Como planejar uma viagem 100% ecológica?

Uma pessoa ser sustentável é aproveitar o que o mundo oferece, sem comprometer a disponibilidade para as futuras gerações. Simples?

Pode ser, mas isso significa também que a discussão vai muito além do plantio de árvores e reciclagem. Este tipo de comportamento é o que poderíamos chamar de verdadeiro estilo de vida. O que seria então uma viagem sustentável e ecológica?

De acordo com John Elkington, um dos mais antigos dos membros da congregação do movimento da sustentabilidade corporativa. Elkington foi o fundador da consultoria SustainAbility. O consultor britânico foi um dos precursores da responsabilidade social e ambiental nas grandes empresas. Porém seus conceitos podem ser aplicados também às pessoas comuns.

Para John Elkington um projeto ser considerado sustentável ele deve ser:

  • Ecologicamente correto
  • Economicamente viável
  • Socialmente justo

Mas estes conceitos podem ser aplicados a viagens de pessoas comuns? Não somente pode, como devem. Pois chegamos a um ponto na história da humanidade que toda e qualquer pessoa deve fazer a sua parte em todos os aspectos da vida. Não é mais questão de panfletagem ou fazer modinha, mas algo que temos obrigação moral.

Se você como indivíduo quer viajar, além de seguir as premissas de John Elkington, considere que seu projeto de viagem sustentável deve se também culturalmente aceito. Um conceito importante, visto que cada país ou região do planeta tem as próprias particularidades. Lembre-se que antes de qualquer coisa, o viajante, sobretudo aquele que o faz para praticar suas atividades de natureza, deve seguir a primeira diretriz da série Jornada nas Estrelas (Star Trek).

Na primeira diretriz de Jornada nas Estrelas ficava estabelecido que todas as naves e membros da frota estelar estavam proibidos de interferir no desenvolvimento normal de uma cultura ou sociedade. Isso porque cada espécie consciente, possui o direito de viver de acordo com a evolução cultural normal.

Analogamente, cada comunidade (esteja ela vivendo de maneira “certa” ou “errada”) possui o direito de viver sem a interferência de visitantes.

Mas por que ser ecológico e sustentável em viagens? Simples, agora que nós, mais de do que nunca, estamos com possibilidades de viajar por todo o mundo. Devemos entender que o transporte é responsável por 22% das emissões de poluição do mundo. Sim, viajar também pode poluir.

Claro que há viagens que polui mais, e outras menos. Por isso, é hora de tomarmos medidas para tornar nossas viagens um pouco mais ecológicas e pelo menos colocar no planejamento delas as diretrizes de John Elkington (ecologicamente correta, economicamente viável e socialmente justa).

Seja neutro em carbono

Tudo o que fazemos causa algum tipo de impacto no planeta. Dimensionar a quantidade desse impacto e buscar uma maneira de neutralizá-lo, é o objetivo da compensação (ou neutralização) de carbono.

Algo neutro em carbono é quando todas as as emissões de gases de efeito estufa, realizadas por uma pessoa ou empresa, são devidamente quantificadas e uma ação de compensação ambiental (neutralização) é realizada na mesma proporção. Trata-se de uma forma prática e simples de tornar o evento mais sustentável.

Como viajar de avião é a única maneira realista de ir a um país em outro continente, não há como escapar do fato de que voar é um dos principais poluidores do nosso planeta. Porém, existem maneiras de tornar essa viagem mais ecológica, incluindo a neutralização de carbono. Mas como? Fácil, existem companhias aéreas que aceitam pagamento de taxa para neutralizar as emissões criadas pela sua viagem.

Casaonão queira pagar uma taxa extra para isso, pode também viajar diretamente com empresas neutras em carbono. Existe isso? Sim, o melhor exemplo é a Intrepid Travel, que compensa automaticamente os custos ambientais de suas viagens.

A Intrepid Travel é a maior empresa de viagens de aventura de pequenos grupos do mundo, oferecendo mais de 1.500 itinerários em mais de 120 países. Os destinos incluem Ásia, América Latina, América do Norte, Europa, Oriente Médio, África, Australásia e Antártica. Valorizando a empresa, possivelmente outras empresas irão adotar a mesma prática para não ficar atrás na indústria de turismo.

Mas e se o valor da Intrepid Travel for muito alto e você conseguiu aquela passagem dos sonhos com preço irrecusável, mas a companhia não é zero carbono (nem possui programa para isso)? A resposta é: faça você mesmo a neutralização de carbono.

Na internet existem calculadoras de carbono on-line. A empresa Carbon Footprint possui este tipo de programa de neutralização de carbono. Quando você puder, procure adquirir voos diretos, ao invés de um com muitas conexões. Sim, esta prática pode ser mais cara, mas também reduz a emissão de carbono.

Faça passeios de bicicleta

Tente explorar uma nova cidade ou país usando bicicleta. Vários albergues e hostels oferecem o serviço de aluguel de bicicleta.

Mesmo que o local que esteja hospedado não tenha, procure uma loja de aluguel com bicicletas. Um passeio de bicicleta é uma viagem 100% ecológica. Claro que para uma viagem de trekking ou escalada, que exige que a pessoa vá a um lugar longe de centros urbanos, a bicicleta não é uma maneira prática de viajar.

Mas enquanto estiver na cidade, faça o esforço de usar transporte público e até mesmo usar a bicicleta. Esta atitude fará que exista menos emissão de carbono. Optar por usar a bicicleta em viagens de turismo nada tem a ver com ativismo ou panfletagem (nem deve ter, pois isso seria contra a primeira diretiva de Jornada nas Estrelas), mas procurar ser mais sustentável durante o seu passeio.

Faça um passeio autossuficiente

Se você quiser praticar um turismo com um impacto praticamente nulo no meio ambiente, não há nada melhor do que uma viagem de mochilão ou, pelo menos, que seja autossuficiente. Se diariamente durante a viagem carregar sua própria comida, água e kit de acampamento, sem deixar, claro, vestígios na paisagem após a sua passagem, já terá contribuído bastante para a sustentabilidade de sua viagem.

Veja se a reciclagem de lixo está disponível onde você está hospedado e diga “não” ao plástico descartável sempre que possível. Se todos os viajantes pedirem ao albergue ou hostel, ou a uma loja, opções sem plástico e recargas de água, eles serão rapidamente atendidos.

Alugue um carro elétrico

Embora esteja engatinhando no Brasil e na América do Sul. Somente para 2021 ou 2022 que a montadora alemã Volkswagen prometeu nosso o primeiro carro elétrico para o mercado brasileiro. Outras montadoras também prometeram modelos para a mesma época. Mas os carros elétricos são uma realidade na Europa e EUA. Não à toa, a Tesla, de Elon Musk, a principal fabricante de carros elétricos do planeta, é uma das empresas de mais destaque nos últimos anos.

De acordo com uma empresa de análise tecnológica, mais de 208 mil veículos elétricos foram registrados nos EUA em 2018. A previsão é de que em 2020 o número de veículos elétricos suba de 208 mil para 350 mil.

Na Europa, já existe 1 milhão de carros elétricos e híbridos. O mercado europeu, somente em 2018, comercializou 430 mil veículos movidos a eletricidade. Entretanto, a participação ainda é pequena, próxima de 2% de um total de 18 milhões carros e comerciais leves existentes atualmente na Europa.

Mas o que isso tem a ver com a sua viagem ecológica? Tudo! Se planeja ir a um lugar longe da cidade e necessita alugar um carro para isso, procure na sua locadora a existência de modelos elétricos. Esta é uma ótima alternativa para quem viaja em países com pontos de carregamento decentes.

A Sixt, empresa multinacional de aluguel de carros com cerca de 5.000 locais em mais de 105 países, possui carros elétricos disponíveis nos EUA e em algumas partes da Europa. Outras empresas de aluguel de carros que oferecem opção para carros elétricos são a Enterprise e Green Motion.

Não seja perdulário

Uma má notícia para os “Intagramers ostentação”: a moda de torrar o dinheiro e ostentar ficar em lugares caros acabou. Hoje esta atitude é vista como cafona e socialmente condenável. Não há problema nenhum em ter dinheiro, o problema, na verdade, é a maneira que a pessoa o gasta.

Portanto escolha ter mais experiências com menos gastos. Aposte na experiência espiritual. Escolha ficar em pousadas ecológicas e acomodações com certificação verde ou em casas de família locais, pegar transporte público, alugar bicicletas e escolher operadores turísticos com um viés comunitário ou possua credenciamento ecológico.

Valorize sempre o comércio local, sempre gastando o justo e não sendo perdulário ou ostentoso. Escolha opções de viagem ecológicas sempre que puder. Se todos nós fizermos isso, elas se tornarão a norma. Isso não seria incrível?

Comente agora direto conosco

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.