CBD: O que é (e o que não é) o medicamento que promete melhorar a vida do atleta outdoor

Em um futuro próximo quem pratica esportes irá escutar falar muito sobre o CBD. Ocupando um espaço considerável na primeira edição de 2020 da Outdoor Retailer, havia muitas empresas comercializando medicamento e cosméticos à base de CBD.

Derivado da cannabis, o CBD, também chamado de cannabinol, está em ampla discussão no Brasil pelos seus muitos benefícios e já existem várias empresas ansiosas por expandir seus negócios pela América Latina.

Dentre as propriedades que mais eram repetidas por cada vendedor na Outdoor Retailer era o de relaxante muscular (auxiliando no tratamento de dores e contusões), combate à insônia e ansiedade e regulador de apetite. Porém todos foram muito claros a respeito de que o cannabinol não possui qualquer efeito psicoativo.

Portanto, por não possuir nenhum efeito psicoativo, não há motivos para qualquer tipo de preconceito com o CBD.

CBD é ilegal?

CBD

CBD

Por ser extraído da Cannabis (Cannabis sativa, Cannabis indica e Cannabis ruderalis), o CBD ainda é uma novidade entre atletas amadores. O uso medicinal da cannabis é legal em vários países, como Canadá, República Checa e Israel. Nos EUA, estados como Califórnia, Colorado, Oregon, Massachusetts, Washington, Maine e Nevada legalizaram o uso recreativo da cannabis para adultos com 21 anos ou mais.

Antes de aprofundar no assunto, é importante deixar claro que o termo maconha (ou mesmo o termo em espanhol marijuana) está associado quase que exclusivamente ao uso psicoativo da planta cannabis. Portanto o cannabinol, que é o nome científico do CBD, será usado neste artigo.

Para quem acredita que o elemento é proibido no Brasil, aqui vai uma notícia: O canabinol foi recentemente legalizado pela Anvisa para fins terapêuticos e cosméticos. Portanto, esteja preparado para visualizar vários produtos de cannabinol no mercado.

O que é CBD?

O CBD ou cannabinol é um dos 80 produtos químicos encontrados na planta da Cannabis. Mas, diferentemente do THC (canabinoide mais famoso e que provoca efeito psicoativo) o CBD não provoca “barato”. Em linguagem popular: o CBD não deixa ninguém “doidão” nem “chapado”.

Não há qualquer caso ou notícia de que isso tenha acontecido.

O cannabinol pode ser obtido tanto da cannabis quanto do cânhamo e vem ganhando destaque na indústria de cosméticos e remédios, além da alimentícia, por possuir a capacidade de combater epilepsia, ansiedade, dor crônica e problemas de saúde em animais.

Todos estes benefícios foram constatados por centenas de estudos científicos, que demonstraram efetividade e um alto grau de eficácia no combate de problemas de saúde.

O CBD exerce muitos efeitos interagindo com diferentes partes do cérebro e do corpo, ativando alguns receptores neurais e inibindo outros de maneiras que os pesquisadores ainda estão trabalhando para compreender melhor. Estudos mostraram que o cannabinol pode ativar o sistema de serotonina do cérebro, causando um efeito redutor de ansiedade.

Outros estudos demonstram que o CBD pode elevar os níveis de certos neurotransmissores que protegem contra convulsões. O cannabinol não ativa as mesmas partes de o cérebro e corpo (especificamente, os receptores canabinoides CB1 e CB2) como o THC. Portanto, é por isso que não produz os mesmos sentimentos eufóricos da maconha.

Segundo o National Institute on Drug Abuse (Instituto Nacional de Abuso de Drogas dos EUA), pesquisas mostram CBD sedo seguro e sem efeitos colaterais significativos. Inclusive para quem se declara dependente químico de qualquer droga ilícita.

Sativa, indica e Ruderalis: Qual a diferença?

Tecnicamente falando: muito pouca diferença entre as platas de cannabis. O consenso entre botânicos, produtores e cientistas agora é que a diferença entre elas foi exagerada por quem vendia a erva com objetivos recreativos.

O termo cannabis indica é uma planta compacta, com folhas escuras e largas e um aroma mais forte. Dentre as espécies, a cannabis sativa é mais alta, com folhas mais estreitas com cor e cheiro mais claros. A sativa ficou conhecida como a escolha preferida dos maconheiros.

Há diferenças entre a quantidade de THC, mas não muito acentuada. Todas contêm cannabinol e quantidades semelhantes. Mas do ponto de vista prático, existe inúmeros elementos químicos na cannabis, como os canabinoides (como o THC e CBD).

Remédios à base de CBD em atletas

Agência Mundial Antidopagem (WADA) no ano passado removeu o cannabinol de sua lista de substâncias proibidas, que abriu a porta para triatletas, ciclistas, corredores e outros atletas usá-lo (desde que não seja proibido por seus órgãos regionais ou regulamentos).

Muitos jornalistas mal-informados (sobretudo esportivos), alguns até mesmo com uma carga de preconceito, apenas se limitaram a criticar sem qualquer embasamento ou pesquisa prévia. Trataram o THC (maconha) e o CBD (cannabinol) como a mesma coisa. Como descrito acima, não são.

Não há nenhuma evidência científica de que o CBD irá tornar uma pessoa viciada no produto. Mas várias entidades esportivas possuem limitantes para a quantidade de cannabinol no sangue. Portanto, o uso de cannabinol por atleta profissionais deve ser bem cuidadoso.

Se os mesmos comentaristas esportivos e jornalistas tivessem pesquisado sobre o assunto logo depois do anúncio da WADA, inúmeros profissionais do esporte têm se manifestado abertamente sobre o uso do CBD no tratamento da dor crônica, recuperação de lesões, ansiedade pré jogo e controle do sono.

Precisa de Exemplos? O lutador de UFC Nate Diaz, o triatleta Andrew Talansky e o jogador de futebol Cullen Jenkins todos falaram abertamente sobre os benefícios que tiveram ao utilizar medicamentos com cannabinol. Os jogadores profissionais de rugby George Kruis e Dom Day foram tão sérios ao usar o CBD para se manterem em forma para um esporte notoriamente duro.

Ambos ficaram tão empolgados que fundaram a empresa CBD fourfivecbd, produzindo uma gama de de óleos, bálsamos e cápsulas de CBD, incluindo o óleo CBD THC 0% de FourFiveCBD, o único produto CBD ainda testado e liberado para uso pelo BSCG (Banned Substance Control Group).

Mais recentemente, as associações esportivas da Europa começaram a colaborar com empresas de produção de medicamentos à base de cannabinol para explorar o potencial do CBD, porque, diferentemente dos medicamentos para dor comumente usados (opioides e anti-inflamatórios) o CBD não apresenta efeitos colaterais ou potenciais de abuso.

Os produtos à base de cannabinol podem ser uma alternativa poderosa em meio à crescente preocupação com a dependência de opioides em atletas profissionais.

Produtos à base de CBD

CBD

Óleo á base de CBD

Na Outdoor Retailer, todos os representantes entrevistados listaram os mesmos tipos de produtos indicados para quem pratica esportes outdoor. São eles:

  • Óleos

A forma mais comum é o óleo CBD, feito a partir de extrato concentrado de cânhamo rico em cannabinol que foi infundido em um óleo comestível, como óleo de coco, cereais ou semente de cânhamo. Os óleos são vendidos como “CBD puro”, “espectro total” ou “amplo espectro”.

    • O óleo “CBD puro” é produzido a partir de um isolado de cannabinol infundido em um óleo comestível
    • O óleo de “espectro completo” é rico em cannabinol e contém outros canabinoides e compostos vegetais
    • O óleo de “amplo espectro” é usado para se referir aos extratos de cânhamo ricos em cannabinol e outros canabinoides, mas que removeu o THC.

A indicação para atletas amadores: algumas gotas de óleo embaixo da língua, cápsulas ou comprimidos podem ser engolidos para ajudar a aliviar dores nas lesões, dores nas articulações ou distúrbios do sono e ansiedade.

  • Cremes e pomadas

São aplicados diretamente na pele, tornando-os ideais para atingir músculos doloridos e áreas problemáticas específicas.

O creme, pomada ou pomada para combater a rigidez muscular ou para tratar entorses e inchaços.

Todos os canabinoides trabalham junto com os compostos naturais do corpo dentro de um extenso sistema regulatório conhecido como sistema endocanabinoide ou ECS.

O ECS compreende muitos receptores em todo o corpo. Eles podem ser ativados pelos canabinoides naturais do corpo ou pelos fitocanabinóides de origem vegetal, como CBD e THC. O cannabinol e o THC interagem principalmente com dois receptores: CB1 e CB2.

  • Os receptores CB1 são encontrados no cérebro e no sistema nervoso.
  • Os receptores CB2 são encontrados principalmente no sistema imunológico.

Diferentemente do THC, o CBD não se liga diretamente a esses receptores. Em vez disso possuem um efeito inibitório sobre eles. Por meio de estímulo indireto, o cannabinol estimula o retorno a uma perfeita homeostase interna e externa. Portanto, o cannabinol pode aumentar a performance atlética, pois:

  • Reduz os hormônios do estresse liberados pela atividade física:
  • Possui propriedades anti-inflamatórias
  • É um poderoso analgésico
  • Reduz ansiedade
  • Ajuda no controle de peso

Comente agora direto conosco

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.