Crítica do Filme “Ganesh [5.14a] – First Ascent by Gérôme Pouvreau”

Ganesh_0

Considerado um dos clichês mais eficientes dos filmes de escalada, as road-trips são garantia de grande audiência quando executadas.

Viajar para conhecer lugares inéditos, pessoas interessantes e realidades totalmente diferente das que vivem fazem parte de toda e qualquer viagem de escalada.Ganesh_3

Não é nenhum exagero afirmar que um escalador somente evolui efetivamente quando sai da sua zona de conforto que habitualmente é o local que escala frequentemente.

Se durante as férias o escalador ainda assim vai ao mesmo lugar que habitualmente escala evidencia que ficou parado no tempo.

Citada como um dos países mais exóticos do mundo a Índia ainda desperta desconfiança e curiosidade da comunidade outdoor.

Ganesh_6Quem pensa que somente as práticas místicas de Yoga, meditação transcendental e etc é a atração  necessita rever seus conceitos.

Já retratada no passado por produções como “Rampage” o país é o paraíso para escaladores esportivos e boulderistas.

Munido desta curiosidade o escalador francês Gérôme Pouvreau arrumou as malas e partiu para a Índia com o intuito de realizar a primeira ascensão (a primeira cadena em linguajar mais simples).

Para a tentativa foi acompanhado pela equipe da “Baraka Films”, conhecida por suas edições criativas e seu trabalho junto à marca de equipamentos francesa Petzl.

Ganesh_8

A soma de todos estes fatores é um curta interessante de ser assistido, especialmente pela qualidade de edição e simplicidade de roteiro.

Roteiro aliás que merece destaque por não querer “reinventar a roda” e aposta na simplicidade de apenas retratar um relato de viagem e uma primeira ascensão.Ganesh_4

Esta simplicidade e eficiência podem ser observados no fato de que mesmo não sabendo o idioma entende-se facilmente diálogos e acontecimentos.

Ganesh_7Não há uma preocupação de que a produção tenha ares de “cult” ou que retrate paraísos inesquecíveis, muito menos a pirotecnia de imagens utilizada em abundância em produções recentes (em especial as fraquíssimas produções da RedBull).

Nesta aposta pela simplicidade é que confere a “Ganesh” uma qualidade acima das produções comumente realizadas, servindo até mesmo de exemplo para quem planeja produzir produções da mesma envergadura.

Mesmo nas imagens de escalada fica latente que a limitação de recursos ( não tinham nem grua, e nem os recentes Drones que hoje a produtora possui) não baixou a qualidade, e sim estimulou a criatividade dos produtores.Ganesh_1

O filme, entretanto, está longe de ser uma obra inesquecível e figurar entre os melhores filmes já realizados pela “Baraka Films” (“Tuzgle” e “Petzl Roc Trip China” ainda figuram entre suas melhores ) mas evidencia o olhar diferenciado e a habilidade acima da média com edição de som e imagens.

Em aspectos técnicos o filme é uma verdadeira aula de habilidades de edição, que é a marca registrada dos produtores e já nesta produção (meio antiga para os dias atuais) evidencia o talento.Ganesh_5

“Ganesh” é uma ótima referência para quem está começando e essencial para quem acredita que excesso de recursos é que garantem a qualidade de um filme.

Nota Revista Blog de Escalada:

Formado em Engenharia Civil e Ciências da Computação, começou a escalar em 2001 e escalou no Brasil, Áustria, EUA, Espanha, Argentina e Chile. Foi jurado do Rio Mountain Festival e já viajou de mochilão pelo Brasil, EUA, Áustria, República Tcheca, República Eslovaca, Hungria, Eslovênia, Itália, Argentina, Chile, Espanha, Uruguai, Paraguai, Holanda, Alemanha e Canadá. Realizou o Caminho de Santiago, percorrendo seus 777 km em 28 dias.

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.