Propriocepção: Movimentação em escalada e sua importância para prevenir lesões

Você sabe o que é propriocepção? Sabia que é o mesmo que cinestesia? Não sabe o que significa as duas coisas? Não tem importância, este artigo é exatamente para isso: esclarecer conceitos e facilitar a sua conversa com um educador físico no momento de elaborar os treinos.

Se você pratica escalada, deve saber que a obrigação de estar treinamento é uma constante. Com um pouco de tempo no esporte, também deve ter percebido que não é qualquer treino que serve e também não é qualquer um que pode ministrá-los. Por isso, o papel dos profissionais de educação física no domínio dos conceitos de escalada é importante para as pessoas que querem evoluir a aperfeiçoar no esporte. Trabalhar como técnico de treinamentos de escalada vai muito além do que ensinar nós ou usar freios de segurança (na verdade este é o papel de um monitor, não de um técnico).

Um dos conceitos que os técnicos de escalada devem ter conhecimentos profundos, é sobre propriocepção ou cinestesia de um escalador. Para quem não está familiarizado com o termo, saiba que propriocepção é a capacidade de perceber a localização espacial do corpo, como posição e orientação, força exercida pelos músculos e a posição de cada parte do corpo em relação às demais. É o mesmo que popularmente alguns chamam de “consciência corporal”.

Esta percepção permite a manutenção do equilíbrio postural e a otimização de tarefas na realização de diversas atividades práticas. Na escalada pode ser identificada como “repertório de movimentos”, pois a propriocepção é primordial como atividade reflexa no caso de movimentos bruscos, inesperados ou simplesmente na mudança de direção de determinado movimento. Visto sob o ponto de vista de prevenção de lesões, a propriocepção é uma habilidade particular de cada um de proteger as articulações.

Quer ter mais propriocepção?

Mas como faço para desenvolver minha propriocepção? Com treinamentos específicos. Desenvolver a propriocepção pode ser feita ao longo da experiência do escalador ao longo da atividade, mas com treinamentos específicos ela pode ser aprimorada de maneira efetiva.

O treinamento proprioceptivo, como é chamado o conjunto de exercícios de aprimoramento da propriocepção, deve ser introduzido durante o processo de treinamento geral do atleta. Este treinamento é iniciado após o atleta ter desenvolvido condições de flexibilidade, resistência e força no local a ser estimulado. Portanto, o conjunto de exercícios são treinamentos que devem ser introduzidos a partir de um certo tempo de prática do esporte.

O treinamento de propriocepção muitas vezes é enxergado, na escalada principalmente, como um refinamento da técnica. Por conta da importância desta disciplina, algumas pessoas se autointitularam “analistas de movimento”, mesmo sem ter possuído um treinamento específico, ou conhecimento científico, para isso. Todo e qualquer “analista de movimento”, ou qualquer outro título semelhante, deve ter conhecimento de um educador físico e, preferencialmente, ter feito um curso de propriocepção na escalada. Como em todas as áreas, há muitos que se autointitulam conhecedores em uma especialidade nova, mas não possuem sequer formação técnica para exercer a especialidade.

Portanto, ser “analista de movimento”, ou mesmo um analista de propriocepção, é necessário estudo, dedicação e muito mais do que um histórico de prática no esporte. Histórico de prática no esporte apenas provê conhecimento empírico, mas não científico. Portanto, por mais “diferenciado” que seja uma pessoa na prática esportiva, isso não garante a ninguém que tenha domínio de conceitos, treinamentos e, principalmente, a devida capacidade de análise de propriocepção. Para isso, é necessário estudo e atualização de conhecimentos.

Cursos de propriocepção na escalada

Mas existem cursos de propriocepção na escalada? Sim, existem. O principal deles é ministrado por Udo “Udini” Neumann, na Alemanha. Neumann é o analista de técnica e movimentação de vários atletas de elite na Europa, além de ser o analista de movimento oficial da seleção alemã.

Com mestrado em Educação Física, Udni estudou exaustivamente biomecânica, técnicas de aprendizado e controle motor durante seu período acadêmico. Udo Neumann escala desde 1982 e escreveu o livro “Performance Rock Climbing” em 1993. Neumann foi um dos primeiros educadores físicos a trazer a ciência esportiva profissional para um esporte em que os escaladores treinavam erradamente nas escadas Bachar ou fazendo flexões nas pontas dos dedos.

Udo Neumann é sem dúvida a referência principal, mas não a única. Atualmente a seleção eslovena de escalada é a melhor do mundo. Não somente na categoria adulta, mas na júnior, juvenil A e juvenil B. Ao contrário que possam pensar muitas pessoas, na Eslovênia não há grandes ginásios de escalada e a predominância são de espaços de boulder. Mesmo assim, nomes como Janja Garnbret, Mia Krapl, Vita Lukan e Jernej Kruder.

Todos atletas orientados por Gorazd Hren, um dos principais “analista de movimento” da Eslovênia e grande descobridor de talentos para a escalada em seu país. Hren é um nome disputado quando se pensa em saber mais sobre preparação de atletas e propriocepção na escalada na Europa. Uma entrevista com Gorazd Hren, das poucas concedidas a veículos especializadas de escalada, pode ser vista no vídeo acima.

Além disso, a participação de conferências de técnicos de escalada também é fundamental. Nelas é que garante que o “analista de movimento” está alinhado com o que há de mais moderno na atualidade. A última aconteceu em Köln, na Alemanha, em dezembro de 2018. Nele nomes de relevância internacional na ciência como a espanhola Eva Lopez e o já citados Udo Neumann ministram cursos.

Exercícios proprioceptivos

Foto: http://mtnguide.org

Mas quais seriam os tipos de exercícios proprioceptivos e como eles funcionam? Para entender a propriocepção, é importante saber como ela acontece. A propriocepção porque existem células que se encontram nos músculos, tendões e articulações e que enviam as informações ao Sistema Nervoso Central que irá organizar a parte do corpo: os proprioceptores.

Eles é que mantêm a posição correta de uma pessoa: parado, correndo ou escalando.

Os exercícios proprioceptivos são sempre indicados quando ocorre uma lesão na articulação, músculos e/ou nos ligamentos. Neste caso, devem ser orientados por um fisioterapeuta para adequar os exercícios à realidade da pessoa. Os exercícios podem ser realizados diariamente, durante cerca de 10 a 20 minutos desde que não provoque dor.

Mas eles podem ser feitos mesmo que não exista uma lesão? Sim, neste caso ele é elaborado pelo profissional de educação física, exatamente para prevenir uma lesão e potencializar a performance atlética. Neste caso é muito comum usar equipamentos facilitam a instabilidade (mas em ambiente controlado) como: jump, fit ball, bosu, balance disc, medicine ball e TRX.

Na escalada, o analista de movimento pode adotar a elaboração de uma linha de boulder ou via dentro do grau do escalador e que faça com relativa facilidade. Como estratégia prática para melhorar as habilidades de movimento de escalada, proporá que a pessoa tente novamente o problema e tente refinar ou melhorar a qualidade do movimento a cada escalada adicional.

Foto: https://www.ksl.com/

Mas qual o objetivo desta abordagem? Permitir que o escalador descubra opções dentro do próprio corpo. Sabendo que a cada movimento é uma escolha de estratégia dentro das habilidades do corpo, o exercícios buscará:

  • O sentimento de sempre fazer os movimentos essenciais e da maneira mais eficiente
  • O sentimento de estar no posicionamento ideal do centro de gravidade para cada movimento
  • O sentimento de quais músculo se deve contrair (e relaxar) para fluir através da sequência de movimentos com maior economia.

Mas, por que está em negrito a palavra sentimento? Porque treinamentos proprioceptivos são para promover a autoconsciência. No vídeo acima, o qual compara duas das maiores escaladoras da história: Alex Puccio (maior ganhadora da história de competições nos EUA) e Janja Garnbret (maior vencedora da história das competições de escalada).

No vídeo, ambas foram as únicas, de um total de 28 escaladoras, a escalar a linha de boulder: Alex Puccio na terceira tentativa e Janja escalou sem dificuldades e à vista. Qual a diferença? Além da força, claro, a propriocepção. Repare no vídeo, quem aparentemente fez muito mais força que o necessário e quem mostrou capacidade de adaptação e fez a linha parecer “fácil”.

Para um bom técnico de escalada, ou mesmo para um “analista de movimento” eficiente, deve ensinar ao atleta a necessidade quase visceral de curiosidade constante para descobrir como é o movimento ideal e como é senti-lo.

Comente agora direto conosco

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.