O que é Core, Power House ou Equilíbrio Tóraco-Abdominal – Estabilizando a coluna

pilates_1

Foto: http://uniquephysiocare.blogspot.com

Se você é ligado em atividade física, já deve ter escutado termos como CORE, Power House ou Equilíbrio Tóraco-Abdominal.

Dentro da fisioterapia e da atividade física, uma infinidade de técnicas aparecem a todo momento, e cada uma tem seu vocabulário próprio, porém entendendo um pouco de anatomia, fisiologia e biomecânica, vemos que todos estes termos se referem a mesma coisa: estabilização da coluna.

Vamos usar o exemplo da lombalgia: existem inúmeros fatores que podem causar dores na coluna.

Entretanto, é de extrema importância focar um tratamento nas causas, e não na consequência, que é a dor.

pilates_2

Foto: http://www.blueridgefamilychiropractic.net

No caso das lombalgias de causa mecânica, geralmente ocorre uma tensão aumentada na musculatura paravertebral baixa, devido a uma instabilidade da coluna lombar.

Se realizarmos somente analgesia e alongamentos, estaremos diminuindo a consequência (dor), e relaxando o músculo tenso; mas desta forma iríamos tirar o mecanismo de proteção da nossa coluna (que apesar de inadequado, estava lá com objetivo de proteger a articulação de movimentos indesejados e lesões), sem dar uma estabilidade para mesma.

Sendo assim, a tensão iria voltar, no mesmo lugar ou em outro, a fim de compensar este deficit de estabilidade.

A estabilidade da coluna se da pelos músculos paravertebrais profundos, como os multífidos; pela musculatura abdominal (reto, oblíquos e transversos); assoalho pélvico e diafragma.

Este conjunto de músculos juntos forma uma espécie de caixa para nossas vísceras, dentro da qual deve ser mantida uma pressão ideal: a famosa Pressão Intra-Abdominal (PIA).

pilates_3

Foto: http://www.webmd.com

Esta pressão é peça chave para uma coluna estável. Trabalhar esta musculatura e a manutenção da PIA nada mais é do que treinar o CORE, trabalhar o Power House ou encontrar o Equilíbrio Tóraco-Abdominal.

Agora que desmistificamos estes conceitos, vemos que não importa se você faz Pilates, RPG, treinamento funcional, ou fisioterapia “convencional”.

Um bom profissional é aquele que sabe identificar estes elementos no seu paciente ou aluno e, com qualquer técnica e muito conhecimento, melhorar a sua dor, sua postura e sua performance durante o exercício!

pilates_4

Foto: http://www.pilatesfornewmothers.com

Banner_Denise600X100

-Graduada em Fisioterapia pela Universidade de São Paulo
-Aprimorada pelo Hospital das Clínicas
-Formação com ênfase em Fisioterapia Esportiva e Biomecânica
-Especialista em Pilates pelo método Pilates Postura Funcional
-Colunista na Revista Pilates
-Docente no Curso de Formação em Pilates Postura Funcional.

There is one comment

  1. Neide Oliveira

    Fiz uma reconstrução mamária e foi o usado o músculo reto abdominal .Quais são meus prejuízos em conseqüências desse procedimento ? Porque percebo uma grande necessidade de usar constantemente a cinta neo preme ? Caso contrario é como se estivesse a ponto de quebrar ao meio.

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.