Viagem à Argentina para escalar 5 – Vocabulário de escalador

Por ser português e espanhol parecidos é comum acreditar que são iguais.

Não é muito difícil ver brasileiros soltando frases estapafúrdias como “sorviete Del moriango” (o Correto é Helado de frutillas) dentre muitas.

Quem estiver pensando em viajar com conhecimentos de portunhol adquirido em novelas da Rede Globo pode irá passar vergonha

O Blog de Escalada estará encerrando esta série de artigos que dissecou uma viagem à Argentina com o vocabulário que todo escalador deve saber para ter um mínimo de comunicação.

Não está incluído aqui os verbos básicos, nem terá nenhum manual para facilitar paqueras.

Este tipo de conhecimento é responsabilidade de cada pessoa.

Primeiro, algumas regras de pronúncia para leigos :

  •  A Letra “J” se pronuncia como o nosso “rr”. Por exemplo, a palavra “agujero” se pronuncia “agurrero”.
  • Maioria dos “r” não se usa a pronúncia de “r” comum aos cariocas. Assemelha-se mais ao “rrrrrrrrrrrrrrrrromário” de Galvão Bueno
  • Todas as “ll” ou “y” os argentinos pronunciam como nosso “x” ou “ch”. Por exemplo, “yoga” pronunciam “xôga”, “Calle” pronunciam “caxe” e assim por diante.
  • Tome muito cuidado com a pronúcia, sempre.
 Português  Espanhol Argentino
Abaulado Romo, Roma
Agarrão / Patacão Toma Grande
Agarras Tomas
Boné Gorra
Botijão de Gás Garrafa
Buraco Agujero
Cadeirinha / Baudrier Harnés
Caixa Eletronico Cajero
Calça Pantalón
Camiseta Remera
Canto Esquina
Casaco Campera
Chá Te
Chapeleta Chapa
Copo Vaso
Costura Cinta Express
Costurar Chapar
Crux El paso duro, El passito
De Lado De Costado
Fogareiro Acalentador
Garrafa Botella
Gorro Gorro
Headlamp Frontal
isolante Aislante
Lan House Locutório
Lanterna Linterna
Lavanderia Lavadero
Meias Medias
Mosquetão Mosquetón
Parada Reunión
Pinça Pinza
Reglete Regleta
Saco de dormir Bolsa de Dormir
Sapatilha Sapatilla
Solteira Express
Sutien Corpiño
Travar a corda Tensión
Via negativa Via Desplomada
Via Positiva Placa

Sobre o Autor

Luciano Fernandes

Luciano Fernandes

Engenheiro e Analista de Sistemas, começou a escalar em 2001 e escalou no Brasil, Áustria, EUA, Espanha e Argentina. É totalmente dedicado ao esporte de escalada em rocha e é aficionado em filmes Outdoor. Para aproveitar melhor esta paixão fez curso de documentário na Escola São Paulo, além dos cursos de “Linguagem Cinematográfica” e “Crítica de cinema” e jurado do Rio Mountain Festival. Já viajou de mochilão pelo Brasil, EUA, Áustria, República Tcheca, República Eslovaca, Hungria, Eslovênia, Itália, Argentina, Espanha, Uruguai e Paraguai, Holanda, Alemanha e Canadá.

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.