Guia essencial para a Montanha Arco Íris – Um dos trekkings escondidos no Peru

Sempre que se pesquisa sobre atividades de trekking no Peru, a informação mais abundante é sobre Macchu Picchu ou Cordillera Blanca. Ambos os lugares são indiscutivelmente clássicos da atividade no país e por isso bastante disputados por mochileiros e praticantes de trekking de todo o mundo.

Mas você já ouviu falar sobre a Montanha Arco Íris? Procura um lugar lindo e que esteja ainda pouco visitado? Se você procura um trekking em lugares inóspitos, anote o nome desse lugar.

A Montanha Arco Íris (em espanhol diz-se Montaña Arcoiris) parece uma imagem feita em um editor de imagens, mas ela é real e é um dos lugares mais curiosos para conhecer no Peru. Para quem deseja conhecer um trekking interessante e um lugar único a Montanha Arco Iris deve entrar no seu itinerário de viagem.

Esta beleza natural está a aproximadamente 170 km, de Cusco, famosa cidade próxima a Macchu Pichu. Cusco era a capital do Império Inca e uma das mais belas da América do Sul.

Atualmente, com tantas imagens sendo difundidas por redes sociais, é espantoso que uma maravilha geológica, como a Montanha Arco Íris, tivesse ficado fora do radar de praticantes de trekking em todo o mundo. Também conhecida como Vinicunca (nome original indígena) está no coração da Cordilheira dos Andes. Especula-se entre os visitantes, que o local possui alma própria e uma energia única. Por isso antes de começar a sua caminhada é necessário realizar uma cerimônia de honra e respeito aos deuses da montanha.

Dificuldades

Como tudo na vida, não é fácil chegar e por isso é necessário esforço físico para ir até lá. Por isso é recomendavel a quem quiser visitar a Montanha Arco Íris, se preparar fisicamente.

A caminhada exige o mesmo preparo que para ir até Ausangate (pico da Cordilheira Vilcanota, subcordilheira dos Andes, com 6.372 m).

O trekking é de aproximadamente três horas, com paisagens que justificam todo o esforço. Durante todo o trajeto é possível vislumbrar pastores, visa selvagem típica dos andes (como lhamas e Alpacas). Localizada a aproximadamente 5.000 metros acima do nível do mar a Montanha Arco Íris é o presente ao final da caminhada.

A explicação para a curiosa formação é que a montanha é fruto de um processo geológico de extratos diferentes que se alinharam em camadas de várias cores, criando assim um efeito espetacular.

Trekking

Para quem pretende fazer o trekking da Montanha Arco Íris uma boa dica é cuidar do preparo físico. A caminhada dura de 4 a 6 horas, mas com altitude o que torna o esforço um pico diferente do que o normal. A distância total percorrida é de 15 km e, segundo informações turísticas, é de dificuldade média, mas bastante exigente fisicamente.

As trilhas existentes no lugar são muito bem marcadas, e é exigido a compra de ingresso para visitar o lugar. A melhor época para visitar é de Abril a Setembro (época de estiagem), por isso prepare-se para enfrentar temperaturas baixas.

Não arrisque ir a este lugar utilizando equipamento não indicado, pois na altitude de 5.000 ele será exigido.

O maior valor deste trekking a Vinicunca é que ele está localizado fora das rotas turísticas tradicionais e é considerado um destino novo e pouco explorado. Desta maneira não há aglomerações de pessoas, nem a possibilidade de encontrar alguém.

Há, por isso, grande probabilidade de fazer o trajeto e não cruzar com ninguém, apenas com a população local. O preço deste isolamento turístico está na baixa infraestrutura para o turista. Por isso até mesmo o almoço e feito em casa de pessoas locais, pois não há restaurantes.

Grande parte dos guias para a Montaña Arcoiris, a quinta mais alta do Peru, é contratada em Cusco. O local fica na Reserva Nacional Ausangate (120 km de Cusco).

Lugar Ameaçado

Assim como muitos lugares da América do Sul, Vinicunca está em perigo. Mesmo pouco conhecida do público praticante de trekking, o turismo desorganizado está prejudicando a natureza do lugar.

Há por lá uma falta de segurança latente e disputas entre as comunidades locais é uma realidade. Uma outra ameaça á Montanha Arco Iris é a mineração clandestina.

Webdesigner apaixonada por viajar e fazer trilhas de Mountain Bike, já fez mochilão pela Patagônia Argentina, Peru, Bolívia, Brasil e Uruguai.

There are 2 comments

  1. Eduardo Bisan

    Estive na montanha no início do último mês de maio. legiões de turistas trazidos de Cusco pelas agências (com precos de 65 a 120 soles por pessoa) lotam a montanha todos os dias. as vans e ônibus saem de Cusco as 02 ou 03 da manhã e retornam no final do dia. O turismo de massa levou banheiros pelo caminho (químicos e fossas), serviço de cavalos, venda de chá e biscoitos no ombro próximo ao cume. A trilha mostra sinais sérios de deterioração pelo número gigantesco de visitantes. Ja é possível notar um novo acesso sendo aberto por escavadeiras (e as agencias confirmam) para facilitar o acesso ao local. O lugar é espetacular, um cenário belíssimo, com direito a longos vales, visão de nevados e do belo Ausangate, cholas pastoras, cabras, alpacas e lhamas. Belíssimo, mas em risco.

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.