A beleza na escalada – Como mulheres podem ficar bonita sempre em qualquer lugar

moda_escalada1

Fotografia: Eduardo Wagner | Escaladora: Juliana Falchetti

Foi na virada de teto da via Orquídea, no Morro da Cruz em Florianópolis, que sofri meu primeiro “self-unclipping”.

Estava com o calcanhar na linha da cabeça, os braços tijolados tentando fazer o lance quando olhei para baixo e a costura simplesmente tinha sumido da chapeleta.

Minha costura cor laranja radiante, que escolhi a dedo, não estava mais lá.

Olhei novamente e imaginei que pudesse ser uma visão.

Como assim a costura tinha sumido?

moda_escalada2

Fotografia: Eduardo Wagner | Escaladora: Juliana Falchetti

Olhei de novo e vi que ela ainda estava presa à corda, mas lá do lado da penúltima chapeleta que eu havia costurado, bem longe da minha cadeirinha e das outras costuras cor laranja radiantes que esperavam ansiosas para serem usadas.

Tinham que ser todas da mesma cor, tipo conjunto.

Quando comprei meu jogo não queria costuras de cores escuras, muito menos uma de cada cor.

Tem que ter uma harmonia na seleção dos equipamentos.

Parece superficial pensar em cor de costura e combinações quando você está prestes a cair de quase seis metros. Nem é tão ruim cair seis metros.

Mas não tem jeito, a moda está para a mulher assim como o magnésio está para a escalada. Até da pra se virar sem, mas mais cedo ou mais tarde você vai sentir falta dele.

Pode ser fazendo uma trilha, uma trip de escalada, uma festa, reunião…

Cada detalhe conta, e muito.

moda_escalada3

Fotografia: Eduardo Wagner | Escaladora: Juliana Falchetti

A filosofia da escalada, por exemplo, fecha muito com o estilo de se vestir que está chegando ao Brasil e vem cativando cada vez mais adeptos, o Life Style, que vai muito além de roupas.

A onda de tecidos naturais, ecologicamente corretos, combinam perfeitamente com uma vida saudável, mas não se engane quem pensa que no Life Style predominam a paleta de cores nude, sem vibração.

O segredo é trazer a energia boa da vida ao ar livre na seleção das cores e montagem do look ideal para cada dia.

Você já viu um um homem escolhendo a roupa para um dia de escalada?

A grande maioria pega a primeira calça técnica (ou jeans) que vê na frente, de preferência a mais remendada para preservar as outras, uma camiseta de propaganda de feijoada do centro comunitário do bairro, uma bota ou tênis técnico e está pronto.

moda_escalada4

Fotografia: Eduardo Wagner | Escaladora: Juliana Falchetti

Já nós, mulheres, temos que estar sempre impecáveis.

Esses dias fiz a façanha de no meio de um boulder verificar o quanto tinha arranhado minha unha e puxado fios da minha blusa dry no último lance.

E os detalhes não param por aí. Um acessório que normalmente esquecemos de apostar na montagem de um “Look Trip” são os cintos.

Os homens os usam com a única função de segurar as calças, mas nós temos que usá-los para deixar a produção ainda mais charmosa e realçar nossas curvas.

moda_escalada5

Fotografia: Eduardo Wagner | Escaladora: Juliana Falchetti

Não temos motivos para andarmos “sujinhos” e desgrenhados nas atividades outdoor.

Isso também vale para os marmanjões de plantão que acham que aparência não importa.

A verdade é que cada um de nós mostra quem é através das atitudes e daquilo que veste.

As cores, os cortes, as marcas, tudo isso cria ao nosso redor uma forma como queremos nos apresentar e sermos reconhecidos.

Criar um estilo que combine com o mundo da escalada não é tarefa fácil, mas também não é impossível. Um pouco de pesquisa, ousadia e uma pitada de cor faz toda a diferença.

moda_escalada6

Fotografia: Eduardo Wagner | Escaladora: Juliana Falchetti

O alto verão traz peças com estampas florais, porcelanas portuguesas e animal print.

Cores fortes também estão super em alta.

O ultra blue é o queridinho de 2014 e ocupa as passarelas do mundo todo, então porque não trazê-lo para nosso mundo e deixá-lo ainda mais vivo e colorido?

E de quebra ainda deixar as fotos mais bonitas?

Mas voltando ao lance da Orquídea e em dúvida sobre o que fazer, olhei para o Du, meu marido e segurança de escalada e gritei perguntando se ele tinha visto o que tinha acontecido.

Ele respondeu que sim e ainda emendou que preferiu não dizer nada para não me deixar abalada, como se isso fosse ajudar!

Olhei para cima, visualizei a agarra, o movimento da virada de teto, mas aí pensei de novo na chapeleta e lembrar dela assim sozinha, vazia… é de abalar o psicológico de qualquer um.

Nessa hora faltou força para tudo.

Não conseguia subir, não conseguia manter, não conseguia desescalar.

Em uma fração de segundo ainda consegui pensar: como é que isso aconteceu?

Para o espaço com a combinação de cores das costuras.

Nessa hora podia ser uma costura bordô horrível que eu iria amá-la.

Naquele momento eu não estava preocupada com questões estéticas, com a situação do meu cabelo ou com minha roupa.

Não estava nem aí com meu look de uma forma geral.

Bem diferente de algumas horas atrás, quando fiquei vários minutos diante do guarda-roupa pensando no que ia vestir.

Uma atitude típica, escaladora ou não, que irrita os homens ao extremo, mas ajuda a nos deixar lindas até mesmo na rocha, certo?

É claro que naquele momento crítico do meu primeiro “self-unclipping” usei um estilo que não é só meu.

Fiz o tipo desesperada.

Uma desesperada bem arrumada, com as costuras combinando, mas prestes a cair.

O movimento que fiz para a virada de teto somado ao atrito do meu quadril na rocha fizera a grandiosa “mágica” de desclipar a costura da chapeleta (se fosse para tentar tirar a costura de propósito certamente eu não conseguiria).

Ah, antes que eu me prolongue mais e me esqueça: sim, eu caí nessa virada de teto e precisei de um bom tempo para tentar o lance novamente.

Beijos da Ju

Dicas de moda para escalada

– Uma combinação super bacana pode ser montada com peças que você tem em casa mesmo: Uma calça técnica, uma regata ultra blue, faixa animal print na cabeça, cinto trançado e voilà.

Na rocha e na moda!

– Aposte nos brincos pequenos.

Eles não atrapalham na escalada e sempre dão aquela iluminada no rosto. As pedras naturais são ótimas opções e têm cores bem variadas.

banner_juliana_post

Da cozinha para o mundo. Nutricionista de formação se encantou pela fotografia e vídeo e encontrou na moda e nos esportes ao ar livre uma paixão forte e duradoura. Pós-graduada em Fotografia realizou expedições fotográficas e produções audiovisuais pelo Brasil e Argentina

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.