Você sabia? Há 233 anos suíço criava o que conhecemos hoje como montanhismo

O suíço Horace Bénédict de Saussure foi aristocrata, naturalista e geólogo no século XVII e é considerado como o pai do montanhismo. Seu interesse pela botânica o levou a realizar diversas viagens aos Alpes e a estudar geologia para compreender as características físicas daquela região.

Os Alpes foram o foco das pesquisas de Saussure. Lembrando que os Alpes sempre estiveram ali, mas ninguém os olhava do jeito que nós montanhistas os enxergamos hoje. Na época eram “apenas montanhas”.

Saussure via os Alpes, cadeia montanhosa mais alta e mais extensa que se encontra inteiramente na Europa, como a grande chave para a verdadeira teoria da origem da Terra, e eles lhe deram a oportunidade de estudar geologia de uma maneira nunca antes tentada. O suíço examinou de perto a inclinação dos extratos, a natureza das rochas, os fósseis e os minerais.

Suas observações geológicas fizeram dele um forte pensador da teoria netuniana (teoria explicativa da formação das rochas e da estrutura e evolução geológica da Terra, hoje obsoleta). Seu trabalho com rochas, erosão e fósseis também o levou a acreditar que a Terra era muito mais velha do que geralmente se pensava na época. Seus escritos sobre a idade do planeta, fizeram parte da base que Darwin usaria na teoria da evolução no século seguinte.

Horace Bénédict de Saussure foi particularmente influente como geólogo e, apesar de suas ideias sobre os princípios subjacentes serem muitas vezes errôneas, foi fundamental para o avanço da ciência. O resultado dos trabalhos de Saussure chamou a atenção de turistas e curiosos para as regiões de Chamonix e Zermatt.

O início do montanhismo

Horace Bénédict de Saussure criou um legado baseado no sentimento saudosista de estar nos topos das montanhas, quando no verão de 1760 o Mont Blanc despertou nele uma “doença” que explodiu na paixão pelo montanhismo como conhecemos hoje. Foram seus olhos que primeiro vislumbraram o desejo de alcançar um cume apenas por causa da exaltação da luta do homem contra o colosso. Não havia ali desejo militar ou político, somente o esportivo. Assim nasceu o que conhecemos hoje como montanhismo.

Também interessado em filosofia, Saussure soube combinar sua ambição de conhecimento com a nova concepção que se formigava por dentro: “Desde minha infância sinto a paixão mais determinada pela montanha”. Das primeiras viagens realizadas por Horace em 1760 e 1761, ele idealizou oferecer um prêmio em dinheiro, sendo um montante considerável à época, para aqueles que escalassem o Mont Blanc.

Começando em 1774, Saussure procurou tentou chegar ao cume do Mont-Blanc ao lado da Itália, acompanhado pelo guia alpino de Courmayeur, Jean-Laurent Jordaney. Praticando ascensões na região, em 1776, ele subiu o Buet (3.096 m).

Saussure escalou o Crammont em 1774 e novamente em 1778, ano em que também explorou a geleira Valsorey, perto do Grande São Bernardo. A publicação em 1779 do primeiro volume de suas viagens nos Alpes é uma espécie de certidão de nascimento da geologia alpina.

Mais tarde, em 1780, ele escalou o Roche Michel e em 1785, fez uma tentativa frustrada de subir o Mont-Blanc pela rota Aiguille du Goûter.

Conforme descrito em detalhe em artigo que conta história do montanhismo mundial, o primeiro a tentar a escalada ao Mont Blanc foi Pierre Simon. Porém ele falhou logo ao chegar na encosta Tacul e depois mais uma vez na geleira Des Bossons. Simon retornou a Chamonix “sem qualquer esperança de sucesso” e decretou que era uma tarefa “impossível”.

Entretanto, em 8 de agosto de 1786, o guia de montanha Jacques Balmat e o médico Michel Gabriel Paccard, depois de grande esforço, chegaram aos 4.807 metros do Mont Blanc e inauguraram que muitos continuaram a fazer até hoje: o montanhismo. Em palavras mais românticas “não havia nada lá em cima, mas para muitos significaria tudo”.

Estava inaugurado oficialmente o montanhismo como prática esportiva por Balmat e Paccard. Inegavelmente a atividade foi idealizada por Horace Bénédict de Saussure, que ofereceu um prêmio para quem o fizesse.

Um ano depois, em 3 de agosto de 1787, Saussure, acompanhado por uma equipe de dezoito guias, repetia a via de Paccard e Balmat subiram no ano anterior. Como Saussure era um estudioso fervoroso aproveitou para medir a altitude do Mont Blanc. O valor obtido por Saussure possuía um erro de apenas 30 metros.

Durante essa ascensão, Horace Bénédict de Saussure também realizou muitas outras medições, incluindo o ponto de ebulição da água em altitude. Na época descobriu no topo do Mont Blanc, a água ferve a”68,993 graus REAUMUR” (escala de temperatura proposta em 1730 pelo físico René de Réaumur), o equivalente a 86,24°C. No ano de 1787 Saussure fez a terceira subida ao Mont Blanc.

Suas realizações fizeram muito para atrair turistas para lugares como Chamonix. Por isso, toda pessoa que passa por Chamonix, cruzará uma escultura em que dois homens apontam e olham ao Mont Blanc. Na estátua estão Saussure e Balmat.

There are 2 comments

  1. Souza Reis

    Muito boa a matéria!!
    Somente complementando como uma das primeiras ascensões relatadas na história do montanhismo.
    Essa ascensão foi idealizada em 1336 por Francisco Petrarca e descrita em detalhes em uma carta, ele alcançou o cume do Monte Ventoux, França (1911m), considerado por esse feito o Pai do Montanhismo.

Comente agora direto conosco

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.