolius gostou da ideia e, a partir de algumas modificações, começou a fabricar a sua própria versão de crash pad.

Já no final dos anos 1980, o escalador norte-americano John Shermin, o boulderista responsável por desenvolver a escala V, a qual é usada em boulder, estava em Hueco Tanks. A comunidade de escalada norte-americana afirma que foi nessa viagem que ele se apaixonou pela prática de boulder. Shermin foi dos primeiros a desenvolver os primeiros guias dedicados somente à prática de boulder e isso fez com que a modalidade se populariza-se.

A história dos Crash Pads

Com a popularização da prática de boulder, a demanda por modelos de crash pads explodiu. Fazendo com que mais e mais fabricantes desenvolvessem seus próprios modelos. Esta busca pelo “melhor modelo” fez também que o tamanho dos modelos, além da qualidade, aumentasse significativamente.

Atualmente os modelos são muito parecidos uns com os outros, sendo um crash pad, em média, de duas folhas de uma espécie de “sanduíche duplo” de EVA’s e espuma de uma dureza maior, envoltos em uma capa de material resistente à abrasão tipo cordura. Em geral, cada folha de crash pad possui 10 a 15 cm de espessura e 1 metro de largura por 1,20 metro de altura.

Comente agora direto conosco

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.