Conheça 5 trekkings na América do Sul pouco procurados por turistas (mas igualmente interessantes)

Imagine a seguinte imagem: você separa um final de semana na sua agenda para conhecer um local para praticar os seus trekkings. Espera ansiosamente para chegar ao lugar e no momento de chegar lá e aproveitar a natureza, os seus destinos estão LOTADOS. Mesmo com todos educados na trilha (o que é algo raro, diga-se), é até certo ponto frustrante. Faz parte do processo de buscar a paz, que raramente encontramos na cidade, ir a um lugar com poucas pessoas ao nosso redor.

Como então ir a uma trilha, de preferência com uma paisagem maravilhosa, e ter poucos turistas por perto? Seria possível na América do Sul ir a um lugar e ter ninguém ao seu redor? Sim, é possível! Por isso elaborei a lista abaixo para que saiba quais lugares, ainda não explorada e visitada pela comunidade de montanha, que vale a pena se programar para conhecer.

Sierra de Santiago – Chile

Exuberante. Esta é a palavra que melhor descreve a Sierra de Santiago. Considerado por especialistas como um  um dos melhores circuitos de trekkings da América do Sul. Não muito longe da capital chilena, com poucas horas de caminhada é possível estar em frente a Santiago com uma vista privilegiada. A Sierra de Santiago, felizmente para quem procura ficar sozinho, é pouco frequentada pelos praticantes de trekkings e até mesmo pelos montanhistas chilenos.

A melhor época para aproveitar este destino é de junho a outubro, preferencialmente em um feriado, e é perfeita para quem procura saber como é a prática do montanhismo invernal. No trekking há passagens por cristas típicas de montanhas com vista privilegiada e constante do El Plomo (5.450 m) e Tupungato (6.570 m).

Sierra de Santiago

Foto: Freddy Duclerc

Sierra de Santiago

Foto: Freddy Duclerc

Sierra de Santiago

Foto: Freddy Duclerc

Trekking Ausangate (Peru)

O Ausangate (6.384 m) é uma montanha da cordilheira Vilcanota (subcordilheira dos Andes) na região de Cusco, no Peru. O trekking neste montanha é uma real sensação de voltar no tempo e viver na mesma atmosfera do império Inca no Peru. Durante o tempo do império dos Incas, a montanha Ausangate foi  uma das principais divindades para esta cultura.

As pessoas que vivem na região consideram a montanha sagrada quem têm a oportunidade de realizar os trekkings visitará Vinicunca, conhecida popularmente como “a montanha Arco Iris”. O circuito é ideal para quem quer ficar longe de toda e qualquer “muvuca” de Cusco.

Travessia San Jose a Marmolejo (Chile)

Se você deseja ter uma primeira experiência em trekking de alta montanha, então a travessia do Vulcão San Jose (5.856 m) a Marmolejo (6.108 m) deveria entrar em seu radar. Popularmente conhecido como Chile Mountains Challenge é um verdadeiro desafio que consiste em fazer dois cumes em uma mesma expedição.

O trekking é tecnicamente perfeito para preparar montanhistas que pretendem escalar o Aconcágua (6.962 m) ou Ojos del Salado (6.893 m).

Foto: Freddy Duclerc

Foto: Freddy Duclerc

Dientes de Navarino (Chile)

A cordilheira Dientes de Navarino fica no Cabo Horn, bem em frente à Antártida. Este é um dos trekkings mais bonitos do mundo, em um ambiente totalmente selvagem e quase intocado pelo homem. A diferença de fazer este trekking em relação a outro famoso como, por exemplo, Torres del Paine é a sua localização geográfica que é ainda mais remota que o parque chileno.

Dientes de Navarino está localizado na “Reserva de la Biosfera Cabo de Hornos” o que a preserva de um turismo massivo, onde chegam os verdadeiros amantes do trekking e que buscam uma aventura única e quase obrigatória a qualquer amante da natureza.

Dientes de Navarino

Foto: Freddy Duclerc

Dientes de navarino

Foto: Freddy Duclerc

Cerro Castillo

O recentemente nomeado Parque Nacional é um verdadeiro paraíso foi criado para proteger os valiosos recursos florestais da região. A medida ajudou a conservar a biodiversidade do extremo sul do Chile e foi selada em uma reunião com a viúva de Douglas Tompkins, que na ocasião doou grande porção de terras ao estado chileno.

O Cerro Castillo (2.675 m) pode ser subido durante o verão e apreciara variação da tonalidade de ores de sua mata, flores e frutas silvestres. No inverno também é um destino interessante com as características de andar e trechos nevados e uma excelente escola de montanhismo.

Foto: Freddy Duclerc

Foto: Freddy Duclerc

banner-freddy-duclerc

Freddy Duclerc é Montanhista e líder das Expedições em Alta montanha e Travessias na América do Sul. Também realiza “Treinamento e Palestras” em liderança, motivação, planejamento e vivencia em ambiente inóspito. Possui Graduação, Pós Graduação e MBA em Marketing, Gestão de Negócios e
Administração de Empresas. Tem como missão ajudar as pessoas a realizarem seus sonhos, motivando e mostrando os caminhos possíveis nas montanhas de nossa América do Sul

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.