Avaliação mochila Guide 35+ – Deuter

A mochila Guide 35+ da marca alemã Deuter, possui design alpino minimalista e, segundo o seu fabricante, é indicada para o uso em escaladas, montanhismo, hiking, trekking, esqui, snowboard e outras atividades de montanha.

De acordo com as especificações disponibilizadas pelo fabricante, o modelo possui várias implementações em sua fabricação que a deixe leve, resistente e robusta, sem comprometer o rendimento do atleta.

A mochila testada possui capacidade de 35 litros (expansível até 42 litros), armação de alumínio em X removível, barrigueira também removível (assim como um pequeno isolante térmico) e presilhas para piolets e fixação de capacetes.

O teste

A mochila Guide 35+ foi testada em uma viagem de escalada de 30 dias pelo Chile, no qual lugares tradicionais foram visitados como Valle de Los Condores (15 dias) e Cajón del Maipo (uma semana). A mochila foi utilizada ainda para atividades de passeios urbanos, nos quais foram utilizados transporte público e rodoviário.

O equipamento carregou prioritariamente materiais de escalada esportiva, estando sempre cheia na totalidade de sua capacidade. Durante a escalada a mochila ficou exposta a vento, frio e sol intenso. A mochila não teve nenhum tratamento especial, seja no transporte ou nos dias de descanso.

A mochila Guide 35+ era utilizada, sobretudo nos dias passados no Valle de Los Cóndores, para caminhadas de aproximação aos setores de escalada, que variavam de 3 a 5 km em média. As caminhadas eram realizadas sob sol intenso e sem sombra, sob solo irregular e terreno fofo.

Durante as escaladas no Valle de Los Cóndores, foi utilizada não somente para transporte, como também durante escaladas que possuíam mais de uma enfiada, assim como na ascenção e descenso de uma via ferrata de 30 metros de altura.

Sempre que foi limpa, não foi utilizado nenhum produto químico específico, somente pano úmido e deixada para secar à sombra.

Durante o transporte, ficou armazenada junto de bagagens de outros passageiros (seja em avião, ônibus ou carro).

Prós

  • Qualidade dos materiais
  • Rápida evaporação do suor nas costas
  • Ótima relação peso/volume
  • Design minimalista

Contras

  • Algumas presilhas apresentam fragilidade
  • Disponibilidade de cores

Notas

  • Qualidade de material: 5,0
  • Acabamentos: 4,5
  • Ergonomia: 5,0
  • Design: 4,5
  • Facilidade de Limpeza: 4,5
  • Relação custo x benefício: 4,0
  • Nota Final: 4,58

Opinião

A mochila Guide 35+ surpreendeu as expectativas iniciais, especialmente quanto á sua capacidade de armazenamento. Apesar de parecer reduzida, seu espaço interno parece multiplicar-se quando é utilizada, sobretudo com os equipamentos de escalada. Por ser uma mochila pensada para escaladores, possui excelente equilíbrio quando utilizada durante a atividade. Seu encaixe no corpo colaborou muito para o conforto do escalador durante a escalada.

O equipamento também provou ser bem distribuído e mesmo em caminhadas longas, com solo fofo e sol intenso, não comprometeu o rendimento do usuário. Seu sistema de evaporação do suor nas costas mostrou eficiência tanto em 2.000 metros acima do nível do mar (Valle de Los Cóndores), assim como em caminhadas sob sol intenso à beira mar (Valparaíso/Viñas del Mar).

O ponto forte do equipamento é, além do minimalismo externo, é sua capacidade de conseguir carregar todos os equipamentos de escalada. Mesmo com muitas costuras (vias do Valle de Los Condores são em média 30 metros), cordas de 70 metros, sapatilhas de escalada, comidas para consumo durante a atividade e água, ainda havia possibilidade de carregar uma ou outra coisa.

O calcanhar de Aquiles da mochila está na capacidade de seu bolso no topo. O mochileiro que estiver acostumado com o armazenamento de muitos objetos, pode decepcionar-se com o tamanho da mochila Guide 35+. Não que o bolso seja inexistente, mas a sua filosofia de tamanho e capacidade acompanha o design minimalista proposto pelo fabricante.

A mochila Guide 35+ provou ser equipamento versátil, além de bastante resistente. Com excelente custo benefício, a mochila promete uma grande longevidade e é talvez dos produtos mais indicados para quem deseja um equipamento multiúso e resistente.

Formado em Engenharia Civil e Ciências da Computação, começou a escalar em 2001 e escalou no Brasil, Áustria, EUA, Espanha, Argentina e Chile. Foi jurado do Rio Mountain Festival e já viajou de mochilão pelo Brasil, EUA, Áustria, República Tcheca, República Eslovaca, Hungria, Eslovênia, Itália, Argentina, Chile, Espanha, Uruguai, Paraguai, Holanda, Alemanha e Canadá. Realizou o Caminho de Santiago, percorrendo seus 777 km em 28 dias.

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.