Reinvente sua escalada: Quando a virtude se torna vício e o vicio virtude

Eu trabalhava em um negócio de distribuição de ferramentas industriais do meu pai nos anos 90, satisfeito por ter achado um emprego que oferecesse um salário regular. Trabalhar no negócio da família me dava uma sensação de conforto e segurança. Tudo estava fluindo bem até que senti que algo estava faltando. Eu estava complacente; muito confortável. Senti uma profunda necessidade de fazer algo novo e criativo, o que me levou a me sentir frustrado. Expressei minha frustração para um amigo que me disse: “Você conseguiu um bom emprego. Não reinvente a roda”.

Todos já ouvimos a frase “Não reinventar a roda”. É uma metáfora que enfatiza o valor que as soluções existentes oferecem. Às vezes ouvimos os outros usarem a frase “Reinventar a roda” para enfatizar a importância de questionar as soluções existentes, quebrar padrões antigos e estimular um novo pensamento. Sentimos a necessidade de “reinventar a roda” quando não estamos utilizando nossa criatividade para aprender e crescer.

Temos duas necessidades básicas: a necessidade de proteção e segurança e a necessidade de aprendizado e crescimento. Basicamente, uma necessidade de conforto e uma de estresse. Quando uma fica satisfeita, a outra necessidade se expressa. Em outras palavras, quando nossa necessidade de conforto é satisfeita, buscamos o estresse e vice-versa.

Há uma tensão entre essas duas necessidades básicas. Quando uma necessidade é progressivamente satisfeita, a outra necessidade se expressa mais fortemente. Um exemplo simples é a necessidade de descanso e a necessidade de atividade. Nós dormimos à noite para descansar e estamos ativos durante o dia para usar nossa energia. Nós acordamos descansados, cheios de energia. Então, à medida que progredimos ao longo do dia, nossa energia diminui tanto que dormir à noite é inevitável. Então, à medida que progredimos durante a noite, nossa energia se acumula, tanto que acordar de manhã é inevitável. É um ciclo dinâmico que se auto perpetua.

Eu estava confortável no meu trabalho na empresa familiar, passando por rotinas familiares: configurar chamadas de vendas, atender clientes, processar pedidos. O trabalho satisfazia minha necessidade de segurança e proteção, mas como eu permaneci nele por vários anos, senti a necessidade de aprendizado e crescimento. O trabalho não estava preenchendo minha necessidade de estresse. Uma distinção é importante aqui. Eu estava estressado no meu trabalho. A venda de ferramentas industriais foi estressante porque não era algo que eu estava apaixonado ou interessado. Meu mecanismo de enfrentamento era evitar o estresse de mudar minha situação e ficar frustrado. O aspecto útil, porém, foi como a frustração despertou minha consciência da necessidade de reinventar minha carreira, de buscar o tipo de estresse em que eu queria me envolver.

Eu decidi começar uma carreira na escalada, algo em que eu estava apaixonado. Uma carreira na escalada é muito ampla, então eu examinei no que eu era particularmente habilidoso e interessado. Descobri que era no treinamento mental. Eu não tinha ideia de como criar um programa de treinamento mental; Eu não tinha ideia se alguém estaria interessado nisso; Eu não tinha ideia se isso me sustentaria financeiramente. Essas incógnitas criaram muito estresse, mas eu consegui navegar de forma eficaz porque estava apaixonado e interessado no que estava aprendendo e fazendo.

Trabalhar em um emprego pelo qual estamos apaixonados, no entanto, não é o fim do ciclo. A necessidade de conforto se expressa novamente à medida que progredimos através do estresse. Desenvolvi sistemas que suportavam uma operação de um homem só e me familiarizei com eles. Assim, a necessidade de conforto foi satisfeita. Eu resisti em reinventar o que parecia estar funcionando bem. No entanto, à medida que o negócio crescia, a operação de um homem só não era mais sustentável. A necessidade de estresse e a reinvenção do negócio cresciam constantemente até que fosse inevitável que ele precisasse mudar ou morrer. Atualmente, estou reinventando o negócio construindo uma equipe. A equipe trará novas perspectivas e ideias para ajudar o negócio a crescer para realizar sua missão.

Eu acho que o ponto importante aqui é que a vida é sobre equilíbrio dinâmico, e nós tendemos a ser estáticos. A vida está constantemente progredindo entre nossa necessidade de conforto e nossa necessidade de estresse, mas nos apegamos ao conforto, pensando que isso durará para sempre. Inevitavelmente, a vida nos força a mudar, a engajar novas experiências para que possamos atender à necessidade de expressar nossa criatividade. Fazer isso traz o nosso melhor. É também uma maneira de servir a vida em vez de servir apenas a nós mesmos. O conforto é bom e necessário, mas, para definhar, viola o todo maior o mundo e os outros de que somos parte. A vida nos força a perceber a importância do serviço.

Podemos confiar no que funciona em nossas vidas, sem reinventar, e ainda entender que o que funciona não dura para sempre. Prestamos atenção ao aumento de tensão dentro de nós mesmos, à medida que a necessidade de estresse criatividade e aprendizado se manifesta. Então, nós graciosamente mudamos para atender essa necessidade, para aliviar a tensão, à medida que expressamos nossa criatividade, aprendemos e crescemos. O melhor que podemos fazer é nos tornarmos conscientes de nossa tendência a ser estáticos e da natureza dinâmica de como ciclos de vida entre nossas duas necessidades básicas. Essa consciência nos permitirá fluir com a forma como a vida é, para que possamos desfrutar e estar em paz com nossas vidas.

Dica de prática: Reinvente sua escalada

Examine como você se sente sobre a sua escalada. Quanta insatisfação você sente? Você está preso em padrões antigos, com medo de mudar? Essa insatisfação é uma manifestação da necessidade de mudar. Alivie-a reinventando sua escalada.

Talvez você tenha passado muito tempo escalando boulder, trad ou esportiva? Reenergize-se fazendo algo novo. Você encontrará sua satisfação e motivação novamente. Mas não espere que isso dure para sempre. Continue prestando atenção ao seu nível de satisfação e motivação. Esteja pronto para mudar para algo novo quando necessário.

O livro “The Rock Warrior Way – Mental Training for Climbing” está à venda traduzido para a língua portuguesa no Brasil em: http://www.companhiadaescalada.com.br/

Comente agora direto conosco

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.