Mosquetões “Made in China” oferecem perigo a escaladores

Vem sendo amplamente denunciado por meios de comunicação na Europa o perigo da proliferação de produtos “ching-ling” (gíria para reproduções chinesas de produtos).

Foi denunciado na Europa que produtos chineses, não certificados pelo UIAA e que ainda possuem um logotipo muito similar ao da comunidade europeia.CE_marks[1]

Para que o mais leigo entenda: Todos os equipamentos de escalada DEVEM ser certificados pelo UIAA (União Internacional das Associações de Alpinismo em francês).

UIAA[1]Este órgão confere requisitos mínimos de resistência de material, procedência entre outros parâmetros.

Todo e qualquer equipamento de segurança em escalada DEVE possuir o selo da UIAA.

Não há exceções.

Porém alguns produtores de materiais de ferro chineses andam “exportando” estes mesmos produtos para a Europa, na esperança de que algum escalador mais distraído compre o produto.

Estima-se que algumas academias, europeias ou não, que usam produtos “não-UIAA” como forma de diminuir custos.

Na sua maioria são usadas em vias de top-rope. Os produtos chineses também não seguem a convenção de que deve se escrever no corpo de qualquer mosquetão: “not for climbing”

Desnecessário lembrar mas caso o produto falhe muito provavelmente haverá acidentes graves.

Para provar a baixa qualidade dos produtos como mosquetões e fitas, uma revista espanhola promoveu uma bateria de testes com estes produtos em laboratório.

Os resultados não poderiam ser piores: não houve nenhuma amostra que passou nos requisitos básicos.

Tanto de resistência quanto de desgaste.

Para saber mais sobre os testes veja em (texto em ESPANHOL): http://desnivel.com/

Engenheiro e Analista de Sistemas, começou a escalar em 2001 e escalou no Brasil, Áustria, EUA, Espanha, Argentina e Chile. Foi jurado do Rio Mountain Festival e já viajou de mochilão pelo Brasil, EUA, Áustria, República Tcheca, República Eslovaca, Hungria, Eslovênia, Itália, Argentina, Chile, Espanha, Uruguai, Paraguai, Holanda, Alemanha e Canadá. Realizou o Caminho de Santiago, percorrendo seus 777 km em 28 dias.

There are 12 comments

  1. fernando cesar

    boa noite. vi que o post é bem antigo porém fiquei encucado. comprei um jogo de costuras black diamond na espanha em 2013. como tinha muito ecipo pra usar ainda até esqueci do kit costuras guardado e só agora vi que são made in china. . sabem se a BD tem fabrica na china ou seriam falsificadas? grato

    1. Luciano Fernandes

      OI Fernando, sugiro que consulte a Black Diamond. Muito provavelmente suas costuras possuem um número de serie. Este numero de serie permitirá a empresa confirmar se é ou não da empresa. Algo ser fabricado na china não tem nenhum problema. As empresas exigem padrões de qualidade que os chineses (ou os escravos utilizados por eles) cumprem. O problema é que os descritivos de materiais e as patentes são desrespeitadas por eles que fabricam os xing-ling, economizando em materiais e qualidade.

      abs

  2. Ricardo Perez

    Todos os produtos podem ser copiados e também tuas gravações. E isso sempre vai acontecer com os produtos mais famosos, como PETZL, CAMP, etc…por isso é importante comprar de revendas autorizadas, quardar a nota fiscal, e acompanhar com fichas de uso e inspeção nossos produtos. Peçam também o laudo de teste desses produtos. Isso ajuda e muito.

    Agora sobre normativas existe um pequeno detalhe, a partir de 1989 as normativas europeias – EN foram escritas e todos produtos para serem comercializados no mercado europeu tem que ser testados conforme as EN e levar a gravação CE, bem como o numero do laboratório na frente, exemplo CE 0299 (www.zs-bgbau.de). Isso é LEI. O restante (UIAA) no caso é secundario.

    Ricardo Perez
    COLLEGE – N3E

  3. Daniel

    Na verdade, nem tudo está correto aqui. Os equipamentos da black diamond não são UIAA e nem por isso deixam de ser robustos e de qualidade. Até hoje, os mosquetões chineses que eu pude ver, eram todos marcados e os que não eram, dava pra ver que eram muito fracos. Bom senso sempre. É a sua vida no final da corda, não teste sua vida num mosquetão duvidoso.

  4. Rodrigo Zanardini

    Essa é a hora que não vale a pena economizar. Existem várias marcas de renome e com todas as certificações necessárias no mercado, não tem pq. ir atrás de produto chinês. O problema é quando o xing-ling quer se passar por outra marca e engana visualmente, então preste a atenção na hora da compra e procure por lugares de tradição e especializados para comprar seus equipos!

    Um detalhe que eu “editaria” no texto, é que tem exceções para o UIAA sim, visto que nenhum equipamento da Black Diamond possui esta certificação, mas sabe-se que os testes que eles executam são até mais exigentes que da UIAA. Sistema de freio (asseguradores / descensores) também não possui certificação sendo o nó UIAA o único sistema recomendado.

  5. Daniel Medina

    Embora devemos lembrar que quase todos, se não forem realmente 100%, dos acidentes fatais com serviços de alpinismo industrial ou escalada foram por pura imprudência do usuário do equipamento. Porém isso não redime a culpa dos fabricantes que colocam no mercado produtos de baixa qualidade. Bom, foram expostos os teste, agora vai de cada um o que querem usar, antigamente usava-se corda de sisal e bota não é? No entanto existe a necessidade de se expor a um risco desnecessário? Quer adrenalina, escale em solitário, auto-segurança, à moda da Rep. Tcheca, mas não usem equipamentos de qualidade sob suspeita (isso vale tanto para equipos muito usados quanto os de baixa qualidade). Isso só compromete a seriedade do esporte e a confiança dos que querem experimentar. Abraços e boas escaladas.

  6. Eduardo Bicudo

    Pessoal, vale a pena lembrar que existem sim outras normas para elaboração e fabricação de equipamentos sejam eles para escalada, para trabalhos em acesso por corda e resgate, resumindo, todos são equipamentos para escalada,
    Algumas normas e padrões de testes de equipamentos, ANSI, NFPA, 3SIGMA, CE, EN, UIAA. Cada uma delas diz uma diretriz minima para carga de ruptura, entre outras regras.

    E querendo ou não os próprios consumidores são os culpados, por comprarem algo, sem procedência, e principalmente sem ler os manuais, antes da compra.

    Esse é um assunto bem complicado.

    Boas escaladas.

  7. Rodrigo Genja

    UIAA significa União Internacional das Associações de Alpinismo! E no artigo ele menciona que esses mosquetões são usados nas bases das vias pra galera poder limpar a via de baldinho. E que o melhor deles não superou o pior mosquetão “de verdade” UIAA com vários anos de uso deixado na via inclusive com avarias. Eu particularmente desci de MUITA via na espanha que tinha esses mosquetões na base. Você troca o risco de fazer um procedimento errado na hora de armar o rapel por descer rapidamente sem ter que se desencordar, em um mosquetão com uma resistência inferior a 1000kg. Se é pra fazer um baldinho pra limpar uma via esportiva apenas, particularmente não tenho nada contra. Em parede ja tenho minhas restrições.

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.