Impressões sobre “El Bolsón” – Patagônia Argentina

Como prometido, o Blog de Escalada irá fazer algumas avaliações dos locais visitados. Como não encontrei nenhum brasileiro pelo caminho, conclui que os destinos escolhidos não são muito famosos por aqui.

Para ir para El Bolsón, não há aeroporto. Para quem procura o conforto máximo de ir par aum local mais alternativo. Uma maneira bem comum de ir para lá é tomar um ônibus em Bariloche e descer por lá.

A cidade foi fundada por uma comunidade Hippie, por isso algumas coisas possam parecer estranhas para o turista acostumado a mimos. Lá não possui hotel, somente hostels, pousadas e chalés e muitos campings.

Os ônibus da cidade são carinhos, e há de se ficar atentos aos horários que levam aos locais de trilhas. Os passeios são meio longe do centro urbano, e por isso deve-se se programar.

Em alguns passeios, há a opção de ir a cavalo (porém é considerado opção de “mauricinhos” pelos argentinos) em vários.

Não há muitos restaurantes, e os que existem não funcionam com cartão de crédito.

O que levar :

Barraca, Saco de Dormir para conforto a 0º, capa de chuva (ou parka de qualidade), protetor solar, tênis para trekkings, meias para trekkings, dinheiro em espécie em moeda local, netbook (se quise aproveitar os vários locais com wifi gratis da cidade), garrafas para abastecimento de água.

Equipos testados :

Barraca Apolo Guepardo : Tomou um chuvão, recebeu umas rajadas de ventos, e mesmo assim não nos passou apuro. Houve barracas que molharam ao nosso lado e a nossa não.

Meias trekking Curtlo (com cool max) : Foram usadas, e aprovadas com louvor. Uma meia destas de algodão copradas no Supermercado teria detonado meus pés.

Meias trekking Lorpen : Foram usadas em um trekking em um clima um pouco mais quente que o normal para a região. Esquentou bem meus pés, mas não chegou a comprometer com bolhas.
Windstopper da Solo : Em dias com vento, e um frio mais severo, o casaco não deixou a desejar aos concorrentes importados.Saco de Dormir Trilhas e Rumos : Mesmo sendo usado dentro do limite, o saco de dormir não passamos frio. A sua compressão alta fez com que a montagem/desmontagem das mochilas.Passeios recomendados :

Trekking Bosque Tallado.
Passeio Lago Puelo.
Trekking Hielo Azul
Trekking Cajon del Azul.
Passeo de la Cascada.
Feira Hippie do dia de Sábado.
Heladeria La Jauja
Cervejaria El Bolsón (a do início da cidade)
As informações de cada passeio pode ser feito no centro turístico da cidade.

 

Sobre o Autor

Luciano Fernandes

Luciano Fernandes

Engenheiro e Analista de Sistemas, começou a escalar em 2001 e escalou no Brasil, Áustria, EUA, Espanha e Argentina. É totalmente dedicado ao esporte de escalada em rocha e é apaixonado em filmes Outdoor. Para aproveitar melhor esta paixão fez curso de documentário na Escola São Paulo, além dos cursos de “Linguagem Cinematográfica” e “Crítica de cinema”. Foi jurado do Rio Mountain Festival. Já viajou de mochilão pelo Brasil, EUA, Áustria, República Tcheca, República Eslovaca, Hungria, Eslovênia, Itália, Argentina, Espanha, Uruguai e Paraguai, Holanda, Alemanha e Canadá.

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.