Fabricante brasileiro fabrica modelo exclusivo de agarras para competições de velocidade

A escassez de locais e recursos para a prática de escalada de velocidade parecem estar com os dias contatos. A fábrica brasileira de agarras para muros de escalada indoor Crux Agarras anunciou no final do dia de ontem a fabricação do primeiro modelo para a modalidade, fabricado no Brasil. Atualmente na América do Sul que se interessar pelo produto, tem de importar da Europa.

Dentre os fabricantes brasileiros de agarras de escalada a Crux, com sede no estado do Paraná, é dos mais comprometidos com os atletas brasileiros. No ano passado participou como um dos patrocinadores do Circuito Mantiqueira de Boulder, o evento competitivo de escalada mais bem-sucedida do país, além de outros eventos competitivos. Acreditando no potencial dos atletas brasileiros, anunciou a produção de agarras de escalada para competições de velocidade.

Na América do Sul ainda não existem muitos muros que possuam as especificações da modalidade de escalada em velocidade. O tema foi abordado no IIº Simpósio de Ciência da Escalada realizado no Chile em dezembro último. No evento, o responsável pela organização dos Jogos Olímpicos da Juventude (JOJ), a serem realizados em Buenos Aires em outubro deste ano, defendeu o formato.

Não houve no simpósio, que discutiu treinamento e modalidades, nenhum representante brasileiro. Ainda cercada de muita polêmica, além de uma maciça rejeição de atletas e da comunidade escaladora, a escalada de velocidade é uma realidade que muitos terão de aceitar. Especialmente para quem pretende sonhar em participar dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020.

As agarras utilizadas em um muro de velocidade são diferenciadas das que são usadas em competições de boulder e vias guiadas. O formato da agarra é único e, de acordo com os parâmetros divulgados na página oficial do IFSC, fabricada e comercializada por uma única empresa. Há, entretanto, nos bastidores uma movimentação de alguns fabricantes que desenham agarras de escalada criar um processo legal para que impeça este tipo de determinação, que beneficia somente uma empresa.

A empresa beneficiada pelas regras é a francesa Planet-Roc, que criou o padrão de agarras de mãos (que custam €43,00 a unidade) e pés (€ 3,30 a unidade) para as competições de escalada. Cada agarra fabricada pela empresa possui um número e série que deve ser informado ao IFSC para que a competição seja homologada.

Vislumbrando a oportunidade Fabio Giofre, diretor da Crux Agarras, fez uma pesquisa, focada unicamente em viabilizar a fabricação do modelo. Após várias modelagens em malha 3D, Fábio, que é designer de produto de formação, conseguiu chegar no formato que, segundo afirma, é idêntico ao oficial. Após chegar ao formato que considera final, Giofre fez alguns protótipos para reajustes até chegar no formato que será comercializado.

De todos os fabricantes brasileiros de agarras de escalada, somente a brasileira Crux, por enquanto, anunciou possuir conhecimentos para a construção de uma réplica, tanto de agarras quanto de parede, para a realização de uma competição. Não há notícia de que na América do Sul haja algum fabricante que também comercialize este tipo de agarra, o que faz com que a iniciativa do brasileiro ser pioneira.

A agarra, tanto as de mão como as de pé, ainda não estão disponíveis para venda no site da empresa. Porém a reportagem apurou que o valor unitário (apenas uma unidade) será em torno de R$ 115,00. Porém o pacote, o qual segue as regras oficiais, o preço de cada agarra sairá por R$ 90 a R$ 95.

Possível competição no Brasil?

Procurado pela redação da Revista Blog de Escalada, o diretor da Crux Agarras Fabio Giofre declarou que o objetivo era de acelerar o processo de treinamento dos atletas brasileiros e sul-americanos. Até o momento somente a Crux anunciou a produção de agarras voltadas para competições de velocidade em todo o continente. O diretor da Crux se limitou a dizer que “precisamos de atletas completos e para modalidade Olímpica, onde o atleta deve competir em dificuldade, boulder e velocidade”.

O fato de técnicos brasileiros serem desinteressados em reciclagem profissional e atualização técnica, também o incomoda. Por isso sua iniciativa é prioritariamente, fornecer possibilidades e incentivar a renovação de preparadores de atletas.

Giofre deixou a entender que em breve, muito provavelmente este ano, pode acontecer uma competição de escalada de velocidade. O palco seria a cidade de São Paulo, mas Fabio não falou muitos detalhes de datas e local específico. Para a venda do novo produto, também não especificou nenhuma data para a distribuição do modelo a interessados. Mas afirmou categoricamente que a agarra de escalada é similar à oficial.

Para saber mais acesse: https://www.cruxagarras.com.br

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.