Saiba como foi o primeiro festival feminino de escalada do Equador

Por Andrea Castillo

Realizado entre 29 junho e 1º de julho deste ano, o Warmikuna Rockfest 2018 foi o primeiro Festival Feminino de Escalada do Equador. O evento foi realizado pela equipe esportiva de escalada Latitud Cero Climbing. A empresa foi fundada por Andrea Castillo, com o objetivo de impulsionar os projetos de escalada feminina e motivar mais e mais pessoas a alcançar os sonhos e contribuir com o desenvolvimento do esporte no Equador e no mundo.

A ideia para o evento surgiu da observação da idealizadora do evento. Nos últimos anos as mulheres equatorianas vêm tomando cada vez mais protagonismo dentro da escalada e no universo outdoor. Somente para mencionar algumas, temos visto como exemplo pessoas como Juliana Garcia, Carla Pérez, Margarita Cardoso, Andre Castillo, Damaris Jaramillo, Paola Bravo, Marcela Castro, Carolina Rosero, Mafer Cevallos, Estefanía Bravo, Andrea Cordovés, entre muitas outras.

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Uma publicação compartilhada por alita climbing (@alitaclimbing) em

Anos atrás não eram vistas tantas mulheres em ginásios de escalada e muito menos na rocha. A escalada feminina está crescendo no Equador e no mundo, por isso começaram a aparecer festivais e movimentos focados na mulher. Como exemplos deste crescimento podemos citar os seguintes: Flash Foxy (EUA), Rockeras (Chile), Queens of the Rocks (México), Mujer Montaña (Argentina), She Move Mountains (EUA), entre outros.

O planejamento do evento durou aproximadamente um ano e meio. Tudo começou a ser colocado em prática logo após o término das filmagens do projeto Latitud Cero Climbing Rocktrip Ecuador 2017. Eu, Andrea Castillo, me motivei a fomentar a que mais e mais mulheres se motivassem a escalar, treinem duro, superem seus próprios limites e percam os medos. Além de tudo isso que consigamos formar uma comunidade sólida de mulheres escaladoras.

Mas não somente como uma questão de extremo feminismo, mas também como uma forma de juntarmos a partir disso para motivar-nos a crescer, considerando desde o início que somos iguais e capazes de alcançar os sonhos que quisermos.

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Uma publicação compartilhada por Andre Castillo (@andrecastillo_climber) em

Por este motivo é que nasceu este evento e, para minha felicidade, reunimos escaladores de Equador, México, Chile, EUA, Venezuela, Colômbia, Inglaterra e Espanha. O mais importante: não houve nenhum tipo de segregação com homens no evento. Isso porque todos os homens estiveram sempre convidados e quem quis participar do evento, esteve presente.

O local escolhido, Acantilado de San Juan (veja o lugar no vídeo no topo do artigo), tem um motivo especial. É um dos lugares de escaladas mais populares de todo o Equador, com mais de 100 vias, porém com uma fragilidade ambiental acentuada. Quem visitar o lugar verá que a comunidade indígena está muito vinculada com a escalada, mas os escaladores ainda não repararam neste aspecto. Muitos chegam a ocupá-lo como se fora deles, sem nenhum respeito pela natureza ou cuidado com o meio ambiente.

Muitos deles colocam música alta, deixam lixo pelos setores, fazem necessidades fisiológicas em qualquer lugar (próximo das vias ou do rio) e, o pior, não interagem com as pessoas da comunidade.

Objetivo alcançados

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Uma publicação compartilhada por Kathy Pico (@kathypicomotivacion) em

O evento foi um sucesso, sem dúvida nenhuma. Através do festival conseguimos:

Dar visibilidade ao problema meio ambiental que começa a aparecer em todos os lugares de escalada, pelo grande fluxo de pessoas (muitas delas desinformadas).

Contribuir com a comunidade indígena Pilingui: escalando com os mais jovens e ajudando nutricionalmente o Refúgio “Chakana templo de montaña”, falando sobre comida vegana. Tudo supervisionado pelo chef Pietro Grana, que foi quem compartilhou seus conhecimentos com os cozinheiros do lugar.

Arrecadar fundos para a abertura e reequipamento de vias de escalada no Equador: Com o dinheiro das inscrições, foram compradas 200 chapeletas e bolts, para manutenção em todos os 2019 setores de escalada em todo o Equador.

Próxima atração

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Uma publicação compartilhada por ElementaryTraining (@elementarytraining) em

Este foi o primeiro encontro, e de certa forma foi o piloto do que vem por ai em 2019. O Warmikuna Rockfest será em outro setor de escalada, durará mais dias e, o melhor ainda, virá uma escaladora profissional ao equador para compartilhar com todas, aspectos de suas vida em vários dias de escalada. O primeiro festival foi uma forma de aprendizagem para repetir anualmente este evento, de forma cada vez melhor e diferente.

O próximo evento será o Escalaton Rockfest, uma outra modalidade de evento, que visará mais a parte competitiva. Marcado para ser realizado no próximo dia 20 de outubro em Vilatuña, terá o mesmo objetivo de seguir juntando dinheiro para a compra de material para equipar e manutenção de setores de escalada no Equador.

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.