Ötzi: A múmia que conta um pouco da história dos Alpes

A múmia masculina bem conservada (estudiosos apontam que possui 5.300 anos) Ötzi foi encontrada pelo casal de montanhistas alemães Helmut e Erika Simon em 19 de setembro de 1991. Inicialmente pensaram que era um cadáver de uma pessoa comum. É estimada que seja da Idade do Cobre (entre o Neolítico e a Idade do Bronze), ou Calcolítico, que, graças a circunstâncias extraordinárias, foi preservada até os dias atuais.

Quando Ötzi morreu a habilidade de extrair e processar metal havia chegado recentemente à Europa da Ásia Menor. O advento do cobre marcou o início da Idade do Bronze. A Idade do Cobre é compreendida entre aproximadamente 3.300 a 1.200 a.C. e, para a felicidade dos antropólogos, junto com Ötzi estavam suas roupas e equipamentos.

É, portanto, mais antigo que as pirâmides egípcias e Stonehenge.

Com base em amostras de 3,7 mil doadores de sangue anônimos em um estudo liderado por Walther Parson, na Medizinische Universität Innsbruck, descobriu que 19 pessoas na Áustria são descendentes de Ötzi.

Quando morreu, Ötzi tinha entre 40 e 50 anos, aproximadamente 1,60 m de altura e pesava cerca de cinquenta quilos. Passou seus últimos dias de vida em movimento nos Alpes, até ser alvejado por uma flecha nas costas.

Tinha sangue tipo O, era intolerante à lactose e tinha uma rara anomalia genética que impedia a formação de seu 12º par de costelas. Uma tomografia computadorizada confirma Ötzi é o caso mais antigo conhecido de doença cardíaca no mundo.

Por que se chama Ötzi?

Os Alpes de Venoste é um maciço montanhoso que se encontra nas regiões do Tirol da Áustria, e na Província autônoma de Bolzano da Itália. Em alemão, Alpes de Venoste (que em italiano, uma língua latina como o português Alpi Venoste) chama-se Ötztaler Alpen.

O Ötztaler Ache, um afluente do rio Inn, divide a parte principal da cordilheira ao sudoeste da seção Stubaier Alpen ao nordeste. O vale tem 65 km de comprimento. Foi encontrada à beira de um lago de quase 3.000 metros de altura nos Ötztaler Alpen, na fronteira com a Áustria e a Itália.

Assim, Ötztal sendo um vale alpino localizado na Áustria a homenagem ao local foi imediata: Ötzi.

Ötzi e a mochila

Conforme foi descrito no artigo A história e a trajetória das mochilas de trekking, Ötzi carregava um artefato que pode ser considerado a primeira mochila da história. Ötzi percorria os Ötztaler Alpen com uma mochila de armação de madeira e um coldre de pele de veado com 20 flechas, das quais apenas duas tinham pontas.

Desde a descoberta, cientistas submeteram Ötzi a exames de integridade física e os resultados não são otimistas. Ao todo, sofria de 40 e poucos males que incluem articulações desgastadas, artérias endurecidas, cálculos biliares e um crescimento desagradável de algo em seu dedo mindinho do pé.

Além de suas doenças, o Homem de Gelo tinha várias anormalidades anatômicas. Sofria de degeneração dos ossos relacionada à tensão e à idade, especialmente tornozelos e joelhos. Ötzi carregou mochilas pesando mais de 60 kg pelos Alpes por toda a vida, o que teve consequências negativas em seu corpo.

As várias roupas e apetrechos encontrados com ele são verdadeiramente notáveis, pois formavam o equipamento de um viajante neolítico. A peça básica de roupa do Homem de Gelo era um manto de pele sem forro costurado com pedaços de diversos animais. Estava equipado com um pequeno machado de lâmina de cobre e uma adaga de pederneira, ambos com cabos de madeira.

Ötzi era um caçador e um lutador.

Como Ötzi morreu?

De acordo com os antropólogos, Ötzi era um lutador experiente. Com base nos ferimentos em sua mão direita e manchas de sangue em suas flechas e faca, os cientistas concluíram que ele havia derrotado sozinho quatro oponentes apenas um dia antes de sua morte.

Mesmo assim, Ötzi foi atingido nas costas com uma flecha que atingiu uma artéria principal e provavelmente sangrou até a morte em poucos minutos. A pequena rocha em que ele se deitou para morrer logo foi coberta por gelo glacial que estava derretendo 5.300 anos depois, quando seu corpo foi descoberto.

Na autópsia, encontraram no estômago restos de comida (não apenas comida, mas também vestígios de pólen) e, a partir de seu conteúdo, descobriram que Ötzi foi assassinado apenas uma hora depois de comer uma refeição de carne de veado com trigo einkorn. Estava sofrendo de dores de estômago quando morreu e estava cuidando da direita gravemente ferida, cortada quase até o osso entre o polegar e o dedo indicador.

Exames da ponta da flecha que penetrou no corpo do Ötzi, foi possível deduzir que a flecha foi atirada cerca de 30 metros em suas costas. ele foi pego de surpresa com armas precisando de reparos., com a ponta da flecha ficando alojada perto da omoplata.

Cientistas documentaram que pelo menos 75 tipos de briófitas (musgos e hepáticas) ao redor dos restos mumificados de Ötzi. Destas briófitas, 70% não eram locais. Muitas originadas em altitudes mais baixas e ao sul dos Ötztaler Alpen.

Assim pesquisadores concluíram que Ötzi fez uma ascensão (ida e volta) cobrindo milhares de metros de altitude em um intervalo de dois dias. O estudo sobre os últimos dias de Ötzi foi publicado na revista de acesso aberto PLOS ONE.

Especialistas acreditam que Ötzi sofreu a lesão em uma briga alguns dias antes de sua morte. Por que ele tomou uma rota tão cansativa pelo Schnalstal poderia ser explicado pelo fato de que ele foi assassinado e possivelmente estava fugindo de seu agressor.

Comente agora direto conosco

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.