Crítica do filme “Vertical Highway”

vertical-highway-capaViajar para um outro lugar, com cultura, comida pessoas e lugares diferente dos que estamos acostumados é fundamental para crescermos como indivíduos. Este intercâmbio de valores, e aprendizado fora da zona de conforto habitual, é que faz com que toda uma comunidade amadureça.

Os filmes outdoor baseados em viagens é talvez dos maiores clichês do gênero, e mesmo que todos acreditem que já tenham contado todas as histórias, sempre haverá alguém com uma visão diferente, mostrando um lado curioso, de locais já visitados e divulgados.

Obviamente há também quem não sabe realizar um filme sobre uma viagem, confundindo com relatos pessoais, recheado de piadas internas e gracinhas que não são engraçadas. Este erro é muito comum em quem acredita ser mais inteligente que o resto da humanidade, e que não respeitar nenhuma regra é o mesmo de subverter convenções do gênero.

vertical-higway-5

Este tipo de comportamento juvenil não fez parte da produção de “Vertical Higway”, um filme descontraído e informativo sobre a viagem do escalador chinês  Lie Feng aos EUA para escalar a via “To Bolt or not To Bolt”, a primeira via de graduação 5.14 (10c brasileiro) do país.

Na viagem Feng aproveitou para conhecer outros lugares famosos da escalada americana: Smith Rock, Yossemite, Red Rocks, etc.

Com muita simpatia e simplicidade o escalador chinês apresenta a escalada nos EUA com uma visão bem de turista, analisando os costumes e curiosidades de uma região totalmente nova para ele.

Mesmo que Feng tenha o objetivo de encadenar uma via, o filme não se torna em nenhum momento maçante, muito menos auto referencial sobre diferença de costumes.

vertical-higway-7

Apresentando os lugares, e as escaladas, de forma linear o filme envolve suavemente o expectador que acaba por ficar inspirado a realizar a mesma viagem.

De maneira madura Lie não faz nenhuma piada, nem tenta ser cômico, e mesmo com recursos relativamente avançados para uma produção sem muitas pretensões (há uso de drones por tempo considerável), “Vertical Higway” não tenta em nenhum momento ser mais do que é.

Um outro ponto que a produção de destaca dentre as outras de seu gênero é o espaço destinado à veteranos que abriram vias e fizeram a história do lugar. Os produtores se preocuparam não somente em mostrar quem eram, mas também dar voz e opinião a estas pessoas que conquistaram a via no passado.

vertical-higway-2

Há ainda no filme o reconhecimento ao patrocinador oficial da produção, com entrevistas e imagens da própria fábrica da empresa, mostrando quem são as pessoas por detrás dela, o que por si só já é inovador em termos de marketing.

E é nesta humildade e simpatia que a produção mostra-se madura e interessante, pois o diretor não se mostrou preocupado em documentar apenas a escalada de uma via, e sim a diversão e sensação de prazer que é viajar a outros lugares.

“Vertical Higway” é um filme acima de tudo honesto, que entrega ao seu público exatamente aquilo que promete logo no seu início: a sensação de liberdade, felicidade e harmonia que a escalada proporciona.

Nota Blog de Escalada: 

vertical-higway-6vertical-higway-3

vertical-higway-4

vertical-higway-1

Engenheiro e Analista de Sistemas, começou a escalar em 2001 e escalou no Brasil, Áustria, EUA, Espanha e Argentina. É totalmente dedicado ao esporte de escalada em rocha e é apaixonado em filmes Outdoor. Para aproveitar melhor esta paixão fez curso de documentário na Escola São Paulo, além dos cursos de “Linguagem Cinematográfica” e “Crítica de cinema”. Foi jurado do Rio Mountain Festival. Já viajou de mochilão pelo Brasil, EUA, Áustria, República Tcheca, República Eslovaca, Hungria, Eslovênia, Itália, Argentina, Espanha, Uruguai e Paraguai, Holanda, Alemanha e Canadá.

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.