Saiba como lidar com suas perdas na vida

12-01Passei um tempinho sumida daqui, mas não desaparecida.

Recebia e lia os vários posts do Blog de Escalada  e percebi que durante este tempo longe um assunto pareceu mais presente do que outros, o que dizia respeito a perdas.

Pois é, sabemos que viver significa correr riscos, e riscos levam a perdas e ganhos.

Mas perder muitas vezes dói, machuca, incomoda, frustra.

Quando perdemos um parente, um emprego, um amor, uma chance de ser feliz, tudo isso representa um momento na vida de cada pessoa de grande sofrimento e há quem não suporte.

Pensar que nunca mais veremos novamente a outra pessoa, que não teremos mais momentos gostosos junto, que não poderemos rir da fofoca contada, não poderemos nem dar nem receber aquele abraço apertado, nos traz a sensação de um grande vazio.

Este vazio nos da um adormecimento na alma, uma dor no fundo do coração, um aperto no peito e nos faz sentir desamparados e abandonados. climbing_2603711b

Como dizia a escritora Clarice Lispector, um “desamparo de estar vivo” .

As pessoas ficam com a sensação de terem sido roubadas em algo a que tinham direito.

Passam por um processo doloroso que envolve sofrimento, medo, revolta, raiva, culpa, depressão, isolamento, desinteresse pelas atividades costumeiras ou excesso de atividades.

É claro, cada um reage a sua maneira. Apesar das diferentes reações podemos dizer que existem pontos ou fases comuns nas situações de perdas.

  • O primeiro ponto é a fase do choque, da negação e o não acreditar na realidade.
  • O segundo ponto é a fase da raiva, é onde a pergunta “por que eu?”, “Por que comigo?” é dita.
  • O terceiro ponto ou fase é a de retraimento, de afastamento dos outros enquanto buscam alcançar um estado de entendimento ou até de aceitação.

BackpackingOrFlashpacking[1]A pessoa que vive uma perda passa por um período de luto.

O tempo do luto e a maneira de vivê-lo depende das circunstâncias da perda, do significado desta para a pessoa, e o modo de cada um lidar com situações de crise.

Neste período o enlutado poderá reconhecer, mesmo sendo difícil o reconhecimento, que a dor e o pesar são partes necessárias do viver.

Neste reconhecimento o enlutado poderá se dar conta que a vida será diferente sem a presença da pessoa que morreu.

Mas para isso será necessário perceber que tudo que está sentindo neste momento de perda é um processo, não um evento.

Além da compreensão intelectual, existe a compreensão emocional e espiritual.

Ou seja: além de entender na mente, vai precisar também entender no coração.

Muitas pessoas, para entender no coração encontram várias saídas.

Algumas viajam, outras engravidam, outras pintam e assim vai.

Todos os caminhos trilhados para amenizar a dor tem o significado de dar a volta por cima.

É este dar a volta por cima que da força para continuar arriscando e continuar vivendo.

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.