Cozinha outdoor: Conheça receitas e “alimentos curinga” para sua atividade de montanha

O próximo dia 16 de outubro é o Dia Mundial da Alimentação. Esta comemoração que teve início em 1981 com o objetivo de conscientizar as pessoas, de uma forma geral, sobre questões ligadas à nutrição e à alimentação. Além de nos preocupar com a alimentação na hora de realizar um trekking ou hiking, é necessário também nos preocuparmos com a quantidade de lixo que geramos no momento de realizar a atividade. Este tema de geração de lixo em atividades outdoor já foi abordado de uma maneira bem direta em um artigo aqui na Revista Blog de Escalada.

Para cozinhar em um trekking é necessário ter duas coisas em mente: ser saudável (afinal seu corpo precisa de energia de qualidade) e ser sustentável (afinal outras pessoas também vão querer frequentar o mesmo lugar e esperam encontrá-lo limpo). Aprender o que é alimento de verdade e o que é produto alimentício para não cair em armadilhas é o primeiro passo. Depois disso, devemos parar de deixar nossa saúde em segundo plano e priorizamos apenas o sabor e a praticidade na alimentação.

Existe uma grande diferença entre comer (o “abastecimento” do corpo ou apenas suprir uma vontade), alimentar (tratamento de saúde para manter o corpo regulado, aproveitando os componentes de cada alimento) e nutrir-se (fornecer nutrientes para as células funcionar).

Portanto, as receitas abaixo não são apenas alimentos nutritivos, mas também permitem gerar a menor quantidade possível de lixo. Tanto nos locais de trekking, quanto nos aterros sanitários.

Portanto, este artigo possui dois tipos de alimentos: um para ser preparado em casa, ANTES do trekking, e outras receitas para serem preparadas DURANTE a atividade.

Antes: Aveia power

A Aveia é um dos superalimentos fáceis de adquirir. Ela pode, inclusive, ser adquirida a granel em supermercados e lojas cerealistas. O consumo de aveia remonta ao início da civilização humana. Quando o estilo de vida sedentário começou, foi um dos primeiros alimentos obtidos nos campos.

Este alimento fornece energia e, ao mesmo tempo, faz a pessoa que comer sentir-se leve. Funciona perfeitamente para aquelas pessoas que não querem passar horas na cozinha e que não comem grandes quantidades de comida durante todo o dia nas montanhas.

Ingredientes: uma xícara de aveia crua, uma xícara de leite de sua escolha, uma colher de sopa de mel, uma colher de sopa de nozes ou amêndoas, duas colheres de sopa frutas (morangos, framboesas, amoras, mirtilos, etc.) e uma colher de xá canela (também pode adicionar meia xícara de maçã em cubos).

Modo de preparo: em um recipiente do tamanho de sua escolha, despeje a aveia, canela, frutas, mel, nozes ou amêndoas. Adicione o leite e misture. Após a mistura, cubra e coloque na geladeira. No dia seguinte, coloque-o na mochila e pronto! Um alimento delicioso e nutritivo que não requer mais preparação (não se esqueça da colher).

Antes: Barras energéticas

Barras energéticas são a comida perfeita, e elas são muito saudáveis ​​e fornecerão energia suficiente para praticar seu esporte favorito em um dia nas montanhas. Além disso, são muito práticos e fáceis de transportar, mesmo durante o exercício, devido à sua forma compacta e pequena.

As barras de cereais ganharam espaço no mercado na década de 1990 e foram crescendo cada vez mais, devido ao alto poder nutricional e por sem um complemento prático e que nutre com qualidade.

Ingredientes: mirtilos, tâmaras ou figos (cerca de 20 peças), cereais ou granola, flocos de aveia, cereais tufados (100 gramas), nozes, amêndoas ou avelãs (25 gramas) e mel (duas colheres de sopa).

Modo de preparo: Coloque no liquidificador ou mixer os mirtilos ou figos cortados (ou um pouco de cada) e, separadamente, faça o mesmo com os cereais. Em seguida, os misture com as nozes e mel até que os ingredientes estejam bem incorporados. Coloque a mistura em uma tigela e esmague-a até formar uma camada homogênea de cerca de três centímetros. Corte com uma faca em forma de pau. Coloque no forno. Depois de torrado, coloque as barras na geladeira por cerca de 45 minutos e terá suas reservas de energia prontas! As barras são adequadas para celíacos, pois não possuem glúten.

Antes: Mistura de frutas secas e sementes em sacos reutilizáveis

Esta mistura, também conhecida como granola salgada, é outro alimento simples de preparar (talvez o mais fácil) que nos fornece gorduras e uma pequena proporção de proteínas vegetais. Eles conseguem incentivar o esvaziamento gástrico.

Você pode escolher aqueles ingredientes que preferir para preparar sua granola salgada light. Agregue também alguns temperos e ervas que gostar para para dar mais sabor à granola.

Ingredientes: todos os tipos de frutas secas e sementes; por exemplo: amêndoas, nozes, avelãs, castanha de caju; assim como mirtilo, uvas ou ameixas secas, damascos secos, tâmaras, figos secos e sementes de girassol.

Modo de preparo: Em uma sacola reutilizável (tipo zip loc), adicione um punhado de cada uma das frutas e sementes secas e secas que você adquiriu. Misture e leve sua mochila. Uma dica deliciosa é adicionar pequenos quadrados de chocolate amargo (preferencialmente acima de 80% de cacau).

Antes: Manteiga de amendoim com sanduíche de banana

Combinar um pão com manteiga ou manteiga de amendoim, banana e mel é saudável. É um alimento simples, rico, nutritivo e de enchimento, pois inclui frutas, nozes, gorduras insaturadas, grãos integrais e fibras que também fornecerão uma fonte contínua de energia suficiente para passar o dia na montanha.

Ingredientes: Pão integral (melhor ainda se for com grãos), manteiga ou pasta de amendoim sem açúcar, mel e banana.

Modo de preparo: Espalhe duas fatias de pão com pasta de amendoim e um pouco de mel. Adicione a banana fatiada em um deles. Cubra, embrulhe com um guardanapo e guarde em um saco Ziploc. Este sanduíche pode ser preparado um dia antes e guardado na geladeira.

Antes: Sanduíche de proteína animal

Este sanduíche não é apenas fácil de preparar, mas também possui um alto valor nutricional, principalmente pela quantidade de proteínas e baixo teor de gordura.

Ingredientes: duas fatias de pão integral (melhor ainda se for com grãos), três fatias de peito de peru (ou atum conservado em água), alface e tomate.

Modo de preparo: coloque duas folhas de alface previamente desinfetado em uma das fatias de pão, adicione as fatias de tomate, as fatias de peru ou atum, cubra com a outra fatia e pronto! Um alimento nutritivo e leve.

Durante: Macarrão com legumes

O termo macarrão foi usado na Idade Média para indicar vários tipos de massas. Os italianos foram os maiores difusores e consumidores do macarrão por todo o mundo, inventando mais de 500 variedades de tipos e formatos.

Com base em carboidratos, minerais e vitaminas, o macarrão é a escolha favorita de muitos montanhistas, porque é fácil de cozinhar, não pesa muito e é barato.

Ingredientes: pacote de macarrão de sua escolha (considere 250 gramas para duas pessoas), um dente de alho, cebola seca, azeite ou óleo, legumes (abobrinha ou legumes liofilizados).

Modo de preparo: despeje a mistura de legumes desidratados na panela e, sem acender o fogo, deixe reidratar por 30 minutos. Ligue o fogareiro e tampe. Quando a água ferver, adicione o macarrão e a cebola seca. Depois que o macarrão estiver cozido, escorra. Refogue o alho picado e adicione o macarrão com legumes. Adicione sal e pimenta, mexa e sirva.

Durante: Cuscuz marroquino (Cous Cous)

Diferente do cuscuz tradicional no Brasil, feito à base de farinha de mandioca e de milho, o cuscuz marroquino é feito com sêmola de trigo.

Uma das melhores alternativas para cozinhar em atividades outdoor é o cuscuz marroquino. Consome uma quantidade mínima de gás, é saudável e pesa pouco. Fica pronto num instante, rende bem e é muito gostoso. O cuscuz marroquino é rico em carboidratos, ou seja, ótimo para dar energia.

Ingredientes: 120 gramas de Cuscuz marroquino, azeite ou óleo, 4 colheres de sopa de legumes liofilizados, passas e nozes, alho seco, sal e pimenta (Você pode adicionar curry que proverá um sabor delicioso).

Modo de preparo: coloque os legumes em água e deixe hidratar por 30 minutos. Adicione as passas, as nozes e o sal, acenda o fogo e deixe ferver. Quando começar a ferver, adicione o cuscuz. Cubra, deixe um minuto e desligue o fogo. Deixe descansar por 5 minutos e coma!

Durante: Pizza de atum

Pizza nas montanhas? Sim, esta pode ser a versão da sua pizza nutritiva nas montanhas.

Fácil, com proteínas e um toque italiano, este prato vai agradar.

Ingredientes: tortilhas de farinha (massa tipo “rap10”), queijo (prato, mussarela, ou o que preferir), atum conservado em água, tomate, pitada de manjericão seco e sal.

Modo de preparo: corte os tomates em fatias. Coloque a tortilla na panela, adicione o queijo, o atum e o tomate. Adicione o manjericão e o sal. Tampe a panela e espere o queijo derreter. Pronto! Para desfrutar de uma pizza na montanha.

Durante: Omelete francesa com proteína animal

Curiosamente a palavra omelete é francesa, mas acredita-se que o prato surgiu na antiga Pérsia. Acredita-se que tal receita alcançou a Europa através do Médio Oriente e da África do Norte, onde sofreu adaptações e originou a frittata italiana, a tortilla espanhola e a omelette francesa.

Parece difícil de preparar? Não, não se preocupe. Esta receita não só contém um alto teor de proteínas, como também é rápida de preparar e satisfaz todos os tipos de estômago.

Ingredientes: óleo, dois ovos (por pessoa), cebola seca, queijo, legumes, peito de peru (pode ser algum outro embutido) e sal.

Modo de preparo: bata dois ovos e adicione sal. Coloque o óleo na panela e espere até que esteja muito quente. Adicione o ovo batido e espere alguns minutos até que comece a endurecer (não totalmente). Adicione o restante dos ingredientes apenas no meio da panela. Espere 3 minutos e dobre cuidadosamente a outra metade da tortilha para cobri-la. Aguarde 3 minutos e vire. Servir.

Durante: crepes de banana com chocolate (sobremesa)

A origem do crepe, que não surgiu na França (apesar da palavra ser francesa), é antiga. Este prato é consumido de várias formas há cerca de 9.000 anos. Os crepes sempre estiveram presentes em muitas regiões da Europa. Os primeiros registros da preparação dos Crepes datam do século I, pelo gastrônomo romano Apicius, autor do livro De re coquinaria. Originalmente escrito em latim, as receitas trazem exemplos de outras culinárias além da romana, como a grega.

Da Itália, a receita foi levada à França por peregrinos. A palavra crepe, de origem francesa, quer dizer crespo, uma referência bem propícia à textura da massa após frita em frigideira ou chapa de metal, sempre untadas com manteiga.

Quem não merece uma boa sobremesa depois de um dia agitado? Isso não é apenas fácil de preparar, é delicioso!

Ingredientes: tortilhas de farinha (massa tipo “rap10”), quadrados de banana e chocolate.

Preparação: aqueça a tortilha (massa tipo “rap10”), e adicione a banana; anular Em uma panela, adicione um pouco de água, coloque um terço de chocolate e mexa constantemente; Depois de derretido, adicione à tortilha (massa tipo “rap10”), com a banana sem cortar. Dobre em duas partes. Servir

Comente agora direto conosco

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.