Escalada e o estilo japonês: Por que ele é o melhor do mundo?

Como é que aconteceu de chegar cinco asiáticos (dos quais 4 eram japoneses) e somente um europeu (que era nada menos do que Adam Ondra) na primeira etapa da Copa do Mundo de Escalada?

Começa a competição de boulder no meio do continente europeu, onde o poderio nipônico fica mais de demonstrado. Adam Ondra, até o último boulder, estava atrás de um japonês, o ex-campeão do mundo na disciplina Tamoa Narasaki. Muitos opinam que sua experiência em fendas (algo que nunca foi implementado em competições até então) foi a grade vantagem para ganhar, sem entrarmos, claro, no mérito de que é o melhor escalador do mundo atualmente. Mas não nos esqueçamos que nos últimos tempos, o próprio Ondra decidiu treinar no Japão. Para alguns era uma competição entre amigos e Adam Ondra era a parte da camada de escalada treinados no país do sol nascente.

Foto: Eddie Fowke

Hoje em dia estamos vendo como o poderio do Japão está arremetendo com tudo nas competições de escalada (velocidade, boulder e vias guiadas). O constante crescimento da escalada no Japão é uma amostra do bom trabalho que souberam fazer durante anos. Por isso mesmo que muitos refletem a respeito do assunto hoje. Teremos de nos acostumar ao estilo ninja, que chegou para ficar.

O ninja cada vez mais se impõe mais e mais nas competições de escalada em todas as modalidades. A mentalidade do asiático de dar sempre seu melhor esforço a todo momento, o ímpeto inquebrável, além de aproveitar a escalada com movimentos que antes eram impensados. De uma escalada estática, usando força controlada em cada movimento, em um estilo de escalada mais estilista, o esporte passou a movimentos de máxima fluidez e potência unidos.

Foto: IFSC/Eddie Fowke

Sua mentalidade é muito diferente das demais culturas do mundo. É conhecido o quão meticuloso são os japoneses ao praticar esportes. Eles nunca competem com os demais, pois seu foco é sempre dar o melhor esforço no que fazem. Sua coordenação passa a ser algo que vem do berço, quiçá a genética os favorece na escalada atual. Eles sabem usar muito bem a força cinética, fluidez de movimento em todo momento. Gestualidade em 100%, técnica em 100%, alongamento perfeito, abertura de quadril completa, coordenação em 100%, é o que poderíamos dizer de um escalador completo que poderia escalar qualquer estilo: dinâmico, semi-estático, estático, desequilibrado, etc.

É incrível ver finais divertidas e entretenidas nas competições de boulder. Muito com o trabalho que fazem também os route setters, dos quais podemos ver os movimentos muito corporais, compressões, coordenações, dinâmicos, entalamentos, equilíbrio, etc. O poderio asiático está no auge neste momento e, seguramente, estará ainda em Tóquio 2020, sendo muito difícil para o resto do mundo.

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.