Pliometria: É possível utilizar a técnica para treinamento de escalada?

Já escutou falar de pliometria? Saiba que este tipo de exercício pode potencializar sua força na escalada e, caso deseje, aprimora o desempenho atlético.

Mas antes de iniciar o artigo, é importante destacar que para saber como, e quando, incorporar exercícios de pliometria no seu cotidiano pergunte a um profissional formado em educação física.

Quem gosta de analisar a preparação física de maneira simplista possui o costume de ‘culpar’ a falta de estrutura por algum rendimento abaixo do desejado. Quem possui o hábito de apontar a ‘muleta’ de usar a tão alardeada ‘falta de estrutura’ acaba por desconhecer que a preparação física é ciência e que existem vários tipos de treinamento que independe de ‘estrutura’.

A pliometria é uma dessas técnicas de treinamento que melhoram o desempenho do atleta. Baseia-se em uma série de exercícios voltados para o aperfeiçoamento da força, velocidade e rapidez (Ciclo Alongamento-Encurtamento muscular).

A grande maioria dos atletas de elite já conhece os benefícios da pliometria e, pela facilidade de sua prática, não hesita em incluí-la em suas rotinas de treinamento. Este método de treinamento físico é utilizado especialmente para o desenvolvimento da força explosiva, como a escalada de velocidade.

Treinamento de pliometria

O diferencial entre o treinamento pliométrico e outras modalidades de treinamento de força, é a utilização do Ciclo Alongamento-Encurtamento muscular e suas particularidades biomecânicas e fisiológicas para a o aumento da força em curto período de treinamento. Além disso, o que o torna interessante, não é necessária a utilização de equipamentos ou instalações específicas.

Tecnicamente falando, o treinamento pliométrico é um treinamento de força especial e é usado extensivamente com corredores. Refere-se a movimentos contrários que mudam imediatamente de uma fase excêntrica para uma fase concêntrica.

Nesse caso, como acontece com uma mola, a tensão é formada, que pode ser descarregada de forma explosiva pelo reflexo de estiramento dos músculos. Exemplos de exercícios clássicos de atletismo são saltos de caixa.

A maioria desses exercícios é baseada em saltos, com um pé ou ambos; com ou sem salto; com ou sem balanço. Cada exercício tenta contrair os músculos para alongá-los o máximo possível depois.

Quando se trata de escalada esportiva, é interessante para movimentos dinâmicos. Se você deseja trabalhar na sua explosão, deve consultar um profissional de educação física sobre o treinamento pliométrico. Lembre a ele que a escalada envolve principalmente os músculos da parte superior do corpo e do braço.

Pliometria para escalada

O treinamento de força é o mantra dos (as) escaladores (as) de todo o mundo. Essa obsessão é universal em todos os esportes e, como os boxeadores ou jogadores de futebol, os escaladores também precisam se tornar mais fortes e treinar para obter ganhos e superar platôs.

O treinamento de força é extremamente importante para a força geral e é o gerador de dinheiro em boulder do tipo sit start e dinâmicos. Uma maneira segura de treinar para a força é usando pliometria.

Como já explicado acima, o treinamento pliométrico é como tensionar uma mola e depois soltá-la para desenvolver força. Este desenvolvimento de força é grande porque duas forças diferentes são somadas:

  • A dissolução da pré-carga nos músculos
  • A contração concêntrica

A liberação da tensão nos músculos acontece mais rápido do que uma contração concêntrica sozinha e, portanto, a acelera. Medidas eletromiográficas (exame que avalia a função muscular e diagnostica problemas nervosos ou musculares) mostram que o aumento do desempenho não ocorre por meio de mais força muscular, mas pelo reflexo de estiramento dos músculos e da coordenação neuromuscular.

A esperança no treinamento pliométrico é otimizar esse reflexo de estiramento e a coordenação neuromuscular associada. Além da velocidade, o treinamento pliométrico também melhora os seguintes aspectos:

  • Força máxima
  • Coordenação intramuscular
  • Tempo de reação
  • Flexibilidade de músculos, tendões e ligamentos
  • Resistência de força parcial

Transferidos para a escalada, existem exercícios pliométricos que podem ser feitos no campus board (com exercícios dinâmicos típicos desse tipo de equipamento) e no pegboard. Caso não tenha uma academia de escalada disponível, também podem ser feitos em uma barra fixa (como o muscle up e suas variantes ), exercícios de kettlebell, TRX, flexões dinâmicas e flexões pliométricas.

Comente agora direto conosco

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.