UIAA publica documento apontando vantagens e desvantagens dos bastões de caminhada

A Union Internationale des Associations d’Alpinisme (União Internacional das Associações de Alpinismo), mais conhecida pela sigla UIAA, é a organização que representa interesses de montanhistas e escaladores ao redor de todo o mundo. Esta entidade de classe de escaladores e montanhista foi fundada em 1932 na cidade francesa Chamonix e agrega 88 associações integrantes de 76 países diferentes.

A Comissão Médica da UIAA produziu e publicou um artigo dedicado sobre o uso de bastões de caminhada em trekking. O artigo foi publicado pela primeira vez em 2008 e vem sendo atualizado periodicamente de acordo com conclusões e estudos da comissão médica. O artigo está disponível em tcheco, inglês, alemão, italiano, japonês, polonês, português, russo e espanhol. O download do documento é gratuito.

De acordo com o documento, as hastes dos bastões de caminhada devem ser ajustáveis ​​em altura e ter dragoneira (alça na empunhadura) construídas de forma que as mãos do usuário, ao pressionar, forneçam (ou ganhe) apoio firme e estável. Segundo o UIAA é de extrema importância usar os bastões de caminhada o mais próximo possível da linha do corpo.

O estudo feito pela organização demonstrou que não há diferença significativa no uso de um ou dois bastões de caminhada ao caminhar sem carga. Entretanto, ao caminhar com carga (mochila), o equilíbrio é significativamente aprimorado usando os dois bastões de caminhada em vez de somente um.

Em alta montanha, com altitude acima de 4.000 e em ambiente frio, as alças não devem ser ajustadas por muito tempo (as mãos devem estar mais baixas que o cotovelo ao usá-los), pois, caso contrário, a circulação será prejudicada e o usuário esfriará os dedos em um tempo muito curto.

Desvantagens do bastões de caminhada

O UIAA no documento, adverte que a técnica incorreta de usar os bastões de caminhada é com a distância entre o corpo e o bastão muito grande. Isso porque o alívio da tensão será bastante reduzido, mas também poderá resultar em uma forte torção no eixo do corpo. Isso pode ameaçar o equilíbrio do praticante de trekking.

Além disso, a Comissão Médica da UIAA concluiu que o uso prolongado de bastões de caminhada pode reduzir o equilíbrio e a capacidade coordenativa de praticante de trekking. Essa desvantagem está se tornando cada vez mais evidente e pode levar a certos problemas de equilíbrio, especialmente em áreas difíceis de montanha, onde o usuário de bastões de caminhada não pode usar as usar. Como, por exemplo, em cumes estreitos ou terrenos de escalada.

De fato, o tipo mais comum de acidente em trekking, uma queda por tropeço ou desequilíbrio, pode realmente ser ter risco maior. Por esses motivos, esses acidentes ocorrem mesmo durante o uso excessivo de bastões de caminhada. Além disso, o estudo apontou que também pode haver um aumento da frequência cardíaca, devido a maior atividade muscular na extremidade superior.

Quando usar

A Comissão Médica da UIAA conclui o documento afirmando que uso de bastões de caminhada ajustável ​​deve ser exclusivamente para o auxílio para caminhadas, especialmente para caminhadas em declives. As vantagens e recomendações Comissão Médica da UIAA para uso dos bastões de caminhada foram nas seguintes situações:

  • Idade avançada do praticante de trekking.
  • Excesso de peso corporal (mochilas com peso acima de 25% do peso corporal)
  • Praticante de trekking com doenças das articulações ou na coluna vertebral
  • Os bastões de caminhada não são necessárias para outras situações e não devem, principalmente por razões de segurança, serem usadas o tempo todo

As vantagens e desvantagens devem ser ponderadas em cada caso individual.

Para ler o documento completo acesse: https://www.theuiaa.org

Comente agora direto conosco

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.