Mãe de Bernardo Collares envia texto ao Blog

Aqui no espaço do Blog de Escalada procuro ser ao máximo democrático com todos os assuntos.

Quem já foi entrevistado por mim já leu em letras garrafais que não tenho qualquer tipo de censura com quem escreve no Blog.

Antes de mais nada para este post esclareço: Fui procurado pela mãe do Bernardo Colares para a publicação de seu texto, originalmente publicado no Facebook.

Pessoalmente, socialmente e mentalmente não tenho nenhuma desavença com qualquer que seja as partes incluídas no que, na minha visão, foi uma grande fatalidade que qualquer escalador está sujeito ao ir para a montanha.

Ao contrário do que muita gente pratica, eu sou contra esta onde de puritanismo que está tomando conta do país como se estivéssemos em 1940, e tenho verdadeira hojeriza a comportamentos de estilo Talibã como praticado pelos dois imbecis que apagaram uma via na Argentina, que claramente não tinham o direito para isso.

Este é o tipo de comportamento que os nazistas fizeram na Alemanha.

Desnecessário dizer que sou contra até o fundo da minha alma.

Por isso publicarei, na maior boa vontade, independente de concordar ou não com o teor do texto de Heliane Collares

Afirmo ainda que caso alguém se sinta no direito de também publicar qualquer texto sobre o assunto Bernardo Collares sinta-se a vontade de me enviar.

Seja por aqui, ou pela página do Facebook do Blog de Escalada.

O texto foi enviado após contato pelo e-mail: [email protected] Com

” 1 ano e 2 meses do acidente, e da sua morte?

Quando aconteceu???

Meu filho ,Bernardo Collares Arantes, não morreu de hipotermia na 1ª noite.

Não enlouqueceu com a hipotermia e arrancou suas roupas.

Não estava tão ferido assim: fratura na bacia, possivel fratura de coluna e sangrando, como foi publicado na época por pessoas que se dizem entendidas no assunto.

Não estava em um estado que não pudesse se mexer ,sequer pegar a agua deixada ao seu lado.

Não se jogou para se livrar das dores terriveis.

Não chegou até à borda com mochila ,saco de dormir , manta térmica e capacete para se aliviar das suas necessidades fisiologicas.

Todos esses argumentos foram usados para se justificar a omissão de socorro e o sumiço do seu corpo que não foi encontrado no platô que estava vazio.

Pois bem, durante alguns dias 5 profissionais estiveram vasculhando a Super Canaleta, local onde ele poderia estar, caso alguma das hipóteses acima fosse verdadeira.

Do meu filho, Bernardo Collares Arantes, acharam NADA!!!

Encontraram sim, material de 10 anos atrás, porque ,excepcionalmente,a Super Canaleta estava completamente sem neve.

Verão igual a esse em El Chaltén não acontecia há 10 anos

Portanto, o “moribundo” desescalou.

Sem cordas, tentou fazer escalada Solo como já estava treinando aqui no Pão de Açucar e no Pico Maior em Salinas, que, coincidentemente ,ou não, são os lugares onde ele escolheu para que suas cinzas fossem lançadas.

E meu filho ,Bernardo Collares Arantes,era tão bom no que fazia, que, com tudo contra: ferimentos (agora já não se sabe quais),nevasca, falta de equipamento, tentou descer e NÃO DESPENCOU, porque não está na Super Canaleta.

Nem ele, nem nenhum dos equipamentos que foram enumerados , que teriam ficado com ele e não estão no platô vazio!!!

Até agora ,meu filho, Bernardo Collares, encontra-se DESAPARECIDO!!!

Comente agora direto conosco

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.