Meias de trekking: O que todo praticante de trekking deveria saber?

Umas das mais importantes peças de vestuário de um praticante de trekking são as meias. Um dos papéis das meias é absorver a transpiração, mas as designadas para o trekking ela deve não somente fazer isso, mas também permitir a evaporação do suor e dos calor.

As meias evoluíram ao longo dos séculos a partir dos modelos mais antigos, feitos de peles de animais reunidas e amarradas nos tornozelos. Por volta do século 2 d.C., os romanos começaram a costurar os tecidos, fazendo meias ajustadas chamadas “udones”.

Poucos praticantes de trekking usam liners, porém é um dos segredos de quem pratica trekking de longa distância. Se o usuário estiver tendo problemas com bolhas, os liners podem resolvê-las. Liners são meias extremamente finas de um polipropileno sintético que retira a umidade dos pés, removendo o agente causador de bolhas. Usualmente durante o trekking é usada junto com uma outra meia de trekking.

O habitual é que aqueles que frequentam a montanha usem dois tipos de meias: uma mais fina para o verão (mais baratas) e um segundo par mais grosso para o inverno (mais caras). Portanto, a temperatura ambiente é que vai determinar que tipos de meias de trekking devem ser escolhidas. Portanto, pela temperatura:

  • Meias de 3 estações: São modelos bastante confortáveis ​​que podem ser usadas em trekking que variam de 5°C a 30 °C, com uma espessura média e com várias opções sintéticas.
  • Meias de 4 estações: São modelos mais grossos, projetados para serem usadas na faixa de 10°C a -5°C.
  • Frio extremo ou 5 estações: São modelos projetados para temperaturas muito baixas: de -5°C a -20°C, que devem ser usadas necessariamente com um calçado térmico específico e não apenas uma simples botas de trekking.

Para serem usadas exclusivamente no Brasil, com raríssimas exceções, o ideal é a meia de trekking de 3 estações. Entretanto, para atividades como a Travessia da Serra Fina, ou alguma outra atividade na Serra da Mantiqueira ou Serra do Mar no inverno, é recomendada as meias de trekking de 4 estações. Já para realizar qualquer caminhada na Patagônia, ou mesmo na Cordilheira dos Andes (desde que não seja uma atividade de alta montanha) é mandatório que seja, no mínimo, a meia de 4 estações.

Para toda e qualquer atividade de alta montanha, ou algum trekking invernal na Patagônia ou Cordilheira dos Andes, as meias de frio extremo são as mais indicadas.

Materiais

A distribuição e proporção de cada um dos materiais têxteis geralmente aparece na embalagem. Muitos vendedores sabem de memória cada um dos materiais. Porém poucos deles sabem quais as vantagens e as desvantagens deles.

  • Algodão orgânico: Esta fibra natural não são indicadas para fazer trekkings, apenas caminhadas urbanas. É muito agradável com altas temperaturas devido à sua excelente respirabilidade, mas deve ser evitada em áreas úmidas e no inverno.
  • Lã Merino: Esta fibra natural oferece bom isolamento térmico, mesmo quando está molhada. Entretanto, algumas pessoas desenvolveram sensibilidade ao material e, por isso, deve evitar usá-la para evitar coceira ou irritação na pele.
  • Lã de alpaca: Esta fibra natural provê menos coceira que lã comum, porque o comprimento da fibra é muito menor que a lã de merino, tornando-a macia e confortável em contato com a pele.
  • Fibra de bambu: Por causa da estrutura oca das fibras é muito absorvente e remove efetivamente a umidade da pele, oferece respirabilidade comparável ao algodão ou à lã.
  • Poliamida: Esta fibra sintética oferece maciez, resistência à fricção e manutenção da forma original da meia.
  • Polipropileno: Esta fibra sintética é muito leve com excelente velocidade de evaporação do suor.
  • Poliéster: Esta fibra sintética fornece isolamento térmico (se forem fibras ocas como as Thermolite) e transporte de umidade se forem fibras multicanal (seção em forma de estrela como as de CoolMax).
  • Lycra ou Elastano: Esta fibra sintética possui filamentos de borracha que proporcionam elasticidade e suporte, frequentemente presentes no cano da meia.
  • Fios de Prata ou cobre: Estas fibras sintéticas estão em pequenas quantidades nas meias, mas possuem micro partículas antibacterianas projetadas para minimizar o mau cheiro. Os fios de prata ou cobre evitam a proliferação de bactérias e fungos.
  • Acrílico: Esta fibra sintética não absorve umidade semelhante a certas lãs. Portanto, as empresas incorporam este material para reduzir o volume do material primário (como a lã), e ainda mantém sua capacidade de reduzir a absorção.

Comente agora direto conosco

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.