Próteses de escaladores: Como são feitos os membros artificiais para montanhismo?

No ano de 2002, a vida de Craig DeMartino mudou dramaticamente. Após uma queda de 30 metros enquanto escalada, teve de passar três meses no hospital e mais tarde em uma clínica de reabilitação. Depois de 18 meses, teve amputar a perna abaixo do joelho para poder voltar à escalada e a qualidade de vida que desfrutava. DeMartino não desistiu e voltou a escalar, só que agora com uma prótese.

A história parece repetitiva, pois há vários exemplos de escaladores e montanhistas que utilizam prótese de alta tecnologia para continuar praticando o esporte. Mas como são feitas as próteses?

Se você tem curiosidade de verificar como os designers de produto fazem trabalho nesta área, necessita conhecer Kai Lin, um designer industrial em Nova York. Lin já foi destaque aqui na Revista Blog de Escalada há cinco anos quando destacamos seus trabalhos universitários na área.

A marca canadense Arc’teryx entrou em ação para uma da campanha Problem Solvers. Para a campanha um vídeo, mostrando com detalhes cada passo do processo foi realizado. O vídeo pode ser assistido no topo do artigo. O vídeo mostra o desenvolvimento do produto Klippa, um equipamento protético para pés e ser usado na escalada.

O equipamento foi inspirado em cabras da montanha por sua excepcional capacidade de escalada. A ideia nasceu de um projeto de escola, alguns anos atrás e com a ajuda da Arc’teryx e de Craig DeMartino, Kai Lin criou um protótipo funcional, transformando o Klippa em realidade.

Comente agora direto conosco

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.