[EXCLUSIVO] Crítica do vídeo “El ultimo tango”

O vídeo de 14 minutos, “El Ultimo Tango” é uma produção bancada pela Petzl e North Face e realizada pela produtora SouthFilms do Chile.

O filme narra a tentativa de uma dupla de escaladoras (Soho Langbehn e “Hormiga” Cintia Percivati) em se escalar uma via que leva o nome do vídeo no local de escalada “La Mina”. A via em questão é um paredão de cinco cordadas com grau de dificuldade 9b e 9c brasileiro (7c+ e 8a francês).

A importância desta via é que nunca houve uma ascensão em livres da mesma. Além das dificuldades naturais de escalada, soma-se o clima e dificuldade de acessos.

Vários fatores que contribuem para que uma escalada seja uma verdadeira conquista.

Com uma boa fotografia o filme inicia apresentando as duas escaladoras  sendo uma argentina e outra chilena.

O filme é totalmente realizado em espanhol, e não contém legendas em inglês.

Mostrando de maneira sucinta todos os preparativos e expectativas sobre o desafio. Com diálogos que priorizam o sentimento de cada escaladora o roteiro sabe preparar a tensão necessária para saber se a dupla irá ou não realizar a escalada.

Durante maioria destes diálogos o barulho do vento nos microfones impossibilitou uma boa qualidade de áudio.  Este tipo de problema persistiu durante todo o resto do vídeo.

Este problema não é comprometedor do filme, mas torna-se desconfortável para quem o assiste.

Durante a escalada é quando a qualidade do vídeo perde um pouco de sua imponência. Com uma edição que tentou disfarçar movimentos bruscos acabou por muitos lances tornar-se não agradavel de acompanhar.

Uma característica que foi importante para atenuar este aspecto foi o uso de close em agarras chave da via, sempre durante passagens difíceis. Este tipo de tensão fez com que a atenção do espectador ficasse presa, esquecendo os pequenos defeitos que estavam sendo apresentados.

A grande qualidade do filme encontra-se aí, em que não procurou mostrar nenhuma das personagens como heroína, ou “super-escaladoras”. Retratou dois seres humanos que amam escalar determinados a vencer um desafio.

Com isso todo o vídeo se torna interessante, pois não se baseia apenas em alguma cena chave e de efeito.

A escolha da trilha sonora foi muito bem feita,  e apesar de que durante os 14 minutos parecer ser a mesma música, em nenhum momento se torna cansativa.

Há de se destacar o carisma e simpatia das duas escaladoras. Em nenhum momento do vídeo deram chilique ou começaram a chorar (ou falar palavrões). Sem perderem o sorriso nem a elegância, mostraram além de determinação muita segurança e elegância para escalar.

O vídeo consegue com eficiência, apesar dos escorregões em edição e filmagem, um bom entretenimento para quem gosta de escaladas desafiadoras.

Os seus produtores  não conseguiram entregar um grande clássico de filmes de escalada, mas conseguiram um produto de qualidade e que é bastante entretenido.

Para saber mais sobre o filme: http://chileclimbers.cl/?p=8675

 

Nota do Blog de Escalada:

Formado em Engenharia Civil e Ciências da Computação, começou a escalar em 2001 e escalou no Brasil, Áustria, EUA, Espanha, Argentina e Chile. Foi jurado do Rio Mountain Festival e já viajou de mochilão pelo Brasil, EUA, Áustria, República Tcheca, República Eslovaca, Hungria, Eslovênia, Itália, Argentina, Chile, Espanha, Uruguai, Paraguai, Holanda, Alemanha e Canadá. Realizou o Caminho de Santiago, percorrendo seus 777 km em 28 dias.

There is one comment

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.