Como encontrar a motivação para escalar

 

Motive-se!

Mais um final de semana chegando, tantos estão em seus trabalhos já contando as horas, uns para dormirem, curtirem a noite, outros planejando a faxina do apartamento, enquanto uma pequena parcela não dá folga para o “F5” em pelo menos três sites de previsão do tempo eleitos os mais otimistas. Alguma dúvida de quem seriam estes últimos? Existe um sentimento imprescindível para que sejamos um destes e seguirmos firmes na escalada: Motivação!

Essa é a primeira etapa e talvez a mais difícil por envolver diversos fatores, jeito, medo, companhias, investimentos, etc, temos que nos deixar apaixonar pelo esporte. Os motivos não são universais, cada um terá os seus, por isso, é preciso buscar autoconhecimento e experimentar.

Eu comecei pela motivação pessoal…Outro dia falei aqui sobre o que eu sinto pela escalada, e esse sentimento é minha principal motivação, comecei a escalar porque precisava “sentir-me viva”, e a escalada me proporcionou isso.A gente sabe que o ser humano é movido por desafios e são eles que nos escolhem. A escalada me desafia. Desafia meus medos, meus limites físicos e mentais. Tira da zona de conforto!

motivação para escalar2Precisamos acreditar, assim, quanto mais difícil for, mais nosso psicológico nos impulsiona a tentar, dessa forma o limite que nos impomos vai se expandindo gradualmente ao seu tempo de forma responsável e prazerosa. Temos que ser mais teimosos e persistentes!

Na segunda-feira depois que eu escalo a semana começa diferente, com mais garra, mais vigor, como se eu me sentisse forte para encontrar soluções e reclamar menos. A motivação pessoal é o principal combustível, reconhecer em você o porquê de estar desenvolvendo esta atividade e ela tornar-se parte da sua vida como um impulso vital.

O montanhista Waldemar Niclevicz compartilha em sua entrevista no documentário “Eu maior”, a sua motivação pessoal:

“Você estar na montanha desempenhando um esforço físico intenso, muitas vezes correndo riscos, gera-se uma grande introspecção, você começa a pensar em tudo na sua vida naquele momento que você está ali … e aí você começa a se conhecer, resolver problemas dentro de você e ter forças para encarar o mundo em si, encarar pessoas, encarar  situações, isso causa uma evolução (…) Eu precisei ir até a montanha para poder me encontrar e me ver diante de um espelho…”.

Estabelecer metas…Claro que todos nós queremos escalar vias mais difíceis, até eu tenho aquele projeto que antes de dormir faço questão de relembrar cada movimento. Isso não é ruim (eu acho rsrs), pelo contrário, direciona para a evolução. Não podemos nos bloquear com graduações, temos que escalar, entrar na via e encontrar o nosso jeito nela (eu repito sempre isso para mim rsrs). O resto é conseqüência.

Encadenar uma via é uma sensação poderosa sim, é um momento que você sente plena liberdade de poder estar exatamente onde gostaria. Mas esse sentimento completa-se quando sabemos reconhecer o quanto tivemos que trabalharmos nosso equilíbrio emocional, medo x coragem, valorizando cada aprendizado durante a escalada, e assim desfazendo falsos sentimentos criados pelo ego, que muitas vezes distorcem as razões de tanto esforço para se chegar lá.

“Suba a montanha não para fixar sua bandeira, mas para abraçar o desafio, desfrutar do ar e usufruir da paisagem. Escale-a para que possa ver o mundo, e não para que o mundo possa te ver.”

– David McCullough Jr.

motivação

Foto: Krystle Wright

A natureza...Escolhemos um esporte que dependente 100% das condições ambientais para sua prática, assim assumimos mudanças comportamentais que nos colocam em sintonia com a natureza para usufruirmos de forma consciente e harmoniosa o que ela nos oferece.  Ao alcançarmos um cume ou chegarmos ao final de uma via, ela se apresenta diante de nossos olhos, como recompensa pelo nosso triunfo sobre o medo e cercados por ela, nos conectamos de forma singular com fauna e flora, sentindo-nos parte.  Aposto que você já ouviu de um seg em plena sua escalada dizendo: Não pisa na florzinha! (rsrsrs), isso é respeito e consciência, por aquilo que nos fascina.

As pessoas…Sim, estas têm capacidade ímpar de nos motivar para a vida toda. Sempre teremos aqueles atletas que nos inspiram, parcerias que admiramos sejam pela conduta dentro do esporte, pela sua performace na rocha, ou alegria que espalham no setor. Mais que isso, esse esporte nos apresenta amigos, parcerias que passam a fazer parte da nossa vida e passamos a ser um para o outro a própria motivação, quando um esmorece o outro vai lá e puxa. Não importa quantos anos de escalada você tenha a desmotivação por vezes irá bater, mas será com amigos, um churrasquinho e uma boa conversa que motivos para continuar nunca faltarão.

Enfim, cada um encontra suas próprias razões, estas são os que me mantém perseverante e motivada, e que também podem ajudar você que ainda está aí indeciso se investe ou não na sapata (rsrsrs), borá lá!

motivaçãoLogo passará a rever atitudes e conceitos, e dessa forma um novo estímulo de vida surgirá com base na simplicidade, adrenalina e companheirismo. Suas buscas serão pessoais, seu crescimento será pessoal, porém, suas vitórias, alegrias, cadenas e quedas serão sempre compartilhadas. Mas aí vai uma dica, não escale por obrigação, não deixe que vire um jogo de poderes entre você e suas fraquezas, motive-se pela vibração, pela superação e diversão que você encontra lá, seja na trilha, na base ou buscando o melhor jeito de se enquadrar num lance, algo irá lhe fisgar.

Há quem diga que escalar é prazer, lazer, religião, filosofia, estilo de vida, quem sabe até uma fuga, pode ser tudo isso sim…Mas não deixe que seja, nunca, um pódio, simplesmente para alimentar seu ego.

Descubra o que te motiva de forma saudável e boas escaladas.

Sobre o Autor

Viviane Durigon

Viviane Durigon

Gaúcha Santamariense, perna oca, piadista, Contadora, principalmente de boas histórias, que encontrou na escalada uma paixão e uniu a outra, escrever. Uma novata, ruim de queda, entusiasmada e enfeitiçada pelo esporte.

There is one comment

  1. Jorge Lopes

    Há 3 meses em academia e exatamente 1 dia após minha primeira rocha, eu só quero conversar sobre EXATAMENTE tudo o que você escreveu. Mas, claro, no dia-a-dia e longe das paredes ninguém vai compreender esse sentimento. O texto saciou. Obrigado!

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.