[EXCLUSIVO] Avaliação Mochila hidratação Cyclone 14 – Curtlo

mochila-de-hidratacao-curtlo-cyclone-14-l-2[1]A mochila de hidratação Cyclone 14 é um produto da marca Curtlo voltada para o público que realiza pedaladas, trekking e corridas de aventura.

Tem como proposta oferecer o armazenamento de  água, além de ter espaço para que sejam carregados também itens pessoais básicos.

A mochila de hidratação tem capacidade para 14 litros  e o reservatório de água tem 2 litros.

O teste

A mochila Cyclone 14 foi extensivamente testada.

Os testes foram:

  • 2 descidas pela estrada de manutenção São Paulo/Santos, conhecida como Rota Márcia Prado.12669 A Rota Márcia Prado tem em média 90km, e alterna subidas fortes e descidas longas, além de trechos com sol intenso e sombra.
  • 2  pedaladas urbanas noturnas na cidade de São Paulo com média de 40km percorridos.
  • Trekking de média dificuldade com fortes subidas e descidas com cerca de 20km em uma cidade litorânea com alta umidade e calor.
  • Um último teste ilustrativo, para a gravação do vídeo foi realizado em uma pedalada me média dificuldade de cerca de 35km .

mochila-de-hidratacao-curtlo-cyclone-14-l-grande-1543-63018[1]Durante todos os testes foi colocado dentro da mochila o material básico para pedaladas ou caminhadas longas: sanduíches de pão de forma, gatorade, barras de cereais, câmara de ar reserva, kit de primeiros socorros e celular.

Não foi carregada com materiais pesados e/ou desnecessários à pedaladas como: mosquetões, corda de escalada, fogareiro com gás e pacotes de comidas por  que a mochila não foi projetada para este tipo de uso.1348060992_439913127_1-Reservatorio-de-agua-Curtlo-Acquaflex-2L-Paraiso[1]

A cada parada era retirada das costas para que o ciclista descansasse, e também pudesse encher o reservatório de água.

Em nenhum momento foi utilizada para tarefas urbanas corriqueiras como andar de transporte coletivo, ir à aula, carregar cadernos e assim por diante.

O reservatório de água foi lavado duas vezes por motivos de higiene, e para fins de  teste para verificar se o reservatório ficaria com gosto ou cheiro.

O reservatório unicamente foi utilizado para o transporte de água, não para outros líquidos como suco ou refrigerante.

Prós

Leveza – Não interfere no equilíbrio do ciclista ao pedalar, ou ao caminhante durante o trekking.

Versatilidade e comodidade – Possui capacidade de carregar grande quantidade de “pequenas coisas”.

Praticidade – Facilita o ato de beber água seja na pressa seja em conversas com a parceria.

Rápida evaporação do suor no alcochoamento nas costas

Mangueira de água do reservatório não permite vazamento

A água do reservatório não é aquecida pelo calor das costas do usuário.

Não deixa “gosto de plástico” na água armazenada

Contras

Manuseamento do reservatório de água com a mochila é delicado e trabalhoso

Não possui capa de chuva

Barrigeira não evapora rapidamente o suor

Não há bolsos laterais

Pouca quantidade de materiais reflexivos

Algumas costuras apresentou fragilidade, e começaram a ceder.

Notas

Qualidade de material: 4

Acabamentos: 3

Ergonomia: 5

Design: 4

Facilidade de Limpeza: 4

Relação custo x benefício: 5

Nota Final: 4,2

Opinião

A mochila impressionou pela versatilidade e rendimento, tanto em pedaladas como trekking.

Apenas algumas observações a respeito da maneira que é manipulado o compartimento de água , o qual poderia ser repensado, aumentando assim a facilidade de seu manuseio.

Mesmo sendo usado com diferentes tipos de camiseta (tanto para pedalar, quanto de algodão comum) não deixou a roupa “empapada”, nem ficou “comendo” a camiseta.

Por não possuir capa de chuva embutida, a mochila molha com relativa facilidade em uma chuva eventual, molhando todo o conteúdo interno.

Na sua parte frontal poderia ter mais bandas reflexivas para que tornasse ao ciclista noturno uma maior facilidade de visualização ao ser iluminado por um farol.

Como a mochila foi usada extensivamente em situações extremas, não mostrou nenhum desgaste precoce de material.

O produto da curtlo tem excepcional custo benefício tanto para quem possui grau avançado de pedaladas, como quem está iniciando agora.

Formado em Engenharia Civil e Ciências da Computação, começou a escalar em 2001 e escalou no Brasil, Áustria, EUA, Espanha, Argentina e Chile. Foi jurado do Rio Mountain Festival e já viajou de mochilão pelo Brasil, EUA, Áustria, República Tcheca, República Eslovaca, Hungria, Eslovênia, Itália, Argentina, Chile, Espanha, Uruguai, Paraguai, Holanda, Alemanha e Canadá. Realizou o Caminho de Santiago, percorrendo seus 777 km em 28 dias.

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.