Local é fechado na Espanha e autoridades iniciam processo de marginalização da prática de boulder

O local de escalada espanhol conhecido como “El Escorial” foi recentemente fechado para as práticas de boulder. Além disso, segundo informou o site escalando.eu, uma nota no Boletín Oficial del Estado (diário oficial do Estado Espanhol) afirmando que “a prática de ‘boulder’ em certas áreas da floresta provoca um completo desaparecimento da cobertura vegetal, compactação e consequentemente uma destruição do horizonte superficial do solo da floresta, presença ocasional de lixo e resíduos e uma contaminação incipiente pelo magnésio“, abre um precedente para o início de um processo de marginalização da atividade na região.

Segundo o veículo, está evidente que o objetivo com a seguinte declaração é estigmatizar a prática de boulder, mountain bike e até trekking. A redação do texto oficial, ao menos em termos burocráticos, marginaliza a prática de escalada em boulder na região, com um único propósito de proibição da prática em La Silla de Felipe II (El Escorial).

El Escorial foi a área que revolucionou e promoveu a bouldering na Espanha, no início dos anos 1990. Por lá surgiram as linhas mais difíceis do país, e a floresta começou a se encher de “estranhos personagens”, que se moviam de rocha em rocha, carregados de colchões nas costas. Existem 3 áreas de escalada localizadas em San Lorenzo de El Escorial: Abantos, Peña Blanca e La Silla de Felipe II (a mais conhecida). A massificação desta última área resultou na proibição de escalada devido à destruição da vegetação, manchas de magnésio e o desaparecimento do musgo das rochas.

A federação espanhola de escalada e montanhismo ainda não se pronunciou sobre a proibição.

Comente agora direto conosco

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.