Corte suprema do Nepal derruba restrição de cegos e bi-amputados ao Everest

A corte suprema do Nepal derrubou a restrição imposta pelo ministério do turismo nepalês a cegos e bi-amputados de escalar o Monte Everest (8.848 m). A batalha jurídica, a qual participou um verdadeiro batalhão de advogados. Argumentava que as regras de restrição eram discriminatórias a pessoas com deficiência. A máxima instância jurídica do Nepal, que seria o equivalente ao Supremo tribunal Federal do Brasil, discutiu intensamente o assunto nos últimos meses.

Os cinco juízes que fazem parte da Corte Suprema do Nepal acharam os argumentos apresentados pelos advogados muito bem fundamentados e pediu que o conselho de ministro do Nepal retirasse as restrições da nova regulamentação.

O corpo burocrático do Departamento de Turismo Nepalês indicou que irá acatar a determinação da Suprema Corte assim que recebê-la formalmente. O porta-voz da autarquia afirmou que entendeu os argumentos e que assim que receber formalmente as determinações, as colocará em prática.

A restrição tinha sido imposta desde 2007, gerando vários protestos de empresas de turismo que exploram o montanhismo do Monte Everest (8.848 m) no Nepal, assim como diversos montanhistas portadores de deficiência física. O argumento do Departamento de Turismo do Nepal era de que queriam restringir a maciça visitação ao Monte Everest (8.848 m), procurando adicionar vários filtros, como o pedido de um currículo mínimo de montanhismo.

Entretanto o Departamento de Turismo Nepalês, mesmo com todas as restrições impostas, não conseguiu ainda frear a busca de celebridades e pessoas não ligadas ao montanhismo como, por exemplo, apresentadores de TV e outro tipo de aspirantes a subir ao cume do Monte Everest (8.848 m).

O movimento para a remoção da restrição a deficientes teve como grande expoente Hardi Budha Magar, nepalês bi-amputado que atualmente mora na Inglaterra. O montanhista esta se preparando para subir ao Monte Everest (8.848 m) na temporada de 2018.

Entretanto, a corte suprema não se manifestou contrária a remover a restrição a montanhistas abaixo de 16 anos de idade, ou escaladores em estilo solo ao Monte Everest.

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.