Saiba quais são os segredos dos fogareiros que todo praticante de trekking deveria saber

Como explicado extensivamente aqui na Revista Blog de Escalada, para fazer trilhas, foi estabelecido e seguido fielmente por todos os fabricantes de equipamentos, existem dois tipos: trekking e hiking. As atividades de trekking são as que exigem que os praticantes acampem durante o percurso.

Para isso, a quantidade de peso carregado na mochila é maior do que uma atividade de hiking (que não possui contemplada a possibilidade de pernoite para terminar a atividade).

Portanto, no pernoite da atividade de trekking muito provavelmente a pessoa deverá cozinhar usando um fogareiro. São raras as exceções de que um trekking não é necessário de um fogareiro. Para que se tenha uma ideia, o primeiro modelo de fogareiro foi inventado em 1892 na Suécia e usava como base filosófica de funcionamento um maçarico. Este equipamento tinha como combustível o querosene.

O seu uso parece muito simples, mas possui alguns segredos que todo campista e praticante de trekking deveria saber.

Combustível

O combustível do fogareiro deve ser o primeiro detalhe a ser reparado no momento de compra de um fogareiro. Além disso, o mais prático é comprar um fogareiro leve, pesando de 80 a 100 gramas. O mais popular atualmente são os modelos que usam uma mistura de gás de butano/propano.

Este combustível funciona bem até uma altitude de aproximadamente 3.000 metros acima do nível do mar e temperaturas até 0°C. Acima desta altitude, ou abaixo desta temperatura, é recomendável o uso de botijões de isobutano, que resiste até -10°C e altitudes até 4.000 metros acima do nível do mar.

Somente para expedições em locais acima de 4.000 metros de altitude é que o uso de fogareiros de combustível, como a nafta, é justificável.

Quantidade

Não existe uma regra clara, mas convencionou-se que em um trekking que exige preparação de café da manhã e jantar, um botijão de gás butano/propano convencional dura em torno de três dias com esta rotina.

Considere nesta rotina ferver água para o café e preparar algo como ovos mexidos para o café da manhã. Considere também que nesta mesma situação hipotética, no jantar há um macarrão (com fervura da água) e preparação básica de um molho.

Portanto, para sua logística de trekking com uma duração maior ou igual que 4 dias, é recomendável levar dois botijões cheios.

Local do trekking

Dependendo do lugar que for feito o trekking é necessário orientar-se a respeito do botijão. O motivo da preocupação é porque em vários países e em algumas companhias aéreas, não é permitido embarcar com um botijão de gás na bagagem (mesmo sendo a despachada).

No caso de uma viagem ao exterior, ou mesmo em algum lugar que tenha de tomar um avião para deslocar-se, procure reservar um dia para adquirir os botijões de gás necessários para a sua atividade.

Acessórios fundamentais

Apesar do fogareiro ser algo fundamental, às vezes alguns acessórios são necessários. Muitos fogareiros possuem acendedores, mas há muitas histórias deste acessório falhar. Portanto, nunca deixe de levar consigo um isqueiro, para o caso de necessitar.

Um outro acessório perfeito é o suporte para botijão de gás (também chamado de cartucho). Este pequeno pedaço de plástico, que é bem barato, provê estabilidade ao fogareiro no momento de cozinhar.

Outro item que é imprescindível é conhecido como stove windshield, uma espécia de barreira que impede que os ventos apaguem a todo momento o fogareiro e também possibilitam a otimização do aparelho.

Comente agora direto conosco

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.