Entendendo o que são os lúmens das lanternas e headlamps

Quem compra um equipamento para iluminação em atividades outdoor, como lanternas de mão e headlamps, alguma vez há se perguntou o que são os lúmens. Resumindo muito, o real significado dos lúmens (lm) é: unidade de medida de um fluxo luminoso.

Em termos práticos, significa que informa ao consumidor a intensidade da luz. A existência dessa informação é importante, pois escolher uma lanterna de mão, ou headlamp, em qualquer lugar do mundo, é necessário que exista um valor que sirva de parâmetro universal para que possamos comparar todos os modelos. Este parâmetro universal (que oficialmente chama-se unidade de medida) serve também para ser facilmente assimilado pela indústria. Para esta unidade de medida ser utilizada como padrão pela indústria, ela deve pertencer ao Sistema Internacional.

Como grande parte das lanternas e headlamps vendidas no mercado utilizam a tecnologia de LED, que é de baixo custo e alta qualidade, há modelos cada vez mais baratos e que, à primeira vista, parecem iguais, mas possuem preços bastante diferentes. Usando uma análise simplista e superficial, há quem acuse que é “somente por causa da marca”. Analisando mais a fundo entende-se que a realidade não é bem assim.

Por isso, entender o que significa os números das medidas e unidades de uma lanterna ou headlamp, é importante para que na hora de escolher optemos pelo produto melhor indicado. A principal dúvida é sobre a quantidade de lúmens e se o seu valor é adequado para a atividade desejada.

Sistema Internacional

O que significa para uma unidade de medida pertencer ao Sistema Internacional de Unidades (Système international d’unités)? O Sistema Internacional de Unidades é utilizado para a padronização das unidades de medida, adotando-se uma unidade para cada grandeza física. É uma maneira de unificar em todos os países o significado de cada unidade. Ou seja, o quilo (kg), unidade de peso utilizada no Brasil e em grande parte do mundo, representa o mesmo em termos de massa de um objeto que em outro país.

Resumidamente significa que se comprar um quilo de batatas no Brasil, Argentina, França, Itália, Turquia, Costa Rica, Rússia, Ilhas Maurício, Nigéria, Madagascar ou Japão, você terá a mesma quantidade. Este tipo de unificação é útil para o comércio internacional, para a indústria e até mesmo para a comunicação entre as pessoas.

Essa unificação é relativamente recente, pois até meados de 1960 no mundo havia vários sistemas de unidades de medida. Essa grande quantidade de unidades fundamentais atrapalhava o sistema de medidas, além do comércio internacional, já que as unidades eram diferentes em cada região do mundo.

Em virtude dessa divergência de unidades fundamentais, a 11ª Conferência Geral de Pesos e Medidas (CGPM), realizada em 1960, criou o Sistema Internacional de Unidades (SI). O acordo em relação à utilização de apenas uma unidade foi realizado em 1971, na 14ª CGPM, quando foram estabelecidos os símbolos, unidades derivadas, unidades suplementares e prefixos.

O que é lúmen?

Lux vem do latim e designa a luz como independente do corpo que a emite. A palavra lúmen também vem do latim e significa luz ou radiação luminosa agregada ao corpo luminoso que a emite. Como a palavra lúmen depende de quem emite a luz, foi ela a escolhida para batizar a medida de intensidade de luz de um emissor.

O uso da palavra foi uma espécie de palavra-chave para que todos entendam o que ela mediria. Portanto lúmen (lm) é uma unidade de medida para quantificar a luminosidade ou o fluxo luminoso. Ou seja, a unidade explicita a intensidade de luz que a lâmpada (ou o conjunto delas) de uma lanterna vai gerar.

Como regra prática, quanto maior a quantidade de lúmens, mais forte será a luz que consegue produzir. Porém, paralelo a esta medida há um detalhe que muitas pessoas acabam ignorando: quanto maior o valor lúmens, maior será o consumo de energia.

Lâmpadas de LED

Atualmente as headlamps e lanternas de mão são construídas com lâmpada de LED. Esta lâmpada é composta por diodos emissores de luz e seu brilho se iguala ao das lâmpadas incandescentes e fluorescentes com um consumo de energia menor. As lâmpadas comumente são também medidas na potência de consumo de energia elétrica. A medida desta potência (que exige energia elétrica) é o Watt (W).

Em lâmpadas residenciais, a incandescente de 60 Watts possui a mesma medida em lúmens que uma fluorescente de 15 Watts e uma LED de 8 Watts. Além disso, a lâmpada LED possui vida útil muito maior. De acordo com estudos feitos em laboratórios especializados, lâmpadas incandescentes duram próximo de 1.000 horas, fluorescentes 8.000 horas e as de LED até 50.000 horas.

No caso das headlamps e lanternas de LED, elas emitem quase a mesma quantidade de lúmens com seis vezes menos consumo de watts do que as lâmpadas fluorescentes usadas anteriormente. Além disso, equipamentos outdoor com LED duram até três vezes mais que a fluorescente compacta.

Portanto, uma headlamp, ou mesmo uma lanterna de mão, atualmente possui um poder de iluminação maior e uma capacidade de consumir energia menor. Por este motivo que nos últimos 10 anos grande parte das headlamps não utilizam mais pilhas, mas baterias recarregáveis.

Headlamps e lanternas

O único ponto contra as headlamps com os “super LED” da atualidade é seu maior custo inicial ao consumidor final. Mas no preço total de uma headlamp, ou lanterna de mão, o preço da unidade de luz não é muito relevante. Além disso as baterias modernas utilizadas nestas mesmas headlamps podem ser recarregadas em até 200 vezes. Portanto, as diferenças devem ser baseadas no custo inicial, custo total final, conveniência de uso e, claro, impacto ambiental.

Mas no momento de escolha de uma headlamp ou lanterna devo reparar somente no valor dos lúmens? Não necessariamente. Como o equipamento será usado em ambiente natural, geralmente sem qualquer tipo de proteção à chuva, os fabricantes reconhecidos por qualidade e durabilidade se preocupam em aplicar materiais impermeabilizastes para ampliar a sua longevidade.

Portanto, atualmente, as lanternas e headlamps usam tecnologias de proteções baseadas no índice IP (Ingress Protection), um índice industrial que mede o fator de proteção contra objetos sólidos e líquidos que possam danificar o aparelho. O índice é utilizado pelos fabricantes de eletrônicos para estimar a validade de um aparelho. Como há um custo realizar esta proteção, ele acaba impactando o preço final do equipamento, pois quanto mais protegido maior é o custo.

Dependendo do valor deste “grau de proteção”, as empresas acabam gastando muito mais na proteção do que na tecnologia de iluminação propriamente dita. Este é o principal motivo que dois equipamentos com a mesma especificação técnica, como por exemplo a quantidade e lúmens, possuem duração, garantia e preços bem diferentes. Em ambientes controlados, como dentro de uma loja, os equipamentos se comportam igual. Mas quando são usados em um camping, ou caminhada, demonstram claramente a sua limitação e fragilidade.

Produtos popularescos, além de importados de baixa qualidade oriundos da China, tendem a somente copiarem as especificações superficiais mas não aplicarem as proteções IP de maior qualidade.

Comente agora direto conosco

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.