Montanhista de 80 anos e prótese no joelho faz ascensão de montanha de 7.134 metros

O montanhista espanhol Carlos Soria, de 80 anos, e Pedro Nicolás, de 65 anos, fizeram a ascensão ao Pico Lenin (7.134 m), a mais alta montanha da subcordilheira Trans-Alay na Ásia Central. A montanha fica na região de Gorno-Badakhshan, sobre a fronteira entre Tajiquistão e Quirguistão. Além da idade considerada avançada para montanhistas de alta montanha, ambos possuem próteses.

Carlos Soria possui uma prótese no joelho, em uma operação realizada em outubro do ano passado. Pedro Nicolás possui uma prótese no quadril há mas de um ano. Mais uma vez, Soria mostrou uma vontade extraordinária e preparação física, não só pelo fato de subir o Pico Lenin após sua operação no joelho, como preparação para o Dhaulagiri (sétima montanha mais alta do mundo e a mais alta do Nepal sem se localizar numa fronteira, com 8.167 m), mas também por fazer a ascensão sem aclimatar.

A opção por fazer a ascensão sem aclimatação foi porque uma diarreia grave o impediu deixar o acampamento base, enquanto seus companheiros de equipe faziam a aclimatação. A ascensão dos 7.134 metros ao topo do Pico Lenin foi muito importante para Carlos ver como sua prótese de joelho trabalhava em alta montanha.

Soria, que é montanhista destacado no cenário internacional, enfrenta dificuldades de angariar patrocínios para realizar seus projetos de montanhismo devido à sua idade. Mesmo assim manteve seu próximo objetivo, que é tentar neste outono (hemisfério norte) o Dhaulagiri, penúltima montanha com mais de 8.000 que falta para completar os”As 14 montanhas 8.000″.

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.