Mochilão com pouco lixo: Veja como é possível impactar menos a natureza

Desde o início das práticas de mochilão, seja em viagens ou mesmo em alguma atividade outdoor, o uso de plástico é uma presença constante. Os plásticos marcam presença nas embalagens plásticas para guardar comida, líquidos, calçados, roupa suja, etc. Não resta dúvida que a comunidade de mochileiros foi a primeira a entender que é necessário diminuir o uso de plásticos e, felizmente, foi justamente ela a primeira a adotar práticas mais sustentáveis. Mas todo o plástico utilizado na viagem, ou mesmo na prática esportiva na montanha, não pode ser despejado em qualquer lugar. Mas e todo o plástico que você joga fora quando chega em casa? Já pensou nisso?

Não resta dúvida de que as viagens de mochilão, assim como as atividades outdoor, oferecem isolamento, um bom tempo longe do estresse do trabalho e de casa e uma vivência ímpar na natureza. No entanto, há um elemento na atividade que é incongruente com o seu conjunto de valores: a criação de lixo. Não somente orgânico, mas todo aquilo que inevitavelmente irá para os aterros sanitários. Preocupar com o uso de plásticos não é somente jogar o lixo no lixo, mas também diminuir consideravelmente os plásticos de uso único que usamos e sequer percebemos.

Compare seus hábitos domésticos

Foto: www.allmountainbike.com.br

Comparado aos hábitos domésticos de muitas pessoas, as atividades outdoor, sejam elas viagens de mochilão ou não, criam uma quantidade incrível de lixo. Esta é uma realidade que precisamos encarar e verificar como mudar este hábito. As embalagens de barrinhas de cereais, os pacotes de granola, as refeições desidratadas, os pacotes de café e os géis energéticos: todos estes produtos são embalados a vácuo e envoltos em plástico. O mesmo plástico que, por algum motivo, vai parar no aterro sanitário assim que chegar na sua casa.

Onde quero chegar com isso? Para verdadeiramente diminuir o uso de plásticos, também é necessário diminuir as embalagens de plásticos de nossos alimentos. Sim, se é necessário diminuir o plástico no mundo (especialmente aquele que é usado uma única vez, como as embalagens), porque então pouco se fala das embalagens?

Para que se tenha uma ideia, no Brasil, aproximadamente um quinto do lixo é composto por embalagens. Isso significa que são 25.000 toneladas de embalagens (que foram usadas somente uma vez) que vão parar, todos os dias, nos depósitos de lixo. Quanto mais consumo de embalagens plásticas, maior a quantidade de plásticos nos aterros.

Para que você saiba, atualmente, um terço do lixo doméstico é composto por embalagens. Antes de comemorar que alguma prefeitura proibiu o canudinho plástico, saiba que aproximadamente 80% das embalagens são descartadas após usadas apenas uma vez. Como nem todas estas embalagens seguem para reciclagem, este volume de lixo plástico superlota os aterros e lixões.

Faça e elabore suas próprias refeições (não compre comida pronta)

Barrinha de cereais caseira

Por mais que tenha falta de habilidade, ou mesmo má vontade, em cozinhar as suas refeições, é necessário evitar de comprar as comidas prontas. O que se deve considerar como “comidas prontas”? Os salgadinhos, as barras de cereais, os pacotes de granola, os molhos prontos, os macarrões instantâneos, etc. Ou seja, tudo o que traz comodidade a você em termos de preparação de alimentos, mas que acaba virando montanhas de plástico de uso único.

A necessidade de preparar previamente seu próprio alimento para uma atividade de montanha, ou uma viagem de mochilão, não encare como um inconveniente, mas como uma etapa adicional na preparação para sua atividade. Criando este hábito, além de evitar a embalagem plástica de uso único, você também estará criando refeições que custarão menos e provavelmente serão melhores para o seu desempenho do que as refeições desidratadas e industrializadas.

Não necessariamente uma comida para ser consumida em um mochilão precisa ser desidratada, mas ela pode ser fermentada. A fermentação sempre foi usada ao longo do tempo para conservar os alimentos. Aqui mesmo na Revista Blog de Escalada há um artigo sobre quais são os alimentos fermentados que podem ser consumidos nas atividades de montanha. Ao leva-los em um recipiente hermético e reutilizável, a quantidade de plástico gerada por sua atividade cai drasticamente. Pode parecer imperceptível, mas repare que se todos que fizerem isso o volume de plástico diminui drasticamente.

Alimento fermentado perfeito para uma trilha: Kimchi

Além dos fermentados, há diversos alimentos asiáticos, os quais já foram também abordados aqui na Revista Blog de Escalada, que além de suportarem muito tempo fora da geladeira, oferecem sabor e faz bem ao organismo.

Além destes tipos de alimentos citados, você também pode fazer suas próprias barrinhas de granola. As barrinhas são dos alimentos mais fáceis de preparar e permite que você escolha exatamente o que deseja na sua mochila. A maioria das barras vendidas em supermercado é rica em açúcar e faltam ingredientes importantes como sementes de linho, sementes de girassol ou coco seco.

Portanto, para fazer a sua barra de granola requer apenas um punhado de ingredientes e um forno. Rapidamente você tem seu lanche de viagem pronto para ir e ser guardado em um recipiente hermético e reutilizável.

Embalagens reutilizáveis

Utilize recipientes herméticos e reutilizáveis

Reparou no texto acima que foi citado várias vezes as embalagens reutilizáveis. Elas são as melhores amigas de qualquer mochileiro ou de quem pratica trekking. Na maioria das lojas existem duas opções básicas de armazenamento: Vasilhames do tipo Tupperware ou ziplock. Cabe a cada um fazer a melhor escolha de acordo com a sua conveniência

Para os vasilhames, os molhos e alimentos suculentos são os mais indicados. Por possuírem um fechamento contra vazamentos, dificultando que outros animais sintam o cheiro da comida. Os sacos tipo ziplock são mais indicados para alimentos mais secos, como sementes e barrinhas de cereal, pois poucas pessoas acabam lavando o produto depois de usado com algo suculento.

Além destes produtos, atualmente há uma novidade pouco citada: o silicone. Este produto é menos poluente que o plástico, pode ser usado extensivamente e possui uma tolerância considerável ao calor, o que permite usá-lo para uma refeição na montanha.

Além destes produtos, há também vasilhames feitos de bambu processado, sendo este o mais ecológico. O material nada mais é que um bambu finamente triturado, que é misturado com amido e resina como aglutinante. Mesmo após o uso intensivo, quando jogado fora irá desintegrar-se muito mais rápido do que uma embalagem plástica.

Não carregue seus líquidos em garrafa pet

Há pouco tempo as garrafas PET eram as vilãs de todo o plástico no mundo. A partir de uma análise simplista e equivocada, algumas pessoas passaram a reutilizar (apenas uma vez mais) para as atividades outdoor e viagens de mochilão. Porém um pequeno detalhe passou despercebido para estas pessoas: as garrafas PET não possuem tratamento que não deixe gosto nem cheiro.

Este pequeno detalhe fez com que muitas pessoas acabassem descartando-as no segundo uso. A garrafa PET, para muitos praticantes simplistas, passou a ser um plástico de uso simples “liberado”. Há vários estudos realizados por parques estaduais que demonstram que o volume de garrafas PET que foram usadas apenas duas vezes é enorme. Pois quando o gosto e cheiro ficam impregnados na garrafa e, por causa disso, ela é descartada.

Se o objetivo é diminuir o plástico no mundo, porque então insistir em usar algo que será usado, em média, apenas duas vezes. Portanto, um mochileiro consiente, ou mesmo uma pessoa que realiza atividades outdoor, deve entender que garrafas PET também devem ser evitadas.

Qual a solução então? A solução é usar garrafas próprias para o armazenamento de água e líquidos. As garrafas de trekking, em sua maioria de alumínio ou de policarbonato, são as ideais para isso, pois são quase inquebráveis, não agarram nem gosto nem cheiro e são projetadas para serem levadas em mochilas. Este tipo de garrafa é projetada para durar anos e décadas.

Popularmente estas garrafas são conhecidas pelos maiores fabricantes, como Nalgene, Camelback, e são ideais para isso: diminuir a quantidade de plástico que nossa a atividade cria. Se queremos chegar na montanha toda limpa, sem nenhum lixo ou plástico voando por aí, porque não começar por nós mesmos, que é quem mais as visitamos?

Comente agora direto conosco

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.