Principais dicas pra visitar Machu Picchu de maneira autônoma e econômica

Por Daniel Ballesteros

Machu Picchu é um impressionante santuário histórico Inca, que se encontra a 2.430 metros acima do nível do mar e foi construído antes do século XV. Lá é o local de destino de milhares de visitantes todos os anos. Uma obra-prima da arquitetura, rodeada de belíssimas paisagens.

Mas quem não o tem como um dos destinos preferidos a se visitar? Entretanto, nem todos podemos pagar por um pacote completo de uma agência, que nos leve até o lugar e nos traga de volta. para outros, entretanto, o feito de fazer todo o caminho por conta própria é impensável para que a viagem realmente tenha um tom de aventura. Mas fica a pergunta como fazer?

Abaixo estão as melhores dicas e conselhos para planejar uma viagem econômica e autônoma a Machu Picchu.

Opções de viagem

Como muitos dos turistas que já visitaram o lugar, além de quem está planejando a visita, poder-se-ia dizer que, economicamente falando, existem três maneiras de visitar Machu Picchu:

  1. Contratando agências de turismo (esta é a forma mais cara)
  2. Totalmente por sua conta (esta é a forma mais econômica)
  3. Uma mistura entre agência e autonomia (esta é a mais versátil)

Vale uma observação: a forma mais cara é com agências e utilizando o trem. Se esta é sua intenção, pode começar a economizar dinheiro e seu tempo, nem prosseguindo neste artigo. Destacamos o trem a rota mais conhecida como Inca Trail, já que ela por si só demanda um artigo exclusivo.

Programa

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Uma publicação compartilhada por Humildad Mochilera (@humildadmochilera) em

Antes de entrar em detalhes, aproveito para explicar como é esta visita. O objetivo disso é procurar fazer entender-me melhor todo o que será explicado neste artigo.

  • Primeiro dia: Saída de Cusco até a hidroelétrica de ônibus. Para-se no meio do caminho para comer. Caminhada da hidroelétrica até Águas Calientes, almoça e dorme logo em seguida. isso porque o dia seguinte é necessário madrugar.
  • Segundo dia: Visita-se a MachuPicchu desde a primeira hora da manhã, regressando a Águas Calientes e, a partir daí, caminhar até a hidroelétrica para tomar o transporte de volta.

Esta opção é necessário para pernoitar em Águas Calientes, assim como duas refeições que as agências oferecem. Você é quem decide comer durante o seu dia de visita a Machu Picchu e o que jantar durante a sua volta.

  • Segundo e terceiro dia: Visitar Machu Picchu, Wayna Picchu e Templo da Lua. Volta a Águas Calientes e descanso. É possível visitar tudo em um mesmo dia e, posteriormente, chegar a tempo na hidroelétrica, onde terá de ficar uma noite mais.

Esta opção implica no mesmo valor que o cobrado por um jantar em Águas Calientes, café da manhã e comida do terceiro dia (no retorno). O que se come durante o trajeto de volta também está incluso, além do pagamento de uma noite mais em Águas Calientes.

Importante: A rota guiada se faz em Machu Picchu. Caso vá subir até Wayna Picchu, deverá fazer por sua própria conta.

Visita econômica e autônoma

Baseando na minha experiência pessoal adquirida em dezembro do ano passado, vamos nos concentrar na terceira das alternativas, já que é a mais fazível sem ser a mais cara. Explico.

Descartando a opção mais cara, que seria fazer a trilha de Machu Picchu organizada por uma agência, poderíamos tomar a iniciativa de organizar por nós mesmos. Por isso, abaixo está uma pequena lista de riscos que poderiam encarecer nossa tentativa de visitar Machu Picchu. Mais ainda que se fôssemos visitar por uma agência de turismo.

  • Visitar por conta própria implica compartilhar um táxi e, por isso, dependerá de outras pessoas. Por isso, poderia ir sem depender de ninguém, mas assumir os gastos totais do taxi. Taxi é algo muito mais caro que o custo de ônibus oferecidos pelas agências.
  • Dependerá do taxista da hora que seja a saída. Isso porque ele sempre tentará conseguir mais clientes. A menos que reconheça que você planejou errado e arque com os custos do trajeto. Se não o fizer, esta espera poderia atrasar muito de seu horário, prejudicando todo o seu planejamento.
  • A volta desde a Hidroelétrica a Cusco pode ser que não exista táxi. Isso porque é muito pouco frequente o uso deste tipo de transporte, porque a maioria vai de ônibus disponibilizados pelas operadoras.

Existem mais inconvenientes, mas com estes três já é mais que suficiente para descartar a alternativa número dois. Então? O ideal é fazer uma mescla entre as duas coisas, para permitir ter um melhor controle de gastos que possa assumir.

Machu Picchu de maneira autônoma e econômica

  1. Compre as entradas por sua própria conta.
  2. Contrate um serviço de transporte e alojamento sem guias incluídos.
  • Mas por que?

No meu caso, comprei as entradas por minha própria conta, com o objetivo de poder decidir eu mesmo quando queria ir (sempre e quando tivesse disponibilidade). Mesmo que o mais importante não é somente isso, mas por um outro motivo.

A maioria das agências possuem horários muito bem estipulados e quase nunca oferece a alternativa para visitar Wayna Picchu nem o Templo de La Luna, já que isso afeta a funcionalidade de seus serviços. Desta maneira, ao fechar com uma agência, nem ficará sabendo destas alternativas que, sem dúvida, são 100% recomendáveis.

Ao fazer a compra por minha própria conta, já tendo estudado o assunto antes, me assegurei de comprar as entradas em uma data na qual a visita a Wayna Picchu estivesse disponível e tivesse acesso ao Templo de La Luna. Com a entrada a Machu Picchu não e possível acessar o Templo de La Luna.

Si somente contratar os serviços de transporte e alojamento, a única coisa que deve ter certeza são os horários. Isso para que não seja surpreendido por alguma alteação.

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Uma publicação compartilhada por Humildad Mochilera (@humildadmochilera) em

Não contratar previamente guia nem serviço de comida

Por um outro lado, não contratar um serviço de guia ou comida, permite que você mesmo decida cada momento e quanto quer gastar. As agências já possuem um acordo com algum estabelecimento para levar seus clientes turistas para comer durante o dia. Não raramente algumas agências sequer incluem isso, e acaba tendo de comer alguma coisa em qualquer parada na metade do trajeto.

Eu mesmo levei comida que comprei em Cusco, já que o mais econômico que fazer o mesmo em Águas Calientes. O que comprei foi sanduíche, bolachas com chocolate, jogos, água para o dia de trilha, etc. Calculei comida necessária para três dias (este cálculo depende de cada um e os dias que vá demorar a regressar a Cusco).

Uma vez que estiver no lugar, pode decidir o que comer, dependendo da comida que te ofereçam (além do preço), quais paradas estabelecidas pela agência para comer e jantar. No meu caso, tratei de encontrar um lugar com um preço razoável que tinha até bufê liberado. Como eu gostei do que tinha lá, acabei pagando eu mesmo. Poderia ter sido muito melhor, é verdade, já que quando sabe de um lugar e quanto cobra pela refeição.

Desta situação que vem a versatilidade desta alternativa. o mesmo se aplica no momento de jantar.

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Uma publicação compartilhada por Humildad Mochilera (@humildadmochilera) em

Reservar alojamento

A vantagem de contratar um alojamento com uma agência, é que da mesma maneira que fazem com várias pessoas. Me venderam as noites com uma frase: “conosco sairá o mesmo que as pessoas de Cusco cobram”. Ou seja, por 20 solares, poderia passar a noite em um hostel em Águas Calientes.

Por outro lado, me assegurei anteriormente que teria reserva e que, por minha conta, poderia haver alojamento. mas duvido que pelo prelo que conseguir (sequer tentei). outro problema poderia ser o seguinte:

Os hostels de Águas Calientes contam com grupos que chegam das agências. Para colocá-los juntos, tenho certeza que descartam alguém que vá sozinho ou até mesmo um casal, para ter espaço para alojar grandes grupos. Desta maneira, poderia acontecer o seguinte:

Eles chamam seu amigo, ou namorado, e dizem que não existe vaga quando na verdade existe. Mas na verdade preferem alojar um grupo completo com 10 pessoas no hostel, para evitar que a agência vá a outro estabelecimento.

Orçamento

Até o momento a conta que temos é:

  • Ida e volta: 60 sol
  • Duas noites em Águas Calientes: 40 sol
  • Preço da entrada: (depende se visitar somente Machu Picchu ou também Wayna Picchu)

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Uma publicação compartilhada por Humildad Mochilera (@humildadmochilera) em

Visita Guiada

Voltemos a outra das vantagens de realizar a visita “quase que por nossa conta”: o Guia. O que descrevo abaixo é muito importante.

  • Por que não quis contratar um guia desde o princípio, se sabia que acabaria contratando um?

Sendo realista, um guia seria como visitar qualquer cidade em ruínas. Mas tomei esta decisão pela versatilidade que me oferece. Como já mencionei antes, as agências querem que os membros do grupo fiquem sempre juntos. Isso quer dizer que dependerá diretamente do turista mais lento. Si pode parecer maldade, é porque é assim mesmo. Da mesma maneira, se está em plena forma e sobe muito rápido os degraus e chega primeiro à entrada de Machu Picchu. Isso porque a rota guiada não começará até que o último do grupo chegue. Um erro fatal, na minha opinião.

Cada grupo tem um ou dois guias especializados, que irá perguntar aos gritos pelo nome do grupo (previamente combinando nos ônibus durante o trajeto de ida), para reunir todos antes de entrar. Portanto, se quer desfrutar de Machu Picchu e está se preparando para chegar logo, evite filas e também aproveite para tirar muitas fotos antes que cheguem todos do grupo. O ideal é que não tenha que esperar.

No meu caso aceitei continuar com meu grupo e os guias designados a ele. Desta maneira paguei 15 sol. Pode até ser mais, mas o guia foi muito amável comigo. Ainda assim, tudo dependerá também de seus dotes de diplomacia.

Ser tomei a decisão de continuar com o mesmo grupo, não foi pelo preço do guia, mas foi literalmente porque ninguém demorou demais e conseguimos ser os primeiros a entrar. Pessoalmente não estava disposto a perder muito tempo de visita.

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Uma publicação compartilhada por Humildad Mochilera (@humildadmochilera) em

Horários e acesso a Machu Picchu e Wayna Picchu

Me informei (sempre é importante estar informado) sobre a disponibilidade de entradas para Wayna Picchu. O que me informaram foi que deve estar no acesso ao lugar por volta das 11:00 (quando entra o primeiro turno). Do contrário, não permitem subir ninguém, porque já está comprovado que esgota o tempo de regressar antes do que fechem as instalações.

As visitas dentro de Macchu Picchu e Wayna Picchu estão bem organizadas para que haja tempo para tudo. Desta maneira, dependendo também da forma física da pessoa. Como me informei antes, sabia que se não chegava ao topo do Wayna Picchu antes das 11:00, não poderia chegar na rota que passa pelo Templo de La Luna. Queria começar a subir as 10:00 (uma hora antes), sabendo que tinha de uma hora para fazer o trajeto mais duro que percorri desde Águas Calientes a Machu Picchu. Mas consegui.

Todo este rolé para explicar da importância de cada um tomar suas próprias decisões e não perder tempo esperando a ninguém.

  • Se meu grupo tiver demorado, posso ir com um dos primeiros grupos que não demorou?
    • Sim, desde que tenha contratado um guia previamente.
  • Se contratei um guia na agência, logo quis ir sozinho com outro grupo. Posso?
    • Sim, pagando duas vezes, uma à agência e outra ao guia em questão.

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Uma publicação compartilhada por Humildad Mochilera (@humildadmochilera) em

Conclusão

Se visitar Machu Picchu e o Templo de La Luna (ou somente Machu Pichu), o melhor é que possa ter a liberdade na hora de tomar decisões. Sobretudo na hora de comer e contratar um guia. Por isso, volto a repetir os passos que disse anteriormente:

  1. Compre as entradas por sua própria conta
  2. Contrate um serviço de transporte e alojamento (sem guias nem refeições incluídas)
  3. Decida na hora o que gastar em comida e com que guia acessar Machu Picchu

Obviamente, não se visita um lugar como este todos os dias. Por isso recomendo que todas as variáveis dependem diretamente de você mesmo e ninguém mais. Portanto você é quem sabe o que é gasto em excesso ou economia.

Este artigo está escrito com o objetivo de recomendar a maneira mais eficiente/econômica de visitar Machu Picchu, sem que tenha um gasto excessivo. Não entra em outros detalhes de importância que também deve saber. Pode ver toda a informação relevante sobre Machu Picchu em um artigo que escrevi explicando toda a viagem.

Conselhos finais

Sem deixar que a obcessão econômica te impeça de fazer algo, a melhor maneira de visitar Machu Picchu e Wayna Picchu, é fazendo a Inca Trail. Se você é um pouco aventureiro(a) e verifica as informações de várias agências , é possível fazer por sua própria conta.

Entretanto, deixar-se levar por uma agência, com grupo e guia, é também uma boa forma de compartilhar uma experiência única e nova com outras pessoas.

There is one comment

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.