Conheça Pitumarca: O paraíso (quase virgem) de escalada em calcário no Peru

Pergunte a 10 pessoas qual a primeira coisa que vem à cabeça quando pensa sobre Peru. Grande parte das respostas fará referência a Machu Picchu e às ruínas maias. Mas e para escalar? Algumas pessoas irão responder rapidamente Cordillera Blanca e Huascarán.

Entretanto, poucas pessoas já ouviram falar sobre Pitumarca, uma pequena cidade a pouco mais de 100 km de Cusco.

O local, pouco difundido entre as comunidades de escalada da América do Sul, abriga um dos maiores paraísos de escalada em calcário do continente. Ainda engatinhando no desenvolvimento, o Parque de Escalada Ch’acco Huayllascca, próximo à cidade peruana de Pitumarca, é um dos muitos lugares existentes na América do Sul que vale uma visita.

Atualmente com pouco menos de 100 vias conquistadas, possui um potencial de desenvolvimento para, pelo menos, 5 vezes mais que isso. Grande parte das vias é de 20 metros.

Como chegar

A cidade de Pitumarca pertence à Região de Cusco no Peru e possui aproximadamente 7.000 habitantes. A cidade fica distante de 104 km de Cusco, cidade a qual é ponto de partida para visitar Maccu Pichu.

Portanto a cidade é bem pequena e não há um aeroporto para quem deseja o máximo de conforto. Lá, aliás, é um bom teste para quem quer provar que é sem frescuras.

  • Carro

Muitas pessoas se perguntam se é possível ir a Pitumarca de carro desde o Brasil. A resposta é sim! Possível é. Mas quem planejar fazer a viagem deve estar atento à documentação de carro exigida pelo governo peruano. Para chegar até lá se prepare para dirigir muito, pois as distâncias intimidam:

  • São Paulo: 3.541 km
  • Rio de Janeiro: 3.968 km
  • Belo Horizonte: 3.845 km
  • Curitiba: 3.534 km
  • Brasília: 3.588 km

Para quem deseja viajar até lá por outro meio, mas ainda assim ter o máximo de conforto, deve optar por alugar um carro em Cusco e dirigir por uma estrada de boa conservação até Pitumarca.

  • Avião

A melhor maneira para chegar a Cusco é de avião. Não há voos diretos entre o Brasil e Cusco, pois é necessário fazer uma conexão em Lima para chegar lá. Cusco está a apenas uma hora de voo da capital peruana e há boa disponibilidade de voos para a Cusco. As principais empresas de aviação que prestam o serviço são LAN, Taca, Peruvian e Star Peru.

O Aeroporto de Cusco é pequeno, não fica distante do centro da cidade e possui diversos quiosques de empresas turísticas. É possível encontrar alguma van que leva turistas mochileiros para a cidade.

  • Ônibus

Ir até Cusco desde o Brasil usando ônibus é possível. Mas também pode levar muito tempo. O serviço é feito pela empresa “Expreso Internacional Ormeño“. O trajeto o ônibus é a rota Rio de Janeiro – Bogotá. A linha passa pelas cidades de São Paulo-SP, Campo Grande-MS, Cuiabá-MT, Porto Velho-RO e Rio Branco – AC. Antes de chegar em Cusco, passa pela cidade Puerto Maldonado. Ao todo, esta viagem demora quatro dias.

Caso já esteja em Cusco, ir para Pitumarca é mais fácil. Desde Cusco deve-se ir à rodoviária o à Av. Huayrurupata (onde existem três paradas) e tomar o ônibus com destino a Sicuani e descer em Checacupe. Lá deve dirigir-se à Plaza de Armas na cidade e tomar um coletivo até Pitumarca (linha funciona de 5:00 às 18:00).

Onde ficar

A cidade de Pitumarca é pequena, por isso não espere por hotéis ou pousadas chiques. Para quem está acostumado fazer vôos internacionais para pequenos aeroportos no exterior, escalar três dias e voltar para casa: esqueça este plano. Este paraíso da escalada não permite para que pessoas endinheiradas façam isso. O local demanda imersão social, cultural e dedicação exclusiva à escalada.

O local mais indicado a procurar informações para a escalada é o ginásio de escalada “7A Escuela de Escalada” em Cusco. Para quem opta ir até Pitumarca há a seguinte opção de hospedagem:

  • Hospedaje y Restaurante Misk’i Puñuy: Av. Progreso – Tel (+51) 970 928 878

Além disso, na Plaza de Armas há diversos hostales (pousadas/pensôes) e uma possibilidade de camping no “salón comunal”.

Escalada em Pitumarca

Para escalar em Pitumarca, o local é conhecido como Parque de Escalada Ch’acco Huayllascca, é necessário se registrar e pagar uma taxa de aproximadamente PEN$ 2,00 por dia (aproximadamente R$ 2,30). para registrar-se é necessário contatar dois escaladores locais. O número e endereço dos escaladores estão disponibilizados no guia de escaladas.

Atualmente com pouco menos de 100 vias conquistadas, possui um potencial de desenvolvimento para pelo menos 5 vezes mais que isso. Grande parte das vias é de 20 metros. De acordo com europeus que visitaram o lugar, Pitumarca é a Céüse da América Latina. O local francês já foi considerado dos melhores do mundo e, atualmente, possui aproximadamente 500 vias de escalada. Segundo informações da escaladora Charlotte Durif, que recentemente esteve conquistando vias em Pitumarca, o local peruano possui potencial para superar este número facilmente. Durif, que está realizando um projeto pessoal de viajar por vários lugares do mundo, ao constatar o potencial do lugar desmarcou algumas viagens e ficou um total de 5 semanas em Pitumarca.

A característica do lugar agrada bastante quem visita lugares consagrados de escalada em calcário na Europa: inclinação negativa de 45° e muitas, mas muitas, chorreras (também conhecidas como concreções ou tufas). Além disso há um outro fator que merece observação, que é a altitude. O local fica a aproximadamente 3.500 acima do nível do mar.

O motivo de existir tão poucas vias no lugar é a de que recentemente foi liberado para escalada. Após uma negociação de Coco e Diana (proprietários do 7a escuela de escalada) que foi finalizada em 2015.

Para conhecer o potencial de escalada em Pitumarca: https://7aescueladescalada.files.wordpress.com

Engenheiro e Analista de Sistemas, começou a escalar em 2001 e escalou no Brasil, Áustria, EUA, Espanha, Argentina e Chile. Foi jurado do Rio Mountain Festival e já viajou de mochilão pelo Brasil, EUA, Áustria, República Tcheca, República Eslovaca, Hungria, Eslovênia, Itália, Argentina, Chile, Espanha, Uruguai, Paraguai, Holanda, Alemanha e Canadá. Realizou o Caminho de Santiago, percorrendo seus 777 km em 28 dias.

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.