Conceitos básicos de GPS: Entenda a nomenclatura usada

Pretende usar um GPS? Abaixo estão os conceitos básicos para começar a decifrar o uso deste aparelho que é muito útil na orientação de trekking e hiking. Entretanto, vale uma observação importante: Os artigos de conceitos básicos não substituem um curso de qualidade.

Eles servem apenas como referência e aprendizado rápido daquilo que é essencial para utilizar o GPS. Que fique bem claro para quem está a fim de encontrar o melhor método de navegação para trilhas: Não é bonito, nem motivo de orgulho, passar “perrengue” em uma trilha por conta de imprudências em torno da escolha do equipamento.

Como descrito na história do GPS, o aparelho tornou-se uma ferramenta (embora não essencial) mais do que útil para os amantes de esportes ao ar livre. Há GPS destinado ao uso na estrada, navegação marítima ou caminhadas e esportes de montanha.

Para um bom uso, a primeira coisa que devemos saber são os conceitos básicos e as nomenclaturas que usarão de maneira geral a maioria dos aparelhos de GPS para navegação de qualquer fabricante, que queremos esclarecer para que sirva de ponto de partida para a leitura subsequente. do manual do usuário do dispositivo que você comprou.

Posso usar meu telefone?

Porém para atividades de montanha em nível pré-amador (como em parques urbanos) pode ser bastante útil o uso do smartphone, até mesmo para ajudar a entender como é a navegação utilizando um aparelho de GPS. Mas uma atividade que o sinal de telefonia é intermitente como, por exemplo, o trekking do Pico dos Marins ou a Travessia da Serra Fina, é imprudente e irresponsável confiar a navegação em um aparelho de smartphone.

Para a realização de trekking simples, no nível pré-amador, e em trilhas muito simples e curtas o smartphone é o mais indicado. Para passeios de bicicleta (que não necessitam pernoite) e em locais litorâneos no estilo “bate/volta” também é viável o uso de smartphone. Isso porque nestes exercícios os aplicativos de monitoramento físico e de desempenho serão muito úteis.

Porém para uma atividade de montanha levada à sério o aparelho de GPS é o mais indicado. Sem dúvida não há margem para que as limitações de um aparelho celular frente a um GPS justifiquem o uso do primeiro. O smartphone nas atividades sérias de montanhismo é encarado como um recurso a ser usado somente em caso de emergência, não para navegação.

Conceitos Gerais

Para ter uma noção básico do uso do GPS é importante saber a nomenclatura de cada indicativo do aparelho. Mas por que? Porque em qualquer manual de qualquer aparelho, a nomenclatura básica de navegação o usuário deve possuir. Por isso, é importante saber o que significa cada palavra.

  • Sistema de Coordenadas Geográficas (Geographic Coordinate System): Conjunto de números, letras e símbolos para representar uma localização no planeta. O sistema possui:
    • Latitude: Fornece a localização de um lugar, na direção norte ou sul da linha do Equador (linha imaginária a meio caminho entre o Polo Norte e o Polo Sul). É expressa em medidas angulares que variam de 0º do Equador a 90ºN (+ 90º) do ) Polo Norte ou 90ºS (-90º) do Polo Sul.
    • Longitude: Fornece a localização de um local, na direção leste ou oeste do meridiano de referência 0º, ou meridiano de Greenwich (linha imaginária que por convenção, divide o globo terrestre em ocidente e oriente), expresso em medidas angulares de 0º a 180ºE (+ 180º) e 180ºW (-180º).
    • UTM: É conhecido como Sistema Universal Transverso de Mercatore, e nada mais é que um sistema bidimensional de coordenadas cartesianas para dar localizações na superfície da Terra. Divide a Terra em sessenta zonas, cada uma banda de seis graus de longitude e utiliza uma projeção de mercator transversa secante em cada zona.

  • Datum: É uma adaptação feita ao sistema de coordenadas geográficas para deixá-lo mais fielmente à superfície da Terra, pois não é totalmente esférico. Embora exista um Datum global, cada território definiu seu próprio Datum, entre os quais encontramos: WGS84 (É aquele que usa o GPS padrão), ED50 (usado na península ibérica), ETRS89 (utilizado em toda a Europa desde 2007), NAD83 (usado na América do Norte), SAD69 (Utilizado no Brasil) e PSAD56 (usado na América do Sul).
  • Point (ponto): É um ponto localizado em qualquer lugar da Terra e referenciado pelo sistema de coordenadas usado pelo GPS. Você pode adicionar informações de data e hora e armazenar automaticamente no GPS.
  • Waypoint (Ponto de caminho): É um point (como explicado anteriormente), mas ao qual dados mais informativos, como nome, ícone, cor etc. são adicionados. Temos que entrar manualmente a partir do GPS ou do computador.
  • Track (caminho ou trilha): É união ordenada de uma série de pontos que definem um caminho, o qual já foi percorrido anteriormente ou que projetamos em um mapa. Em termos conceituais é união de pontos podem ser armazenados. Existem quatro tipos de tracks:
    • Track Log ou Active Log ou Active Track Log: É o registro ativo de uma trilha no GPS armazenando os points e waypoints do trajeto. Pode ser armazenado após cada atividade. Existe um número máximo de pontos que você pode armazenar por cada Track Log.
    • Track Back (Trajeto de retorno): No caso do usuário se perder, por qualquer que seja o motivo, ou mesmo para retornar ao início (hiking), o dispositivo seguirá fielmente todos os points assinalados ao longo do caminho, de acordo com o Track Log armazenado.
    • Saved Track / Favourite track (Trilha salva / Trilha favorita): Trajeto armazenado no dispositivo a partir de um registro de Track Log anterior ou mesmo já carregado no computador. Dependendo do dispositivo, é possível armazenar o Track Log no computador. Cada Track Log armazenado possui um número máximo de pontos, que podem ser exibidos no GPS e um número máximo de track logs armazenados.
    • Archive Track (Trajeto salvo): É um track log salvo no GPS, mas não disponível na lista de trilhas favoritas. Nos permite ter mais trilhas armazenadas em nosso GPS, mas teríamos que passá-lo para a lista de favoritos para poder visualizá-lo no mapa.
  • Route (rota ou caminho): Route é um caminho formado por waypoints e ou POI (points of intress) em uma ordem predefinida pelo usuário. Deve preferencialmente ter começo e fim e que nos permite que o GPS nos guie entre eles pelos caminhos que possuem o mapa que estamos usando. As routes podem ser criadas desde um computador ou no próprio GPS.
  • Go To: Função GPS na qual indicamos um waypoint para o qual queremos que o navegador direcione. A tela do dispositivo mostrará uma linha reta entre o ponto atual e o destino desejado.

Manuseando track logs

Ao observar a nomenclatura acima, é fácil perceber que tudo gira em torno do track log. Usualmente considera-se que os track logs são feitos pelos praticantes de trekking. Os track logs funcionam como auxílio no momento de planejar a melhor rota de trekking, baseada na experiência de outras pessoas.

Como todo track logs é armazenado em um aparelho de GPS, muito provavelmente em algum momento irá necessitar descarregar (download) os dados do aparelho de GPS para um computador. Para usar os track log, é possível utilizar softwares desenvolvidos para fazer uma melhor leitura e manipulação destes dados. Os principais softwares são:

  • Maps 3D PRO: Aplicativo pago de Smartphone e custa US$ 5,00. O aplicativo, no entanto, é centralizado no mapa e permite downloads e armazenamento gratuitos de mapas no seu dispositivo para acesso off-line. Além de possuir e gráfico em 3D, como o próprio nome anuncia, também permite compartilhar os track logs em redes sociais.
  • Wikiloc: É o aplicativo de um site, lançado em 2006, que oferece trilhas e pontos de GPS gratuitos que os membros podem enviar e compartilhar. Assim como o Maps 3D PRO, o WikilocÉ também tem dados de velocidade de progressão e altitude em tempo real e permite o compartilhamento em redes sociais.
  • Maverick: Aplicativo que é possível gravar caminhos no formato do Google Earth (GPX) e compartilhar posição nas redes sociais. Oferece acesso a dados como: velocidade de progressão, altitude, latitude e longitude. Possui diferentes tipos de mapas com opções de transportes urbanos.
  • CompeGPS: Empresa líder em software de visualização de mapas e gerenciamento de dados GPS. Oferecem grande diversidade de produtos, desde a programação de uma rota de trekking pelos Alpes até a transmissão das competições de asa-delta mais importantes.
  • MapSource: É um dos programas da Garmin que que permite criar, visualizar e editar waypoints, rotas e track log no seu computador e transferi-los para dispositivos GPS (e vice-versa). Desde 2010 foi substituído pelo moderno BaseCamp.
  • BaseCamp: Aplicativo de mapas 3D da fabricante de dispositivos de GPS Garmin, que permite a transferência de mapas personalizados, imagens aéreas, waypoints, track log e rotas entre o seu computador e o aparelho.

Comente agora direto conosco

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.